The Resident foi renovada para a segunda temporada, e a Fox precisava de uma série médica para chamar de sua. Muitos acreditavam que esta seria A série que alcançaria tal objetivo, mas rapidamente foi mais uma história “mais do mesmo”, sem ser algo realmente especial e relevante para permanecer no ar.

Mas algumas pessoas entendem que a série merece ser renovada para a terceira temporada. Por isso, buscando ser justos com os dois lados, temos esse post que apresentam argumentos a favor e contra o cancelamento da série.

 

 

A SÉRIE: The Resident (2a temporada, Fox)

 

Por que salvar?

Na segunda temporada, se posicionou como um thiller médico que quer engajar a audiência, expondo as entranhas da medicina corporativa, mostrando-se honesta ao denunciar os problemas da assistência médica privada, mas se mantendo fiel ao seu senso de esperança no discurso.

Sem falar que o elenco apenas começou a aprofundar os seus personagens, o que pode ajudar a deixar a trama mais interessante no futuro, caso a série seja renovada. Sem falar que The Resident está com uma audiência bem estável e crescente (0.9 na demo 18-49), ficando na quarta posição entre os dramas da Fox (atrás de Empire, 9-1-1 e Star) na demo, e na terceira posição na audiência total.

 

 

Por que cancelar?

Não tem a mesma relevância que outros dramas médicos na TV (como Grey’s Anatomy, Chicago Med e New Amsterdam), que já estão consolidadas e desenvolvidas. E com a diminuição da grade de programação da própria Fox, com o futebol americano (nas quintas) e o WWE (nas sextas), The Resident precisava ser algo especial para permanecer na grade de programação do canal.

Além disso, nos aspectos criativos, a decisão de triângulo amoroso é bem questionável, reforçando a teoria do “mais do mesmo” como drama médico. A propensão da audiência em simplesmente não se importar com o que vai acontecer com essa história é cada vez maior. E sem uma história interessante (e sem audiência para acompanhar essa história), não há motivos para manter a série no ar.