Eu cantei essa bola aqui no blog. Eu avisei que isso iria acontecer. Era uma questão de tempo.

Depois de ser demitido da Disney por causa de tweets publicados há dez anos, James Gunn foi contratado pela Warner para ajudar a organizar a bagunça que está o Universo Expandido da DC. Para ser mais específico, o roteirista e diretor de Guardiões da Galáxia (vol. 1 e 2) será o responsável por Esquadrão Suicida 2.

Gunn vai escrever o roteiro e pode ser o diretor do longa, caso ele e a Warner acertem todos os ponteiros pendentes. O que me parece ser algo bem provável de acontecer, diante do cenário atual que a Warner Bros. enfrenta nesse momento com as franquias da DC.

Por outro lado, a chegada de James Gunn não é sinônimo de qualquer garantia que as coisas vão entrar nos eixos no universo cinematográfico da DC. Vale lembrar que a Warner fez de Esquadrão Suicida um verdadeiro inferno por não respeitar a visão criativa de David Ayer.

Sem falar em Liga da Justiça, onde eles foram atrás de Joss Whedon para terminar o trabalho de Zack Snyder, e o resultado nem de longe foi o esperado.

 

 

Esquadrão Suicida, apesar de ser um dos piores filmes de 2016, foi um sucesso de bilheteria. Logo, a Warner anunciou a sequência com a maioria do elenco confirmado no projeto. Porém, David Ayer preferiu embarcar em outros projetos, e a Warner demorou para enocntar um substituto.

Nomes como Jaume Collet-Serra e (pasmem) Mel Gibson foram cogitados, mas por enquanto, Gavin O’Connor foi o escolhido para Esquadrão Suicida 2. Mesmo assim, não deu certo.

Agora, a Warner tenta de novo com James Gunn que, na teoria, é o nome perfeito para o projeto. Todo mundo viu o que ele fez com (o até então desconhecido do grande público) Guardiões da Galáxia, com uma narrativa de grupos e famílias peculiares que é simplesmente genial.

Quem sabe ele dá sorte com Esquadrão Suicida, dando um “cala a boca” na Disney.