Eu confesso que pouco vi ou ouvi de Splitting Up Together, mas se está nessa série de posts ‘renova ou cancela?’, é porque está em risco. Por isso, vamos aqui tentar descobrir se a comédia da ABC merece sobreviver ou ser cancelada para dar espaço ao novo.

Os fãs que me desculpem, mas só vou tentar trazer um pouco de luz para a discussão.

 

 

A SÉRIE: Splitting Up Together (2a temporada, ABC)

 

Por que salvar?

A segunda temporada da sitcom romântica de Emily Kapnek (Suburgatory) foi tão bem vinda quanto a primeira, entregando um final feliz/novo começo para Lena (Jenna Fischer) e Martin (Oliver Hudson), casal que ainda não aprendeu como ser casados até que eles começam a colaborar um com o outro depois de optarem pelo divórcio. De fato, o casal fica tão junto, que nem parece que se separaram.

 

 

Por que cancelar?

Até agora, a segunda temporada de Splitting Up Together possui uma média de 2.9 milhões de espectadores, além de uma demo 18-49 anos de 0.7, registrando uma queda em comparação com a primeira temporada, e com uma menor taxa de retenção de audiência de Black-ish (82%, contra 100%). Até agora, é a mais baixa audiência entre as comédias da ABC que não são exibidas nas noites de sexta, e entrega a segunda menor audiência de qualquer programa do canal.

Mas… espere. Tem mais!

Por mais que Lena e Martin estejam bem na série, há poucos investimentos nas histórias paralelas, incluindo a gravidez da irmã de Lena. Então, talvez o novo começo de Lena e Martin pode parecer um final feliz, mas também pode representar o final da série, uma vez que a mesma não tem a capacidade de seguir evoluindo em sua narrativa.

Splitting Up Together, por mais carisma que pode ter com a sua pequena base de fãs (sim, pequena mesmo com 0.7), pode chegar ao fim porque basicamente deu o que tinha que dar com apenas duas temporadas.