It - A Coisa

A nova adaptação de It – A Coisa está indo muito bem na bilheteria. O segundo filme, que dá um salto no tempo de 27 anos na narrativa já foi confirmado. Porém, o primeiro filme deixa de fora uma cena do livro de Stephen King que já dá o que falar.

A orgia infantil que King incluiu no filme logo depois que o grupo derrota o monstro foi removida. Nesse momento do livro, Beverly propões que todos tenham sexo com ela como ato necessário para eles voltarem a se unir e encontrar assim a saída dos túneis.

King descreveu em detalhes a cena que, dentro do contexto do livro, funciona. Porém, nem na minissérie de 1990, nem no filme recém estreado, a cena é incluída. E nos dois casos foi uma decisão acertada.

Certas coisas dentro da imaginação do leitor podem se encaixar, mas quando traduzidas em imagens, é quase impossível fazer isso de forma bem feita. E este é um caso claro do que quero dizer.

 

 

King já foi questionado por diversas vezes sobre a necessidade de colocar algo assim em seus livros, e ele nunca hesitou em defender a sua visão criativa.

Para King, a ideia nunca foi pensar no aspecto sexual da situação, já que o livro lida com a infância e a idade adulta. Os adultos não se lembram de sua infância (boa parte deles), nem do que fizeram ou pensaram no que fizeram. Na narrativa, o ato sexual conectava a infância com a idade adulta e seus conhecimentos. Mas reconhece que os tempos hoje são outros, e que as pessoas agora estão mais sensíveis à essas ideias.

King hoje reforçou suas declarações dos últimos anos, e afirmou que não se envolveu de nenhuma forma nesse decisão da cena ficar de fora de It – A Coisa.

 

“Gostaria de adicionar que é fascinante que tenham comentado muito mais uma simples cena de sexo e muito pouco sobre os múltiplos assassinatos de crianças. Isso deve significar algo, mas não estou certo do quê.”

 

 

Também não podemos nos esquecer dos problemas que King passou com o álcool e as drogas naquela época. Talvez ele tenha passado um pouco do limite em sua descrição justamente pelo efeito dessas substâncias. Mesmo assim, era um ato imprescindível dentro da mitologia planejada.

Por outro lado, King tem razão ao destacar que se fale tanto de algo tão pontual em uma história com tantos outros absurdos. OK, o sexo entre menores de idade ainda é um tema tabu, e a discussão é muito delicada, levando em conta o cenário geral e o estilo do escritor para abordar esse tipo de cena.

E você? O que acha de tudo isso?

 

Via Movie Pilot