Arquivo para a tag: análise dos indicados

[Raio X Emmy Awards 2013] Melhor Elenco em Série Dramática

by

65th_emmy_awards

O ano de 2013 reuniu elencos com performances combinadas notáveis, que ajudaram a impulsionar as séries dramáticas para outros patamares. Mostraram cinco histórias envolventes, épicas, intrigantes e emocionantes, combinando verdadeiros timaços de atores e atrizes. Ou, em conjunto, mostraram que podem contar grandes histórias, mesmo com um ou dois grandes nomes consagrados.

Downton Abbey (PBS)
Uma série que, com o passar das temporadas, mostrou que estava muito afinada com os membros do seu elenco. Cada um deles cumpriu com a complicada missão de tornar personagens de uma série de época “atualizados”, apresentando carisma, competência e personalidade em cada um deles. É um dos grandes trunfos da série. Ah, e a série ainda conta com Maggie Smith!

Game of Thrones (HBO)
Talvez a série não se destaque por ter um conjunto de grandes nomes, mas merece estar indicada pela complexidade das situações que os atores se envolvem durante as gravações. Não é uma série fácil de se fazer, e o elenco é submetido a situações que podem envolver mais do que a capacidade de interpretar. Poucas séries se valem tanto da força de conjunto como essa.

Homeland (Showtime)
Mais uma vez, o elenco de Homeland é indicada por executarem de forma exemplar o plano de seus roteiristas e showrrunners. Todos os personagens ditos principais receberam indicações esse ano, porque todos eles, de alguma forma, foram relevantes para a construção de uma ótima segunda temporada. Damien Lewis e Claire Danes mostraram ainda mais do que podem fazer atuando. E nessa, até Morena Baccarin se deu bem.

House of Cards (Netflix)
A primeira série dramática online a ser indicada ao Emmy de série dramática recebeu merecidas indicações com o seu elenco. Aqui, destaque máximo para as atuações soberbas de Kevin Spacey e Robin Wright, que ajudaram a trazer todo o restante do elenco para uma merecida indicação. O sucesso da série passou pelos dois, e por todos aqueles que colaboraram em performances impecáveis.

The Good Wife (CBS)
Sempre foi um dos pontos fortes da principal série dramática da TV aberta norte-americana. The Good Wife tem um elenco excelente, muito afinado, e com talentos de grande quilate. O diretor de elenco da série mostra toda a sua competência também quando escala as participações especiais da série, cujos convidados sempre acabam indicados no Emmy Awards.

[Raio X Emmy Awards 2013] Nikita (CW)

by

Nikita

Nikita | CW | Drama | Temporadas: 03 | Indicações: 01 (Melhores Efeitos de Som em Série)

Todo mundo sabe que esse post é o “post do bullying”, logo, fãs de Nikita, levem isso numa boa. Até porque vocês deveriam reclamar com os votantes da Academia de Ciências e Artes Televisivas. Com tantas séries da CW para serem indicadas ao Emmy, eles vão colocar logo Nikita, que será cancelada na próxima temporada, e sem saber quantos episódios vai contar nessa temporada final?

Eu confesso que não me lembrava da série original antes de ver essa nova versão, porém, não iria fazer comparações entre as duas versões. Até porque não iria mesmo perder tempo com isso. De qualquer forma, a CW entendeu que precisava de uma série de ação, fez Nikita, e de certa forma, se deu bem. Na verdade, se deu melhor com o mercado internacional do que no mercado norte-americano.

Nikita (assim como a maioria das séries da própria CW) é exibida em praticamente todos os países onde a Warner Bros. possui algum tipo de representação, sejam por um canal ou por uma parceira de exibição de conteúdo. Logo, a série ficou no ar por esse tempo todo pelos lucros obtidos por essas vendas.

A série está indicada por uma categoria menor… mas está indicada. Desisti de Nikita quando vi a super agente interpretada por Maggie Q se defender de um tiro com uma cadeira comum. Achei demais para mim. De qualquer forma, entendo que, se por um lado, até a CW consegue chegar ao Emmy, por outro lado, outras séries sequer foram mencionadas pela premiação. Ou seja, parabéns para a galera que faz os efeitos de som da série.

E para os fãs, que não desistem nunca.

[Raio X Emmy Awards 2013] Melhor Elenco em Minissérie ou Telefilme

by

65th_emmy_awards

Em uma temporada onde ótimas minisséries e telefilmes estrearam, com produções com qualidade grandiosa e histórias incríveis, nada mais natural que os elencos se destacassem. Nessa categoria, entre freiras, homossexuais, políticos, jornalistas e perdidos… todos se salvaram. Principalmente o espectador, que pode aproveitar o talento em conjunto deles todos.

American Horror Story: Asylum (FX)
Uma temporada soberba, com um elenco espetacular. Não dá para imaginar a temporada Asylum de American Horror Story com outro elenco. Tudo muito redondo, ajustado, sincronizado. É difícil até pensar em alguém que foi abaixo da média. E olha, que tivemos Adam Levine (que mal apareceu) e Dylan McDermot (que muita gente torce o nariz). Favorito na categoria.

Behind The Candelabra (HBO)
Um filme muito bem executado, que contou com Michael Douglas em uma performance surpreendente, e Matt Damon, como um excelente co-protagonista. Talvez não leve essa categoria justamente pelos dois atores se destacarem muito dos demais, mas sempre vale a pena recomendar a produção. Por eles, e pelos demais.

Political Animals (USA Network)
Capitaneado pela competente Sigourney Weaver, o elenco de Political Animals conseguiu colocar o espectador no ambiente da trama, e em algumas vezes fez com que o mesmo participasse da situação exibida na cena, e sem utilizar de recursos como a quebra de quarta parede. Uma trama densa, que falava de política de forma competente, e com um elenco que fazia você se importar com o que estava acompanhando na tela da TV.

The Hour (BBC America)
Sofrendo com a estigma de poder ser comparada a qualquer momento com The Newsroom (mesmo sendo lançada no Reino Unido antes da série da HBO), The Hour tem como um dos seus trunfos a competência do seu elenco, que repete a fórmula de situar o espectador no ambiente onde os acontecimentos da série ocorrem.

Top of the Lake (Sundance Channel)
Com uma proposta peculiar de narrativa, a série contou com o seu elenco em sintonia (e com nomes como Elizabeth Moss e Holly Hunter) para conquistar os votantes do Emmy Awards. Até porque muito da série está na capacidade do seu elenco em ajudar a contar essa história.

[Raio X Emmy Awards 2013] Melhor Programa de Variedades

by

65th_emmy_awards

Uma categoria quase que totalmente dominada pelos talk shows ou programas humorísticos com uma pegada política/jornalística. E o Saturday Night Live como intruso. A cada ano, a categoria que envolve os programas de variedades ganha mais e mais importância para a crítica e o público, principalmente pela relevância que esses programas ganham para o espectador.

The Colbert Report (Comedy Central)
O principal concorrente de Jon Stewart (até porque é considerado um spinoff do The Daily Show). Colbert conseguiu criar uma identidade própria, oferecendo soluções muito inteligentes, utilizando de uma acidez singular e convidados de peso. Sem falar que Colbert é, hoje um dos principais referenciais políticos e culturais dos EUA.

The Daily Show with Jon Stewart (Comedy Central)
O principal concorrente de Stephen Colbert (até porque foi o programa que deu origem ao The Colbert Report). Jon Stewart é “O” cara. Carismático, inteligente, sarcástico e divertido, fez do The Daily Show o talk show de maior prestígio da atualidade. E, mesmo ficando três meses fora para dirigir o seu primeiro filme, o programa não sofreu nenhuma queda na audiência.

Jimmy Kimmel Live (ABC)
O nome de Jimmy Kimmel recebeu muito destaque na ABC nos últimos anos. Apresentou o Emmy Awards 2012, e foi um daqueles que conseguiu fazer algumas das melhores entrevistas da temporada (sem falar nas matérias/paródia, como a do lançamento do iPhone 5). Não é um dos favoritos máximos para vencer, mas vale a pena ficar de olho. Pode ser a zebra “não tão zebra assim”.

Late Night with Jimmy Fallon (NBC)
Foi uma grande temporada para Jimmy Fallon (apesar de sua sitcom, Guys With Kids, ser cancelada pela NBC). Fallon vai assumir o posto de Jay Leno no Tonight Show, produziu alguns dos virais mais vistos da internet, e o seu Late Night melhorou muito nessa temporada. Não deve vencer, mas sua indicação é a confirmação que está entre os melhores.

Real Time with Bill Maher (HBO)
Menos conhecido do público brasileiro, mas muito prestigiado entre os norte-americanos. Por contar com a liberdade naturalmente oferecida pelos canais HBO, pode ousar ainda mais, falando abertamente de temas polêmicos e valer de piadas controversas. Como por exemplo permitir que o ator Zach Galifianakis acendesse e fumasse um baseado durante um debate sobre o consumo de drogas.

Saturday Night Live (NBC)
É o único da lista que não é um talk show, e o que mais justifica o nome “variedades”. O mais tradicional programa de variedades dos EUA é mais uma vez indicado ao Emmy Awards, com uma temporada com participações de peso, mas com desfalques no elenco. Em constante reformulação, o programa de Lorne Michaels continua sendo uma das maiores audiências do canal do pavão.

[Raio X Emmy Awards 2013] Boardwalk Empire (HBO)

by

boardwalk-empire

Boardwalk Empire | HBO | Drama | Temporadas: 03 | Indicações: 10 (Melhor Direção de Arte em Série Single-Camera, Melhor Fotografia em Série Single-Camera, Melhor Figurino em Série, Melhor Direção em Série Dramática, Melhor Penteado em Série Single-Camera, Melhor Maquiagem em Série Single-Camera – Maquiagem Não-Prostética, Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som Em Série – 60 Minutos, Melhores Efeitos Visuais em Elenco de Apoio, Melhor Ator Coadjuvante em Série Dramática – para Bobby Cannavale)

Aqui temos uma das séries multi-indicadas ao Emmy Awards 2013. Mais: temos uma das séries da HBO com múltiplas indicações. Boardwalk Empire estreou como uma das grandes novas séries do canal do “It’s Not TV”, e ainda recebe grande visibilidade da crítica pelos seus aspectos técnicos. Junto ao público, não conheço mais tanta gente que assiste a série.

Particularmente, acho esse processo de “desistência” como algo natural. Séries como Boardwalk Empire não são feitas par alcançar as grandes massas, ou até mesmo para segurar grandes parcelas de espectadores por muito tempo. Aliás, não são séries de audiência. São séries que existem pelo compromisso de fazer trabalhos televisivos de qualidade, com grande apuro técnico, e com a proposta única de fazer TV de forma diferente. Deixam o lado comercial de lado para se focar na arte de captar imagens e contar histórias.

Logo, séries como Boardwalk Empire são importantes para a estrutura de televisão. São séries como essa que despertam o interesse de showrunners, diretores e roteiristas em desenvolver histórias diferenciadas, onde os personagens e suas trajetórias de vida são mais importantes do que o impacto comercial que a série possa produzir, ou o quanto ela pode faturar em uma possível comercialização internacional.

O mais legal é que Boardwalk Empire consegue fazer tudo isso e, de quebra, entregar uma produção grandiosa, muito bem apurada na sua riqueza de detalhes. Afinal de contas, a série reproduz a América das décadas de 1920 e 1930, contando a história do contrabando no passado. E, se vai contar essa história na TV, precisa fazer isso bem feito. No texto e na estética da série.

Boardwalk Empire está mais uma vez participando do Emmy Awards, mesmo sem receber indicações nas categorias principais. Está mais indicada nas categorias técnicas, onde a série vai muito bem. Logo, deve abocanhar alguns prêmios na noite do dia 22 de setembro.

[Raio X Emmy Awards 2013] Melhor Reality Competition

by

65th_emmy_awards

O Emmy Awards 2013 é uma competição. E na categoria focada nas competições da vida real, temos entre os indicados o mundo culinário, o mundo da dança, o mundo da moda, da música e a corrida de volta ao mundo. Curiosamente (ou não), dois dos mais badalados (Survivior e American Idol) não aparecem entre os indicados.

The Amazing Race (CBS)
Considerado por muitos o melhor reality competition da TV, é um multi-campeão do Emmy Awards. Com indicações consecutivas desde a sua estreia, é mais um reality da CBS que ultrapassa a barreira dos dez anos de vida, mostrando a simples, porém, eficiente fórmula de corrida em volta ao mundo. Quem chegar em primeiro, “pode” ganhar US$ 1 milhão (nunca se sabe quando você cometerá uma penalidade na linha de chegada).

Dancing with the Stars (ABC)
Depois de 16 temporadas, se consolidou nas noites de segunda-feira, e só foi ameaçado depois que a NBC apostou em The Voice. E, mesmo assim, mantém uma taxa de audiência elevada, justamente por ser o tipo de programa que aposta em públicos de diferentes taxas demográficas. Resumindo: é o programa “chique vovó” que o norte-americano médio adora.

Project Runway (Lifetime)
O programa pensado em revelar o novo gênio da alta costura mudou estrategicamente de canal, e manteve a sua audiência e qualidade, sendo um dos programas mais vistos pelas mulheres adultas norte-americanas. Se destaca também por indicar pela primeira vez uma dupla de apresentadores (Heidi Klum e Tim Gunn) na categoria de Melhor Apresentador de Reality. Nada mais justo, pois os dois se completam no programa.

So You Think You Can Dance (Fox)
O segundo programa de dança mais visto dos Estados Unidos chega ao Emmy mais uma vez. O programa se mostra competente na tarefa de mostrar os talentos que não tiveram chance na dança, podendo levar artistas genais ao estrelato, através da forma de expressão mais antiga da humanidade. Cat Deeley mais uma vez está indicada como host do programa, que já reproduziu momentos memoráveis para a TV.

Top Chef (Bravo)
Talvez o mais popular reality competition de culinária no Brasil, tem muitos fãs por causa do formato e da qualidade da sua produção. Com desafios culinários bem planejados (alguns deles beirando o absurdo), eles conseguem segurar os espectadores pela mecânica do programa, mas também pelos pratos apresentados. É impossível assistir ao programa sem mastigar alguma coisa.

The Voice (NBC)
Assumiu o posto de melhor reality musical da TV, que antes era de American Idol por quase uma década. Com treinadores carismáticos e muito conhecidos junto ao público, um apresentador com um forte histórico em programas musicais, e um repertório musical mais próximo do público jovem, The Voice se tornou um dos melhores realitys da TV priorizando o que realmente importa em um programa como esse: a música.

[Raio X Emmy Awards 2013] Melhor Apresentador de Reality Show ou Reality Competition

by

65th_emmy_awards

Essa categoria só recebe esse nome tão extenso por causa de uma pessoa. Uma “pessoinha” muito querida por todos, que acabou de entrar para o Guinness Book. Mas em 2013, essa “amiguinha” tem uma concorrência do cara que segurou as pontas na loucura que foi a última temporada de American Idol, uma charmosa modelo, e até um chef de cozinha amargo e rancoroso.

Tom Bergeron, Dancing With the Stars (ABC)
Um favorito de longa data. Após 16 temporadas do “Dança dos Famosos” norte-americano, Tom tem “o tom” (trocadalho do carilho) certo para apresentar o programa, se integrando muito bem ao mesmo, e não se limitando apenas em apresentar os dançarinos. Provocar jurados, animar o público e até dançar são as armas que ele utilizou para ser indicado.

Anthony Bourdain, The Taste (ABC)
Este é o primeiro reality competition de culinária da ABC, e logo de cara, Anthony Bourdain, muito conhecido pelos seus realitys na TV a cabo, já é indicado. Seu tom ácido e sinceridade peculiar foram essenciais para essa indicação, mas podemos dizer que ter ao seu lado chefs renomados como Nigella Lawson, Ludo Lebebvre e Brian Malarkey ajudam a fazer um ótimo programa.

Cat Deeley, So You Think You Can Dance (Fox)
Assim como em Dancing with the Stars, So You Think You Can Dance se vale do talento e versatilidade de Cat Deeley para explicar o seu sucesso. Sem falar que no caso do programa da Fox, tem o “plus” de apenas profissionais (ou pessoas muito boas, mas que não tiveram a sua chance) participam do programa. E Cat comanda o programa com muita competência.

Heidi Klum and Tim Gunn, Project Runway (Lifetime)
Pela primeira vez na história da categoria, temos uma dupla indicada. Heidi Klum já havia sido indicada antes, e para quem acompanha o programa regularmente, era considerado uma injustiça o competente e carismático Tim Gunn não ser indicado como conselheiro dos aspirantes a novos estilistas. Ou seja, o sucesso do show é dos dois. Logo, a dupla mereceu a indicação.

Ryan Seacrest, American Idol (Fox)
Na minha modesta opinião, merece levar o Emmy Awards 2013 apenas e tão somente por aguentar as insuportáveis Mariah Carey e Nicki Minaj por quase um ano inteiro de sua vida. Deixando isso de lado, merece vencer esse ano por ser talvez o único motivo pelo qual as pessoas ainda assistiram ao programa nessa temporada (que, de novo, foi a pior de todas, e com sobras).

Betty White, Betty White Off Their Rockers (NBC)
Betty White já colocou o seu nome na história da TV, e recentemente, está no Guinness Book como a mulher com maior carreira na indústria do entretenimento (74 anos). Off Their Rockers não era bom, Betty mal aparecia no programa, mas… e daí? Todos amam Betty White. E ter ela no Emmy Awards (e na ativa) é algo simplesmente sensacional.

[Raio X Emmy Awards 2013] Melhor Série de Animação

by

65th_emmy_awards

Começamos a nossa análise detalhada das categorias técnicas do Emmy Awards 2013 (até porque faltam apenas dez dias para o Creative Arts Emmys 2013 pela categoria mais descolada da premiação. A Melhor Série de Animação de 2013 pode ser uma veterana, uma vertente de um filme de animação fantástico, ou uma supercampeã do Emmy Awards.

Bob’s Burgers (Fox)
Desponta como uma das boas séries de animação da temporada. Chega à premiação com a credibilidade de três temporadas, devidamente renovada e sólida no bloco Animation Domination das noites de domingo do canal Fox. Porém, é menos favorita que Regular Show e The Simpsons na categoria. Será bem interessante se essa série vencer o Emmys 2013.

Kung Fu Panda: Legends Of Awesomeness (Nickelodeon)
Está na sua terceira temporada no ar, e não dá sinais de perder seu fôlego. Aproveita toda a boa credencial que o longa de animação deixou junto aos fãs, e é hoje uma das animações mais vistas do planeta. Todo mundo ama o Kung Fu Panda (ok, quase todo mundo…), logo, não será surpresa se vencer.

Regular Show (Cartoon Network)
Uma das surpreendentes animações da temporada. Voltada para o público infanto/juvenil/adulto, foi a primeira série da história do Cartoon Network a ter partes de episódios censurados na América Latina, por causa das referências às décadas de 1980 e 1990, e principalmente, pelo humor ácido. Comemoraremos se vencer o Emmy Awards 2013.

South Park (Comedy Central)
A animação “contra tudo e contra todos” segue tirando sarro de todas as celebridades, costumes, culturas, manias e vícios dos norte-americanos. É uma das animações que se transformaram icônicas, onde todos querem ver a cada semana o que vai acontecer com os moradores de South Park, Colorado. Como sempre, é forte favorita a vencer o Emmys.

The Simpsons (Fox)
A maior série de animação de todos os tempos chega ao Emmy Awards 2013 com a perspectiva da vigésima quinta temporada (que começa nesse mês de setembro) ser a última. Logo, é melhor aproveitar que ela ainda existe. Sempre é favorita, apesar de ter perdido força entre a crítica especializada e os fãs de séries. Mesmo assim, é melhor não desacreditar na galera de Springfield.

[Raio X Emmy Awards 2013] Nashville (ABC)

by

nashville-2013

Nashville | ABC | Drama | Temporadas: 01 | Indicações: 02 (Melhor Canção Original – Letra e Música e Melhor Atriz em Série dramática – para Connie Britton)

Essa talvez foi uma das apostas mais seguras da última temporada de séries (2012-2013), e foi uma das poucas séries novas que recebeu críticas positivas de público e crítica. E, em alguns casos, até elogios exagerados por alguns membros da crítica (principalmente dos jornalistas estrangeiros de Hollywood, que colocaram Hayden Panettiere na mesma categoria de Maggie Smith no Globo de Ouro). De qualquer forma, é bom ver Nashville no Emmy Awards 2013.

Como a moda era ter uma série musical no seu canal (todo mundo pegando o vácuo de Glee), a ABC decidiu desenvolver a sua, mas focada no estilo musical mais consumido pelos norte-americanos: o country. Porém, diferente da série musical de Ryan Murphy (claramente voltada para a geração High School Musical) e de Smash (que virou uma viagem de drogado em algum momento), Nashville é uma série mais “pé no chão” no aspecto musical.

Teve a coragem de apostar nas canções originais (algo ousado para uma época onde é muito mais fácil consumir o que já faz sucesso), e a música só aparece na série quando ela realmente precisa aparecer, ou seja, quando os músicos da série precisam mesmo cantar alguma coisa. Além disso, apresenta subtramas que posicionam a série como um drama com o universo musical como plano de fundo, o que ajuda a posicionar o espectador da produção dentro da proposta apresentada.

E isso, porque eu não disse ainda a frase “todos amam a Connie Britton”. E isso é verdade: a atriz é aclamada por crítica e público, e recebe a terceira indicação ao Emmy Awards nos últimos três anos, com três personagens diferentes (2011, Tami Taylor em Friday Night Lights; 2012, Vivien Harmon em American Horror Story; 2013, Rayna James, em Nashville). Ah, e uma curiosidade: ela fez a ótima comédia Spin City (protagonizada por Michael J. Fox) por quatro temporadas (aposto que ninguém se lembrava disso).

Mesmo não sendo tão favorita assim, é bom ver Nashville entre as indicadas. É algo, no mínimo, simpático de se ver.

[Raio X Emmy Awards 2013] Dancing with the Stars (ABC)

by

dancing-with-the-stars-2013

Dancing with the Stars | ABC | Reality Competition | Temporadas: 16 | Indicações: 09 (Melhor Direção de Arte Para Programa de Variedades ou de Não-Ficção, Melhor Coreografia – duas indicações, Melhor Penteado para Série Multi-Câmera ou Especial, Melhor Design de Iluminação/Direção de Iluminação Para Programa de Variedades, Melhor Maquiagem Para Série Multi-Câmera ou Especial – Não Prostética, Melhor Direção Técnica, Operação de Câmera, Controle de Vídeo Em Série, Melhor Apresentador de Reality Show/Reality Competition – para Tom Bergeron e Melhor Reality Competition)

Quando a ABC decidiu deixar de transmitir o Monday Night Football, o tradicional jogo de futebol americano da segunda-feira a noite da NFL (que hoje é exibido pela ESPN, um canal do grupo Disney, que também é dona da ABC) e decidiu exibir um reality competition de dança, muita gente chamou os executivos da ABC de loucos. Porém, oito anos depois, e indo para uma décima sétima temporada, Dancing with the Stars se provou um grande sucesso da TV norte-americana.

O formato do programa combina elementos que as pessoas gostam de ver: dança, celebridades, celebridades fazendo coisas que normalmente não conseguiriam fazer, eliminações, votação popular… as pessoas gostam disso. A ABC acertou na troca. Tudo bem, perdeu em média uns 15 milhões na audiência semanal média (já que o Monday Night Football contava com assustadores 35 milhões de média durante a temporada regular na NFL). Em compensação, conquistou um público mais diversificado, e com maior potencial de voltar a assistir o programa na próxima semana.

Vou explicar. A ABC pode fazer uma temporada de Dancing with the Stars por semestre (algo que não podia fazer com o futebol americano), e hoje, o programa mantém uma audiência média que varia entre 16 e 20 milhões de espectadores. Por semana! Como o programa dura 12 semanas por semestre, é só fazer as contas e ver que a ABC fez um grande negócio.

No final das contas, Dancing with the Stars foi o programa percussor de todos os demais programas de dança na TV. Recebe as indicações ao Emmy Awards 2013 pela competência comprovada com o seu público alvo, e só agora tem a sua hegemonia ameaçada nas noites de segunda-feira por causa do sucesso de The Voice. Com tudo isso, entre perdas e ganhos, podemos dizer que Dancing with the Stars é o programa “chique vovó” que os norte-americanos adoram.

[Raio X Emmy Awards 2013] How I Met Your Mother (CBS)

by

How-I-Met-Your-Mother-season-8

How I Met Your Mother | CBS | Comédia | Temporadas: 08 | Indicações: 04 (Melhor Direção de Arte Para Série Multi-Câmera, Melhor Fotografia Para Série Multi-Câmera, Melhor Edição em Série de Comédia Multi-Câmera e Melhor Maquiagem em Série Multi-Câmera ou Especial – Não-Prostética)

Eu sei. Muita gente vai sentir falta de How I Met Your Mother. Acredite, até eu, que me cansei da série, vou sentir falta. Mas, convenhamos: finalmente vamos conhecer quem é a p*$$a dessa “mãe” que o FDP do otário do Ted Mosby ficou enrolando para contar quem é! Mas, fora isso… vou sentir falta de How I Met Your Mother.

A comédia da CBS entra na sua temporada final após uma jornada bem sucedida de quase uma década no ar. Nunca foi líder de audiência entre as comédias das noites de segunda-feira, mas sempre teve mais audiência que suas concorrentes diretas no seu horário, o que foi o suficiente para manter a série no ar. Aliás, a série também prevaleceu por ser boa, sim.

How I Met Your Mother apresentou ao telespectador um humor leve, com sacadas ágeis, com muitas referências à cultura pop, metalinguagens e um sistema de narrativa que, em muitas vezes, amarra muito bem os pontos abertos ao longo do próprio episódio. Você pode encontrar episódios ruins na série, mas poucas vezes eles são concluídos de forma absorta, ou sem uma coerência dos acontecimentos quando todos os pontos são conectados.

Apesar de se tornar em um determinado momento a série “Barney e Seus Amigos”, How I Met Your Mother também tem como ponto positivo contar com personagens muito bem definidos e carismáticos desde o começo. Você compra o piloto da série com facilidade, e se importa com os personagens muito rapidamente. Tudo bem, você pode achar Lily insuportável e Robin bem chata em algumas oportunidades. Mas esse é o objetivo dos roteiristas, ou seja, o bom trabalho está feito aqui. E, mesmo assim, você volta a se apegar a todos eles, como os amigos que você quer ter por perto.

No Emmy Awards 2013, How I Met Your Mother está indicada apenas em categorias técnicas. Talvez faça falta uma indicação ao Neil Patrick Harris, ainda mais no ano que ele vai apresentar a premiação. Porém, esse talvez seja o principal sintoma que a série perdeu o seu folego com o passar dos anos. Antes, Harris era nome certo entre os indicados em Melhor Ator Coadjuvante.

De qualquer forma, é a penúltima vez que veremos a série na premiação. Muitos afirmam que How I Met Your Mother é uma “evolução” de Friends. Particularmente, discordo. Até porque Friends é uma das melhores comédias de todos os tempos, com um impacto absurdo junto ao público e crítica. Porém, não tiro o mérito de HIMYM contar a história dos amigos por uma perspectiva diferente, com alternativas diferentes, e sacadas ótimas.

Logo, How I Met Your Mother não é melhor que Friends. Mas vai fazer tanta falta quanto, para muita gente (eu, inclusive).

[Raio X Emmy Awards 2013] Falling Skies (TNT)

by

The Falling Skies Gallery

Falling Skies | TNT | Drama/Ficção Científica | Temporadas: 03 | Indicações: 01 (Melhores Efeitos Visuais)

Particularmente, Falling Skies é uma daquelas séries que está na minha lista do “um dia, eu vou dar uma chance para essa série”. Todo mundo sabe o quanto é difícil uma série de ficção científica dar certo na televisão, e eu entendo que as chances de uma série com esse tema são maiores na TV a cabo, tal como acontece com essa série. E, aos poucos, a produção protagonizada por Noah Wyle consegue garantir aquilo que outras não conseguiram: a tal longevidade no ar.

A promissa da série é bem interessante. Tá, você pode até dizer que “sabe” o que os alienígenas querem na Terra (escravizar a raça humana e colonizar o planeta, além de explorar as riquezas naturais e pegar nossas mulheres…). Mas… será que sabe mesmo? É no mínimo suspeito buscar crianças e adolescentes para suas iniciativas misteriosas. Sem falar na natural batalha entre humanos e aliens, que não conseguem coexistir de forma muito pacífica.

Entendo que, se bem conduzida, temos todos os elementos básicos para agradar os fãs das séries do gênero. E, pelo visto, o público do canal TNT comprou essa ideia. A série foi renovada para a quarta temporada sem muitas dificuldades, além de ser uma das primeiras séries do canal a garantir uma renovação para uma temporada adicional.

No Emmy Awards 2013, Falling Skies está indicada na categoria de Melhores Efeitos Visuais. Eu considero essa uma categoria meio “crítica”, uma vez que as pessoas estão cada vez mais assistindo esses conteúdos em alta definição, e as falhas técnicas ficam cada vez mais evidentes (vide em Once Upon a Time). Por outro lado, é bom saber que existe ao menos uma série desse gênero indicada ao Emmy.

Afinal de contas, vejo os fãs de Sci-Fi reclamarem que as produções desse gênero ficam esquecidas (ou relegadas ao Saturn Awards)… logo, toda exceção dessa regra é bem vinda.

[Raio X Emmy Awards 2013] Late Night with Jimmy Fallon (NBC)

by

late-night-with-jimmy-fallon

Late Night with Jimmy Fallon | NBC | Talk Show/Programa de Variedades | Temporadas: 05 | Indicações: 01 (Melhor Programa de Variedades)

Jimmy Fallon é um dos queridinhos da NBC. Aliás, será ainda mais na temporada 2014-2015. Para começar, um dos mais bem sucedidos ex-membros do elenco de Saturday Night Live conseguiu salvar uma carreira não tão bem sucedida assim com um talk show que ia ao ar nos Estados Unidos, depois da meia-noite (antes, a NBC queria que fosse ao ar depois da 1h da manhã, mas Conan O’Brien não aceitou isso – e outras coisas), e mesmo assim, conseguia muita audiência. E isso, só Jimmy Fallon poderia conseguir.

O comediante conseguiu montar um talk show irreverente, jovial, e com uma forte conexão com uma audiência que os demais programas não exploravam: com o público da internet. Começou a promover esquetes e virais pensadas nessa audiência, que “assistia” (ou melhor, ouvia) o seu programa enquanto navegava na internet ou criava o seu novo aplicativo para smartphone.

Além disso, diversas ações do programa aproveitaram a audiência da internet para vingarem no programa, sem falar que Fallon é o apresentador de talk show que mais interage com os seus espectadores nas redes sociais. O que naturalmente ajudou a aumentar ainda mais a audiência do programa.

Resultado: o programa de Jimmy Fallon se tornou líder no seu horário na TV aberta, e a partir da temporada 2014-2015, a NBC vai apostar nele para assumir o seu talk show principal, que antes era de poder de Jay Leno, que deixa o canal no final da próxima temporada (2013-2014). Um grande prêmio para a chance dada à Fallon pelo canal. Algo que ele soube aproveitar muito bem.

Late Night with Jimmy Fallon está devidamente indicada na categoria de melhor programa de variedades. Não é a favorita para vencer (já que Stephen Colbert e Jon Stewart são os favoritos máximos), mas receber uma indicação ao lado dos grandes talk shows norte-americanos é uma vitória para Fallon e para a NBC. Com apenas cinco temporadas, Fallon volta para o horário nobre, e a NBC pode ter novamente um talk show líder de audiência.

[Raio X Emmy Awards 2013] Nurse Jackie (Showtime)

by

nurse-jackie-season-5

Nurse Jackie | Showtime | Comédia | Temporadas: 05 | Indicações: 05 (Melhor Elenco Para Série de Comédia, Melhor Mixagem de Som Para Série de Comédia, Drama ou Animação de 30 Minutos, Melhor Ator Convidado em Série de Comédia – para Bobby Cannavale, Melhor Atriz Coadjuvante em Série de Comédia – para Merritt Wever, Melhor Atriz em Série de Comédia – para Edie Falco)

No seu começo, Nurse Jackie era vista como uma das melhores coisas que a Showtime colocou na sua grade de programação, assim como The Big C e United States of Tara. Porém, as outras duas foram encerradas, Nurse Jackie ficou, e quando todo mundo esperava que após Jackie Peyton ser pega por todos seria punida de forma adequada (ou, no mínimo, sofrer as consequências)… absolutamente nada aconteceu. E aí, as coisas começaram a fugir de rumo.

Eu conheço muita, mas MUITA gente que abandonou Nurse Jackie depois que marido, chefe e amigos (e principalmente, roteiristas) simplesmente ignoraram que Jackie tinha problemas, mentiu e enganou um monte de gente (incluindo marido e filhos), mas só foi sofrer as consequências disso muito depois, só quando a casa quase cai. Aí, a clínica de reabilitação era a única alternativa. Mas nisso, uma temporada inteira se passou. Com Jackie passando quase ilesa.

De qualquer forma, a série continua aí, firme e forte, e com muito prestígio entre os votantes do Emmy Awards 2013. São cinco indicações, e algumas em categorias importantes. Incluindo Edie Falco, como melhor atriz de comédia. Algumas pessoas se cansaram de Falco por conta dela fazer a mesma cara, as mesmas coisas, e na esperança que outros merecessem ser mais indicadas que ela.

Por outro lado, Edie Falco é uma das atrizes de maior prestígio de Hollywood, e se Nurse Jackie se perdeu, a culpa não é dela. A mesma regra vale para Merrit Wever, que começou na série como uma tímida coadjuvante, para depois de cinco temporadas, fazer um personagem muito interessante, com personalidade, porém, surpreendente ao mesmo tempo.

Eu até tenho vontade de voltar para Nurse Jackie. De verdade. Quem sabe um dia…

[Raio X Emmy Awards 2013] Jimmy Kimmel Live (ABC)

by

jimmy-kimmel-live

Jimmy Kimmel Live | ABC | Talk Shows/Programas de Variedades | Temporadas: 11 | Indicações: 04 (Melhor Direção Para um Programa de Variedades, Melhor Direção Técnica, Operação de Câmera e Controle de Vídeo em Série, Melhor Roteiro Para Série de Variedades, Melhor Série de Variedades)

O único dos talk shows da TV aberta norte-americana a ser exibido ao vivo para o seu telespectador, Jimmy Kimmel Live entrega uma sólida audiência nas noites da ABC. Não é a líder de audiência no seu horário, mas mesmo assim, tem um grande destaque na TV. Tanto, que Jimmy Kimmel conseguiu capitalizar não só com o programa, mas com a confusão causada pelos canais com os outros programas de talk show.

Deixando de lado as trapalhadas promovidas pela NBC (por exemplo), Jimmy Kimmel é um cara de respeito. Aliás, obteve o respeito dos adversários e, principalmente, das celebridades, que adoram ir em seu programa. Talvez pela tensão de viver o imprevisível no seu programa. Não que as coisas sejam insanas em Jimmy Kimmel Live, mas isso algumas vezes acontece. Mas, em geral, o programa é bem competente.

Jimmy Kimmel recebeu ainda mais visibilidade na mídia nos últimos meses. Não só as entrevistas sensacionais que foram feitas, mas por também ser o último apresentador do Emmy Awards (2012), quando a ABC exibiu a premiação. Logo, é um dos programas que os norte-americanos adoram. Pelo programa, e pelo próprio Jimmy Kimmel.

No Emmy Awards 2013, são quatro indicações. Mesmo com saldo positivo com a crítica e o público, é muito complicada a missão de Jimmy Kimmel Live. Afinal de contas, o programa está na mesma categoria dos favoritos máximos The Daily Show with Jon Stewart e The Colbert Report. Mas… nunca se sabe, não é mesmo?

[Raio X Emmy Awards 2013] Family Guy (Fox)

by

family-guy-2013

Family Guy | Fox | Comédia/Animação | Temporadas: 11 | Indicações: 02 (Melhor Performance de Dublagem ou Narração – para Alex Borstein e Seth MacFarlane)

Considerada por muitos a melhor série de animação da atualidade (mesmo sem ter o mesmo brilho de antes), Family Guy ainda está forte no bloco Animation Domination das noites dominicais da Fox. Das séries hoje no ar no horário nobre do canal da raposa, é a que dá mais audiência, e por causa dela, Seth MacFarlane está expandindo os seus tentáculos na TV e no cinema dos Estados Unidos.

Nem vamos falar muito do filme Ted, pois esse se consolidou como um dos maiores sucessos do cinema. MacFarlane conseguiu migrar American Dad para a TBS (isso vai acontecer na próxima temporada), e mesmo perdendo The Cleveland Show (por enquanto; ela pode ser migrada para o Cartoon Network), a série da Família Griffin foi suficiente para que ele vendesse mais um projeto para a Fox, a série de gosto duvidoso, Dads.

Mas… o que torna Family Guy tão popular assim?

Simples: ela é ácida, ousada, irreverente, corajosa. É tão sem noção, que acaba sendo uma fórmula completamente diferente de se fazer uma série de animação. Aliás, MacFarlane se vale disso (e de algumas boas doses de maconha na cabeça) para expandir as ideias da série, não colocando limites para os argumentos. Poucos podem dizer que podem se dar ao luxo de colocar “qualquer argumento” na tela da TV, e ter a certeza que vai dar certo. Porque as pessoas vão gostar.

Pois, mesmo sem fazer nenhum sentido, faz total sentido dentro daquele universo. Afinal de contas, estamos falando da família Griffin.

As duas indicações de Melhor Dublagem são merecidas e justificadas. Os trabalhos de Borstein e MacFarlane são incríveis (aliás, MacFarlane pode imitar personagens em uma quantidade que poucos conseguem). Porém, a competição é dura. Além de Lily Tomlin narrando um especial para a HBO, temos um colega de elenco de MacFarlane em Family Guy como outro indicado: Seth Green, por Robot Chicken. E ele já venceu esse prêmio algumas vezes.