Arquivo para a tag: michael j fox

Tabela final das séries renovadas e canceladas da TV aberta dos EUA (temporada 2014-2015)

by

TONY GOLDWYN, SCOTT FOLEY, KERRY WASHINGTON

Finalmente, temos os vencedores e os perdedores da temporada. Com a definição da situação de Parenthood (NBC), a última que foi renovada, podemos agora publicar uma lista das séries que estão canceladas e renovadas para a próxima temporada 2014-2015 dos principais canais abertos dos EUA.

A seguir, veja como ficou a situação da sua série, e já comece a se preparar para a próxima temporada. Ou lamentar se sua série preferida foi assassinada por algum canal.

SérieCanalStatus
Back In The GameABCCancelada
BetrayalABCCancelada
Killer WomenABCCancelada
Lucky 7ABCCancelada
Mind GamesABCCancelada
MixologyABCCancelada
Once Upon A Time in WonderlandABCCancelada
SuburgatoryABCCancelada
Super Fun NightABCCancelada
The NeighborsABCCancelada
Trophy WifeABCCancelada
Bad TeacherCBSCancelada
Friends with Better LivesCBSCancelada
HostagesCBSCancelada
How I Met Your MotherCBSTemporada Final/Encerrada
IntelligenceCBSCancelada
The Crazy OnesCBSCancelada
We Are MenCBSCancelada
NikitaCWTemporada Final/Encerrada
Star-CrossedCWCancelada
The Carrie DiariesCWCancelada
The Tomorrow PeopleCWCancelada
Almost HumanFoxCancelada
American DadFoxTransferida para a TBS
DadsFoxCancelada
EnlistedFoxCancelada
Raising HopeFoxCancelada
RakeFoxCancelada
Surviving JackFoxCancelada
BelieveNBCCancelada
CommunityNBCCancelada
CrisisNBCCancelada
DraculaNBCCancelada
Growing Up FisherNBCCancelada
IronsideNBCCancelada
RevolutionNBCCancelada
Sean Saves The WorldNBCCancelada
The Michael J. Fox ShowNBCCancelada
Welcome To The FamilyNBCCancelada
Agents of S.H.I.E.L.D.ABCRenovada
CastleABCRenovada
Grey‘s AnatomyABCRenovada
Last Man StandingABCRenovada
Modern FamilyABCRenovada
NashvilleABCRenovada
Once Upon A TimeABCRenovada
ResurrectionABCRenovada
RevengeABCRenovada
ScandalABCRenovada
The GoldbergsABCRenovada
The MiddleABCRenovada
2 Broke GirlsCBSRenovada
Blue BloodsCBSRenovada
Criminal MindsCBSRenovada
CSICBSRenovada
ElementaryCBSRenovada
Hawaii Five-0CBSRenovada
Mike & MollyCBSRenovada
MomCBSRenovada
NCISCBSRenovada
NCIS: LACBSRenovada
Person Of InterestCBSRenovada
The Big Bang TheoryCBSRenovada
The Good WifeCBSRenovada
The MentalistCBSRenovada
The MillersCBSRenovada
Two and a Half MenCBSRenovada
ArrowCWRenovada
Beauty & The BeastCWRenovada
Hart Of DixieCWRenovada
ReignCWRenovada
SupernaturalCWRenovada
The 100CWRenovada
The OriginalsCWRenovada
The Vampire DiariesCWRenovada
Bob’s BurgersFoxRenovada
BonesFoxRenovada
Brooklyn Nine-NineFoxRenovada
Family GuyFoxRenovada
GleeFoxRenovada
New GirlFoxRenovada
Sleepy HollowFoxRenovada
The FollowingFoxRenovada
The Mindy ProjectFoxRenovada
The SimpsonsFoxRenovada
About a BoyNBCRenovada
Chicago FireNBCRenovada
Chicago P.D.NBCRenovada
GrimmNBCRenovada
HannibalNBCRenovada
Law & Order: SVUNBCRenovada
ParenthoodNBCRenovada
Parks and RecreationNBCRenovada
The BlacklistNBCRenovada

Via

Michael J. Fox volta para The Good Wife, em um arco de múltiplos episódios

by

The Seven Day Rule

O ator Michael J. Fox vai reprisar a sua participação na série The Good Wife (CBS) na atual temporada, em um arco de múltiplos episódios.

A notícia chega apenas um dia depois da NBC decidir retirar do ar a série The Michael J. Fox Show, o que deixa o caminho livre para o ator se comprometer com outros projetos.

Robert King, co-criador de The Good Wife, afirmou no mês passado na Television Critics Association Winter TV Previews, que queria fazer dar certo essa participação, e que esperava o final das filmagens da temporada da série de Fox na NBC para trazê-lo de volta para The Good Wife. Vale lembrar que o ator já conseguiu três indicações ao Emmy Awards por conta de sua participação especial.

The Good Wife retorna com novos episódios nos EUA em 9 de março.

Via

The Michael J. Fox Show é cancelada pela NBC. Hollywood Game Night vai para as quintas-feiras

by

The Michael J. Fox Show - Season 1

A NBC cancelou a série The Michael J. Fox Show, depois de 15 episódios exibidos, e algumas semanas depois de cancelar a comédia Sean Saves the World. As duas séries eram exibidas nas noites de quinta-feira da NBC (também conhecida por nós aqui do SpinOff como “o buraco negro da programação da NBC”).

A comédia será substituída por Hollywood Game Night, a partir do dia 27 de fevereiro – depois do término da cobertura dos Jogos Olímpicos de Inverno. The Michael J. Fox Show estava programada para 22 episódios, e não está claro se a NBC vai exibir os sete episódios restantes.

Vale lembrar que a NBC venceu o “leilão” da série, garantindo uma encomenda de 22 episódios da produção, e isso, sem sequer ver o piloto.

O cancelamento de The Michael J. Fox Show é apenas mais uma consequência direta do desafio da NBC em fazer a sua noite de comédia de quinta-feira emplacar. Agora, o canal só conta com Parks and Recreation e Community no grupo de comédias veteranas. Das sete séries encomendadas na temporada passada, nenhuma voltou para a segunda temporada. Isso mostra como o canal fracassou em lançar um novo hit entre as séries cômicas.

The Michael J. Fox Show até começou com forte audiência, por conta do interesse da audiência na volta de Michael J. Fox para a TV. Porém, a audiência despencou rapidamente: a média da temporada da série é de 5.2 milhões na geral, e 1.7 na demo 18-49 anos – e isso, já contabilizando as exibições nos DVRs. Na audiência ao vivo, a série foi um desastre: o último episódio exibido mal alcançou os 2 milhões na geral, e uma demo de apenas 0.6 – a pior da série.

Para piorar ainda mais a situação da NBC, a CBS adquiriu os direitos de exibição de oito jogos da próxima temporada do campeonato de futebol americano da NFL. Com isso, as noites de quinta se tornarão um problema ainda maior para Bob Greenblatt e para a NBC.

Via

Bob Greenblatt fala sobre as comédias de quinta feira na NBC

by

greenblatt_a

Bob Greenblatt, presidente da NBC, finalmente parece ter entendido: “as noites de quinta são um desafio para nós”.

Já houve um tempo em que as noites de quinta da NBC eram uma questão de atenção para as concorrentes. Hoje em dia não é bem assim. Atualmente, o tal bloco de comédias da NBC é composto por Community, Parks and Recreation, Sean Saves the World e The Michael J. Fox Show, seguidas pelo drama Parenthood. Em particular, a comédia de Michael J. Fox é a pior delas, com 0.6 na demo na última semana. Greenblatt disse:

Nós obviamente não estamos satisfeitos com um 0.6 em qualquer programa, especialmente por Michael J. Fox. Nós gostamos da série, gostamos bastante de Sean Saves the World… Nós estamos realmente descontentes por não obtermos audiência para elas. Nós vamos continuar trabalhando duro para ver o que podemos fazer com as noites de quinta feira. É uma batalha muito, muito complicada.

Será que isso significa que o canal do pavão está repensando o formato de 4 comédias mais um drama? Com a palavra, Greenblatt:

Acho que isso está em discussão. O legado do bloco de comédias existe há tanto tempo… nós vamos olhar minuciosamente para essa questão. Talvez nós decidamos mudar tudo. As quintas feiras são muito complicadas. A CBS chegou lá de uma maneira brilhante, com comédias que cativaram uma grande audiência.

(nota do editor: demorou, Greenblatt… venho falando isso no SpinOff Podcast desde 2012, pelo menos)

Via

Audiência nos EUA | 16-01-2014 | The Michael J. Fox Show em eterna queda livre

by

The Michael J. Fox Show - Season 1

A noite de comédia da NBC (que eu venho dizendo há tempos que precisa acabar) virou terra arrasada ontem (16), com a exibição do segundo episódio da premiere dupla de American Idol na Fox.

O drama da NBC: Community (3.2 milhões na audiência geral, e demo 18-49 anos de 1.1), Parks and Recreation (3.1 mi/1.2) e Sean Saves the World (2.7 mi/0.8) ganharam audiência na geral, mas perderam em média 20% cada uma na demo. Já The Michael J. Fox Show (2 milhões/0.6) perdeu 35% na sua já baixa audiência, e 40% na demo. São os números mais baixos da série. Só um milagre para renovar a produção para uma segunda temporada.

Quem menos sofreou ontem na NBC foi Parenthood (4 mi/1.2), que foi exibida em um horário onde não enfrentava nada na Fox, e perdeu apenas um décimo.

Falamos muito da Fox, então, vamos falar da audiência de American Idol (13.2 mi/3.8). Perdeu 13% e 19% respectivamente em relação ao programa de estreia, e 19% e 32% em relação ao segundo episódio da temporada anterior. De novo, registrou a mais baixa audiência da série para um segundo episódio.

Na ABC, The Taste (3.2 mi/0.9) perdeu 31% na demo – e também perdeu audiência por conta da estreia de Idol. Já a reprise de Shark Tank (3.6 mi/1.2) dobrou a demo alcançada pela já cancelada The Assets na semana anterior.

A CW exibiu o Critics Choice Moview Awards, e conseguiu 2 milhões na audiência geral, e 0.5 na demo. Ganhou audiência geral, mas registrou queda na demo, se comparado com os números registrados pelo evento em 2013.

Por fim, a CBS, que não é boba nem nada, não quis enfrentar American Idol na primeira semana, e apostou nas reprises. Destaque para o replay de The Big Bang Theory, que teve a segunda melhor audiência geral da noite (11.9 mi) e segunda melhor demo (2.9).

Via

Michael J. Fox perto de voltar para The Good Wife nessa temporada

by

michael-j-fox-the-good-wife-julianna-margulies

Alicia Florick não está livre de Louis Canning nessa temporada. Pelo menos é o que afirma o produtor de The Good Wife, Robert King.

Segundo Robert, a volta de Michael J. Fox na série é um desejo dele, do ator e de Juliana Margulies. Em entrevista coletiva, o produtor disse:

Nós estamos tentando fazer isso acontecer, uma vez que ele terminou de filmar a sua série [The Michael J. Fox Show]  e, portanto, existe a chance de tê-lo de volta. Ele e Juliana Margulies amam trabalhar juntos.

King também disse que Carrie Preston retornará nessa temporada para interpretar, mais uma vez, Elsabeth Tascioni, papel que já lhe rendeu um Emmy.

Via

Christopher Lloyd fará participação especial em The Michael J. Fox Show

by

christopher-lloyd-back-to-the-future

De novo: se The Michael J. Fox Show (NBC) vai mal como série, não é por culpa de suas escolhas para elenco convidado. Dessa vez, teremos mais uma pequena reunião de “De Volta Para o Futuro“, uma vez que Christopher Lloyd, o eterno “Doc” Emmett Brown, teve sua participação confirmada na comédia.

Lloyd vai interpretar o excêntrico diretor da escola onde Annie (Betsy Brandt) leciona, e vai ter um “frente a frente” com Mike (Michael J. Fox). A participação está programada para apenas um episódio. O episódio está programado para ir ao ar na primavera de 2014 (na parte final da temporada da série), e o episódio está sendo filmado nessa semana em Nova York, segundo informa o próprio Lloyd em sua conta no Twitter.

O ator se junta à lista de ilustres participações especiais da série, que já contém nomes como Brooke Shields, Anne Heche e Sting. Lloyd, que foi visto recentemente em participações nas séries Psych e Raising Hope, já havia promovido outra “reunião” de “De Volta Para o Futuro” com Michael J. Fox, na série Spin City.

Via THR

Brooke Shields fará participação especial em The Michael J. Fox Show

by

brooke-shields

A atriz Brooke Shields está com participação confirmada em The Michael J. Fox Show (NBC).

O arco de Shields na série será de, pelo menos, três episódios. A atriz vai interpretar Deborah, uma mãe solteira que se envolve com o filho adolescente de Mike Henry (Michael J. Fox), Ian, que tem 19 anos de idade. Os dois se encontram em uma aula de dança de salão, e descobrem que possuem uma ótima química juntos, apesar da visível diferença de idade entre os dois.

Os três episódios vão ao ar em 2014. Shields tem registros na TV nas séries Suddenly Susan e Lipstick Jungle, e recentemente participou das produções Army Wives, The Middle, Hannah Montana e Super Fun Night.

Via THR

Sting fará participação especial em The Michael J. Fox Show

by

sting

O cantor Sting vai passar de forma breve em Nova York, e fará uma participação especial na nova comédia da NBC, The Michael J. Fox Show.

A participação vai acontecer no episódio temático das festas de final de ano, onde o cantor vai aparecer como ele mesmo. Podemos esperar um episódio musical, talvez? É bom lembrar que a atriz Betsy Brandt, que faz a esposa de Mike na série, afirmou recentemente ao TVLine que Annie tem um presente de Natal especial para o marido. Quem sabe não seria a participação do cantor?

Sting também participou como ele mesmo (e com performance musical) na série Ally McBeal (Fox), cantando ao lado de Robert Downey Jr.

Via TVLine

[Audiência nos EUA] 28-09-2013 | Robin Williams bate Michael J. Fox na primeira batalha das novas comédias

by

crazy_ones_micahel_j_fox

Em uma das noites mais esperadas para as estreias das novas séries da fall season 2013, The Crazy Ones saiu como vencedora contra a outra novata, The Michael J. Fox Show. Porém, a grande vencedora da noite foi mesmo The Big Bang Theory.

CBS | o canal se deu muito bem com a premiere dupla de The Big Bang Theory, que teve 18.3 milhões e 19.5 milhões na audiência dos dois episódios, com demos 18-49 anos de 5.3 e 5.8, respectivamente. O aumento foi de 20% e 11% em relação à estreia do ano passado, e quase alcançou a maior audiência da história da série (20 milhões).

Essa audiência toda acabou ajudando a estreia de The Crazy Ones, que acabou retendo 15.6 milhões na audiência, e uma demo de 4.0. Essa foi uma audiência 18% melhor, e um aumento na demo de 67% em relação à audiência de Person of Interest, que era exibida no mesmo horário no ano passado, além de ser a melhor demo nesse horário da CBS desde novembro de 2009, com CSI.

A volta de Two And a Half Men teve uma audiência total de 11.5 milhões de audiência, e uma demo de 2.9, registrando uma queda de 17% se comparado com a estreia da temporada do ano passado. por fim, a volta de Elementary teve 10.1 milhões na audiência, com uma demo de 2.1. Foi pior que a estreia da série no ano passado (13.4 milhões/3.1), mas melhor do que a season finale da primeira temporada (9 milhões/2.0).

NBC | A volta de Parks and Recreation teve uma hora de duração, e teve uma audiência de apenas 3.3 milhões, com uma demo 18-49 anos de apenas 1.3. Foi menor que a audiência da estreia da temporada passada (3.5 milhões/1.7) e da estreia da última temporada de 30 Rock (3.5 milhões/1.4), que ocupava esse horário.

Já The Michael J. Fox Show teve uma estreia com audiência de 7.3 milhões, e uma demo de 2.1 Em novo dia e horário, Parenthood teve uma audiência de 5.2 milhões, e uma demo de 1.6, registrando queda de 5% e 16% comparando com a estreia da série no ano passado, que aconteceu em uma quinta-feira. Em compensação, empatou com a demo de estreia de Hannibal, e deu o dobro da demo da estreia da já cancelada Do No Harm.

ABC | O canal reprisou o piloto de Marvel’s Agents of S.H.I.E.L.D., o que resultou em uma audiência de 5.2 milhões, e uma demo de 1.4. A premiere dupla de Grey’s Anatomy rendeu uma audiência geral de 9.3 milhões, e uma demo de 3-4, representando uma que da de 20% em comparação com a estreia da temporada passada, mas um aumento mínimo na audiência em relação ao season finale exibido em maio de 2013.

Fox | The X Factor registrou uma audiência de 6.4 milhões, e uma demo de 2.0. Já Glee teve um bom aumento de 30% na audiência em relação à estreia do ano passado, com um audiência geral de 5.8 milhões, além de uma demo de 2.0.

CW | A CW segue vivendo de reprises, e teve uma demo de apenas 0.3, com uma audiência geral de 856 mil espectadores.

Via TV Guide

Primeiras Impressões | The Michael J. Fox Show (NBC, 2013)

by

michael-j-fox-show

Quero deixar bem claro uma coisa antes de começar esse texto. Independente de qualquer cosia que eu venha a escrever nas próximas linhas, uma coisa não vai mudar: Michael J. Fox, para mim, é um exemplo a ser seguido, uma lição de vida, e a prova viva que existe uma vida funcional para um paciente com o Mal de Parkinson. Acho esse cara fantástico, e sempre vou considerá-lo um dos maiores exemplos de resiliência, tenacidade e amor à vida. Na frente e por trás das câmeras.

Dito isso, e com uma certa tristeza (e um gosto amargo na boca), eu digo que a melhor coisa de The Michael J. Fox Show é, justamente, a volta de Michael J. Fox para a televisão. E nada mais.

A série mostra a vida de Mike Henry (Michael J. Fox), um renomado jornalista da NBC, que ao ser diagnosticado com o Mal de Parkinson, decidiu se aposentar de forma prematura, até mesmo para cuidar da saúde. Acontece que, com o passar dos anos, e com o Parkinson mais controlado, Mike começou a se tornar hiper-ativo… mas em casa. E isso começou a enlouquecer a sua família, já que ele passou a se tornar “útil e funcional” para cada um deles.

Sua mulher, Annie (Betsy Brandt) é, aparentemente, a mais afetada com a melhora de Mike. Não que ela não goste dele se sentir melhor. Porém, uma vez que ele se sente melhor – e, com isso, começa a tentar a ter uma vida normal, como um marido qualquer – ela se depara com um homem que parece que quer abraçar o mundo com braços e pernas. E isso para ela é um grande problema. Assim como os seus três filhos (dois adolescentes e um em plena infância), que não aguentam mais ver o “pai herói” em casa, e acreditam que ele pode ser mais útil fora de lá.

De preferência, de volta à TV.

Para completar a família, tem a irmã de Mike, Leigh (Katie Finneran), que tem os seus próprios sonhos e aspirações, mas vê no irmão um exemplo e ponto de apoio. Mas, no final das contas, acaba mesmo sendo a confidente de Annie. Que mal a escuta, por causa de suas atividades domésticas.

No final das contas, Mike resolve voltar ao seu posto na NBC, onde espera não só ajudar o canal a sair do buraco – tal como acontece no mundo real -, mas também explorar um pouco mais as suas possibilidades, diante de sua nova condição de vida.

The Michael J. Fox Show - Season Pilot

Pelo menos no seu começo, The Michael J. Fox Show é uma série bem fraca. Eu, que elogiei o promo do meio do ano (de 4 minutos), por entender que as piadas eram ótimas, conclui que o tal promo mostravam as melhores piadas do episódio piloto. Aliás, o piloto em si é fraquíssimo, e entendo que até a NBC sacou isso. Tanto, que a premiere foi dupla, e o segundo episódio é um pouco melhor que o primeiro. Mas o piloto é bem fraco.

Vale lembrar que The Michael J. Fox Show foi aprovada pela NBC sem sequer ter um piloto. Foi um projeto que foi disputado à tapa pelos quatro grandes canais abertos norte-americanos, e que o próprio Michael J. Fox só fechou com a NBC por entender que era o canal mais desafiador para fazer a série dar certo. Além disso, o canal do pavão garantiu temporada completa de 22 episódios para a produção. E, de novo: sem ninguém ver nada da série.

Noves fora, o piloto é fraco. Os personagens não são carismáticos, são apenas apresentados, cada um com sua característica peculiar. Aliás, me lembro do próprio J. Fox afirmar que a série não é 100% inspirada na sua experiência pessoal, uma vez que ele mesmo entende que os seus filhos odiariam ser representados daquela forma. É, agora eu entendo o que eu quis dizer.

Os três filhos conseguem ser insossos e desinteressantes. Nem mesmo o filho caçula consegue ser uma criança fofinha. Nem pra isso! Os dois filhos adolescentes de Mike são sem graça com argumentos sem graça para ficarem em cena. De novo, a coisa começa a melhorar para eles no segundo episódio, que é melhor que o piloto. Mesmo assim, a química deles é forçada. Simplesmente lamentável.

Como disse lá atrás: a melhor coisa da série é ver Michael J. Fox em ação. O cara ainda tem timing de comédia, apesar das piadas ruins apresentadas. Sua interação com a irmã (Finneran) e principalmente com a esposa (Brandt) é minimamente aceitável, e pode até render alguma coisa no futuro para a melhora da série. Isso é, se é que ela pode melhorar.

Infelizmente, The Michael J. Fox Show começou mal. Eu torço para que melhore, mas é só uma torcida. É inacreditável como ideias promissoras simplesmente afundam na NBC, ainda mais quando falamos de um mockumentary. Custava essa série ao menos ser uma sitcom para facilitar as coisas? De qualquer forma, essa aqui está difícil de seguir em frente, mesmo que seja pelo Michael J. Fox. Tem que melhorar muito. Caso contrário, será o primeiro grande fracasso do ator de De Volta Para o Futuro na TV.

Como o Mal de Parkinson ajudou a melhorar a capacidade de atuação de Michael J. Fox?

by

michael-j-fox-the-michael-j-fox-show-01

O Mal de Parkinson é uma das doenças mais difíceis que o ser humano pode enfrentar. Tanto para quem tem o problema, quando para aqueles que estão ao seu redor. Por ser degenerativa, ela vai consumindo aos poucos as capacidades funcionais do indivíduo, até que o mesmo não tenha mais o controle sobre suas funções motoras. Inúmeras pesquisas são feitas ao redor do planeta, e alguns tratamentos se mostram eficazes para a redução dos sintomas da doença. Mas ainda estamos um pouco longe de sua cura.

Por outro lado, o mesmo Parkinson ajudou alguém: Michael J. Fox. Não só porque ele passou a investir parte do seu prestígio e dinheiro adquiridos como astro de Hollywood para investir na pesquisa da cura e desenvolvimento de tratamentos alternativos para retardar os efeitos do Mal de Parkinson (além de criar campanhas de arrecadação de fundos junto aos colegas atores), mas inclusive na sua forma de atuar. Aliás, o próprio ator se vê com uma maior capacidade de interpretação após a doença.

O ator é capa da revista Rolling Stone desse mês, onde ele aproveita a oportunidade para promover a estreia de The Michael J. Fox Show na NBC, e para falar como ele lida com a doença diante das câmeras. Fox afirmou que, depois do seu diagnóstico do Parkinson, ele começou a mudar as suas reações físicas nas cenas, o que fez com que ele melhorasse a sua atuação.

Palavras de Michael J. Fox:

Eu tinha uma certa fluidez nos meus movimentos, e dependia de um certo ritmo de fala e expressão física para atuar. Isso me serviu muito bem, mas quando isso foi me tirado (por causa da doença), eu descobri que haviam outros recursos que eu poderia utilizar (na atuação). Essa hesitação que o Parkinson gera é apenas uma oportunidade para que eu dê uma pausa em um determinado momento, me recolher como um personagem, e responder ao que está acontecendo em cena. Ela (a doença) me deu uma nova visão das coisas.

michael-j-fox-rolling-stone

Na opinião de Michael J. Fox, a doença parece ter tirado dele uma certa “ansiedade” que sempre esteve presente em sua atuação. De novo, palavras do ator:

Eu costumava ficar muito nervoso. Ficava no meu camarim, preocupado com a cena que eu ia fazer, chegando a suar frio e dizendo ‘O que eu vou fazer? Quando a cena começar, eu vou ter que fazer alguma coisa… o que eu vou fazer? O que o outro ator vai fazer? E como farei para responder a isso?’. Agora, é algo do tipo ‘Ok, o que está acontecendo?’ E quando algo acontece, eu reajo à isso, e se não acontecer nada, eu não reajo. Hoje, eu não me preocupo com o quão complicado eu vou ter que fazer, ou com o olhar que eu vou ter que dar, porque quando eu estiver lá, eu talvez não estarei apto a dar aquele olhar, ou fazer algo específico… ou mover aquele copo.

The Michael J. Fox Show é a principal aposta da NBC na temporada. Tanto, que a série já tem uma temporada completa confirmada, com 22 episódios. A estreia da série nos Estados Unidos acontece no dia 26 de setembro.

Via THR, Rolling Stone

Candice Bergen e Charles Grodin farão participação em The Michael J. Fox Show

by

r-CHARLES-GRODIN-CANDICE-BERGEN-large570

Dua excelentes adições para o elenco de The Michael J. Fox Show. A NBC anunciou oficialmente que Candice Bergen e Charles Grodin estão confirmados como participação especial na série (com potencial para se tornarem personagens recorrentes), atuando como pais de Mike (Michael J. Fox).

A série inspirada na vida real de Michael J. Fox conta a história de um jornalista de uma rede de TV em Nova Iorque, com esposa e filhos, que entediado com a aposentadoria forçada em função do Mal de Parkinson que é portador, decide voltar ao trabalho, como âncora do canal de TV onde trabalhava.

Candice Bergen é a multi-vencedora do Emmy Awards de Melhor Atriz de Comédia, pelo seu papel na série Murphy Brown. Recentemente, atuou por cinco temporada como Shirley Schmidt, em Boston Legal, e fez participações especiais nas séries Hous,  Law & Order: Trial by Jury e Law & Order: SVU.

Já Charles Grodin é conhecido por ser o patriarca do filme Beethoven, e apresentou o programa The Charles Grodin Show no canal CNBC, além de atuar como comentarista político no programa 60 Minutes II (CBS), em 2000.

Via TVLine

[Temporada 2013-2014] Veja um preview de The Michael J. Fox Show (NBC)

by

Michael-J-Fox

A terceira estreia da NBC para o segundo semestre é, talvez, a grande aposta do canal para revitalizar o bloco de comédias das noites de quinta-feira. The Michael J. Fox Show, protagonizada pelo próprio, já tem uma temporada de 22 episódios garantida (detalhe: antes mesmo de ser aprovada pela NBC), e vai mostrar a história de um ator que tenta conciliar a sua vida familiar, a vida profissional, e a luta contra o Mal de Parkinson, do qual ele é portador.

Todo o poder de Michael J. Fox, em uma nova comédia na NBC

by

Predestinado. Único. Lição de vida. Exemplo. Eterno Marty McFly (calma, ele foi muito além disso). Faltam palavras para falar sobre Michael J. Fox. Em um mundo onde todo mundo fica de #mimimi por qualquer frescura, e ficam aí chorando e se debatendo porque o Pe Lanza foi preso (você não viu esse vídeo? Ah, vá….), o ator consegue realizar coisas que pessoas ditas saudáveis não conseguem. Como, por exemplo, ter uma vida normal, mesmo convivendo com uma das maiores mazelas que um ser humano pode ter, o Mal de Parkinson.

Michael J. Fox foi diagnosticado com a doença em 1991, ou seja, no auge da sua carreira. Já era um ator conhecido com a popular série Family Ties (NBC, no Brasil, “Caras e Caretas”), atuando como jovem protagonista Alex Keaton (e ganhando um Emmy por esse papel), mas conheceu o auge com a fantástica trilogia de filmes “De Volta Para o Futuro”, sendo um dos atores mais bem sucedidos de sua geração. Tudo apontava para que ele fosse um dos atores mais bem sucedidos de todos os tempos. Mas aí veio Parkinson, que atrapalhou essa trajetória.

Atrapalhou. Mas, no meu ponto de vista, não impediu.

A única coisa que Michael J. Fox fez foi não desistir. Em 1999, a doença atingiu o seu ponto mais crítico. Michael era protagonista da comédia #1 da ABC na época, Spin City. Decidiu deixar a série na quarta temporada, pois ele mesmo reconheceu que era impossível continuar atuando com qualidade. As dores eram constantes, e sua performance estava bem comprometida, por causa dos movimentos involuntários das mãos. Mesmo assim, ganhou mais um Emmy por tornar a série especial. Uma pena para todos nós, que perdemos um grande ator, com um timing de comédia incrível. Mas não por muito tempo.

Nesse meio tempo (até agora), Michael J. Fox decidiu simplesmente viver de forma intensa, e contribuir ao máximo com aqueles que sofriam da mesma mazela que ele (e até outras; afinal, o cara é um exemplo). Escreveu livros, bancou por conta própria um centro de pesquisa para a cura do Mal de Parkinson, passou a viajar pelo mundo arrecadando fundos para esse centro, que já reverte em resultados positivos, com descobertas até mais relevantes que os centros de pesquisa do governo dos Estados Unidos.

Enquanto isso, não abandonou por completo a sua paixão pela atuação. Deu voz ao ratinho Stuart Little em em três filmes, e fez participações memoráveis em séries como Scrubs, Boston Legal, Rescue Me, The Good Wife e Curb Your Enthusiasm. Na maioria dessas participações, ou foi indicado ao Emmy, ou recebeu o Emmy pela sua atuação. Em toda a sua carreira, o ator levou para casa 4 Globos de Ouro, 5 Emmys, 2 SAG Awards, 1 Grammy e 1 Saturn Awards. E isso tudo, com grande parte dessa carreira sob o diagnóstico de Mal de Parkinson.

Se isso não o credencia como um dos melhores de todos os tempos, eu não sei o que mais seria.

Nessa semana, mais uma vez, ele mostra o seu poder, confirmando a sua volta para a televisão, mas de forma icônica, quase inédita na história da TV norte-americana. Ele ofereceu o seu projeto de comédia para os quatro grandes canais abertos dos Estados Unidos (NBC, Fox, ABC e CBS), que disputaram o seu projeto à tapa, sem sequer ver o piloto do programa. Fox teve o direito de escolher com qual canal queria trabalhar, e como se fosse um recado do tipo “vou de novo desafiar a tudo e todos”, decidiu fechar com o quarto canal em termos de audiência hoje, a NBC, mas com um diferencial muito importante: a sua série já tem uma temporada completa garantida de 22 episódios. Repito: sem sequer o piloto ser visto pelos executivos na NBC.

A aposta da NBC é elevadíssima, e muito justificada. Afinal de contas, estamos falando de um dos maiores nomes da TV e do cinema dos Estados Unidos. É a volta ao canal do pavão, onde ele praticamente foi revelado ao mundo. E não me lembro de alguma coisa que J. Fox tenha feito recentemente que tenha se convertido em fracasso. Seu nome é sinônimo de sucesso na mídia, e acredito que essa aposta pode ser o início da recuperação da NBC na TV aberta norte-americana.

Por fim, fico muito feliz ao saber que Michael J. Fox vai novamente compartilhar o seu talento com os telespectadores. Acho que não foi só a NBC que ganhou dessa vez. Todos nós ganhamos. Esse cara é um exemplo para mim e para várias pessoas que sabem de perto o que é ter alguém na família com o Mal de Parkinson (no meu caso, minha esposa sofre dessa doença), deixando as mais claras e honestas lições para todos nós:

“Podemos nos concentrar em nossas perdas pessoais e passar a existência lamentando-as. A alternativa a isso é empolgar-nos com os novos caminhos que preenchem as lacunas criadas por essas perdas.”

“O que eu aprendi lutando contra o mal de Parkinson e fazendo o meu trabalho e sem contar para ninguém sobre isto é que qualquer coisa que eu percebia que estava fazendo, estava fazendo algo mais. Estou lidando com uma situação física. Isto me ensinou a ter grande disciplina e conhecimento do que eu posso esperar de mim mesmo.”

“Isto me fez mais forte. Um milhão de vezes mais sabio. E mais compassivo, eu percebi que eu sou vulnerável, que não importa quantos prêmios eu ganhe ou quanto dinheiro tenha em minha conta bancária, eu posso estar sujeito a isto. O final da história é que você morre. Todos nós morremos. Então, aceitando isso, a questão torna-se uma das condições da vida.”

Bem vindo de volta!