A Warner Bros anunciou o rompimento de qualquer tipo de relacionamento com o diretor Brett Ratner (apesar do diretor afirmar que foi ele que decidiu assim), após as denúncias de assédio sexual envolvendo o profissional de Hollywood.

Ratner alega que não quer causar impacto negativo com os estúdios até que seus problemas pessoais estejam resolvidos. Porém, é muito mais fácil acreditar que a iniciativa veio da Warner mesmo.

Warner e Ratner tinham um acordo de preferência (ou first-look deal) sobre alguns projetos futuros. O acordo expirava em março de 2018, e não será renovado. Por outro lado, Ratner perde suas funções nos escritórios da Warner em Burbank, e deixa de fazer parte da produção de The Goldfinch, baseado no best seller de Donna Tartt.

Por outro lado, a Playboy Enterprises suspendeu a produção do filme biografia de Hugh Hefner, que seria dirigido por Ratner. Declarou preocupação sobre as acusações contra o diretor, considerando o seu comportamento completamente inaceitável, o que motivou a suspensão dos projetos.

 

 

Já os representantes de Jared Leto, que no mês passado estava envolvido no projeto para interpretar Hefner, declararam que o ator não estava vinculado ao filme, nem vai trabalhar com Ratner no futuro, alegando que as primeiras notícias eram incorretas ou não confirmadas.

Veremos se, por um acaso, o projeto trocar de diretor, se Leto estará interessado ou não.