GLOW é uma das melhores séries da Netflix. É original, é fresca, é diferente da maioria das produções televisivas que estão no ar nesse momento, e é descolada. A sua primeira temporada foi aclamada pelo público e pela crítica. Mas… sempre tem alguém que é do contra.

Ou muitas pessoas do contra. E, nesse caso, muita gente do contra que quase cometeu um erro com consequências messiânicas. Eu explico: você sabia que a Netflix quase cancelou GLOW na sua primeira temporada?

Isso mesmo que você acabou de ler. Quase ficamos sem essa maravilha para sempre, por causa de executivos com pouca visão artística. A Netflix considerou cancelar GLOW na primeira temporada, e esse post ajuda a explicar por que isso (quase) aconteceu.

GLOW quase foi cancelada por um simples motivo: uma audiência simplesmente decepcionante. Uma fonte do The Wall Street Journal revelou que as conversas foram constantes, onde o pessoal da parte tech pressionava o time de Hollywood pela renovação.

Porém, os executivos do time criativo da Netflix defenderam a aclamação da série junto à critica e a importância em permanecerem com as boas relações com a produtora executiva Jenji Kohan (que afirmou que manteria os seus trabalhos na plataforma enquanto a série se mantivesse viva).

No final, o time criativo venceu o debate, e GLOW foi renovada para uma segunda (e uma terceira) temporada. A primeira temporada da série foi indicada como melhor Série de Comédia, perdendo para The Marvelous Mrs. Maisel.

Já Kohan acreditava que o plano inicial de marketing da Netflix para GLOW foi o motivo para a baixa audiência da primeira temporada (algo que jamais saberemos o quão baixa foi essa audiência, uma vez que a plataforma de streaming não revela os números alcançados por suas séries).

Já a Netflix afirmou em comunicado (depois do brejo) que “estamos muito orgulhosos de GLOW, e felizes por trazer a série de volta para uma premiada segunda temporada, e novamente para a terceira temporada”.

 

Via WSJ