Ridley Scott decidiu substituir Kevin Spacey por Christopher Plummer no filme Todo o Dinheiro do Mundo. E isso vai custar “todo o dinheiro do mundo”. Ou quase isso.

O risco financeiro é enorme. Voltar a gravar as cenas, pós-produzir, criar novos materiais de marketing e um novo trailer final ANTES de 22 de dezembro (data prevista para a estreia). É uma loucura. Apenas isso!

As refilmagens das cenas devem levar entre oito e dez dias, e vai custar, pelo menos, US$ 2.5 milhões, e devem acontecer nas próximas duas semanas, para qu tudo fique pronto antes de 15 de dezembro.

Mark Wahlberg e Michelle Williams terão que repetir algumas de suas cenas, o que vai render um salário semanal adicional. Já Plummer vai cobrar entre US$ 250 mil e US$ 400 mil para participar da brincadeira.

Outra opção (descartada, por enquanto) é gravar todas as cenas de Plummer com um fundo verde. Scott tem poucas interações com outros personagens, e os produtores consideram essa a forma mais barata e simples de recriar as cenas.

Um seguro cobre os custos adicionais em caso de morte, doença ou lesão de qualquer um dos atores principais. Porém, o seguro não se aplica às circunstâncias da substituição de Spacey.

Todo o Dinheiro do Mundo não é o primeiro filme a ter que lidar com tal situação, mas é o primeiro a ter um escândalo externo envolvendo um dos seus atores a eclipsar o projeto.

Boa sorte para a Sony Pictures.