Coitada… mal estreou, e já está ameaçada de cancelamento.

Não dá para dizer que Mark-Paul Gosselaar é um cara azarado. Seria muita desinformação da minha parte. Afinal de contas, Galera do Barulho foi sucesso, e Franklin and Bash durou pelo menos três temporadas. Ou seja, o cara tem acertos. Mas tem erros também.

O problema aqui é que The Passage mal estreou e já está na ameaça de cancelamento. E não foi por falta de ação promocional da Fox, que tentou apresentar a série para o público norte-americano de todas as formas.

Mas vamos procurar descobrir se ela está realmente ameaçada de cancelamento, ou se ainda tem chances de se salvar.

 

 

A SÉRIE: The Passage (1a Temporada, Fox)

Por que salvar?

 

A série é uma adaptação das histórias literárias de Justin Cronin, e a primeira temporada fala sobre o período pré-epidêmico, abordando parte do plot do primeiro livro dessa saga. Quem está assistindo a série entende que a mesma tem potencial para desenvolver uma boa história na segunda temporada, especialmente depois do fast forward do final da primeira temporada.

Algumas mudanças narrativas adotadas pela série podem ser mais que bem vindas para essa eventual segunda temporada, e algumas relações interpessoais apresentadas na série contam com potencial de desenvolvimento bem interessante. E a chance de tudo isso continuar a ser contado na TV é algo tentador para os fãs da série.

 

 

Por que cancelar?

 

Por causa da única coisa que falta para essa série ser considerada elegível para uma segunda temporada: a incapacidade de manter uma audiência sustentável.

Depois de estrear com uma audiência total de 5.2 milhões de espectadores e uma demo 18-49 anos de 1.3, o drama foi perdendo audiência de forma gradativa e exponencial, e depois de 10 episódios, por várias vezes registrou o seu recorde negativo (em algumas semanas de forma consecutiva, semana após semana). E mesmo com a média de 3.7 milhões na geral e 0.92 na demo (números que posicionam The Passage como o quinto drama mais assistido da Fox), a série fica bem abaixo dos números de uma campeã de audiência do canal, como é o caso de 9-1-1.