Nessa edição, revisamos os comentários dos dois últimos episódios do SpinOff Podcast, comentamos as últimas notícias do mundo da TV (inclusive o “espetacular” piloto de Wonder Woman), e temos um desafio feito por Vana Medeiros para os ouvintes. Ela quer que alguém defenda Game of Thrones com argumentos, justificando por que a série não é rasa e superficial (ouvintes, vale o esforço). Enquanto isso, Eduardo Moreira só se diverte, bebendo suas bebidas na beira da praia, tranquilamente.

Links do episódio:

TargetHD.net
Spoiler Cotidiano
Blog de Eduardo Moreira

Entre em contato conosco:

Clique aqui e acesse a nossa área de contato
Veja as Dicas de Compras do SpinOff
Twitter: @SpinOffcombr
Facebook do blog: facebook.com/SpinOffcombr

Feeds do Podcast

Feeds: RSS e iTunes

Comentários

Comentários

COMPARTILHAR

45 COMENTÁRIOS

  1. Olá!

    Então, eu entendo totalmente a Vana Medeiros.

    Só pra esclarecer, eu não li os livros.

    Game of Thrones, realmente, é impecável no capricho da produção, como as pessoas realmente parecem estar há 20 dias sem tomar banho, os efeitos especiais e tudo o mais. Isso ninguém discute.

    Mas sim, Game of Thrones não é tão espetacular assim. Assisti o primeiro episódio e nao gostei muito. O segundo e o terceiro, eu gostei. A partir daí, eu ia assistindo e pensando: jura? Nossa, que surpreendente /not.
    Terminando a primeira temporada, fiquei vislumbrado pelos efeitos especiais e a execução técnica da série. Mas o enredo, pra mim, tem muitos furos e muitos problemas de execução. Sou partidário da tese que acha que adaptar fielmente um livro não significa adaptar a sucessão dos fatos EXATAMENTE como está no livro, como as pessoas vêm dizendo que está sendo feito. Uma adaptação de um bom livro é a que faz um filme ou série que sejam coerentes com a história mas que se adaptem à nova forma de mídia. Muitos dos enredos se mostraram, até agora, totalmente inoportunos. O da muralha, por exemplo. Pra quê? Que coisa mais chata! Me disseram que só vai ter importância lá pro terceiro livro. Então, por que diabos tem que gastar tanto tempo falando dele na PRIMEIRA temporada? E outra, essa temporada serviu pra quê mesmo? Arrumaram, arrumaram, arrumaram uma guerra e no fim, ops, a guerra não veio. Mas que inútil!

    Assim, pra mim, GoT é uma boa série pra se ver (com os olhos mesmo, não com o cérebro). É até legalzinha. Mais não é a coisa mais surpreendente e arrebatadora que existe, nem tão genial assim. Baixemos um pouco a bola, que não é essa coca-cola toda não.

    E quanto a The Killing, achei ótimo não ter revelado assassino. Ah, vá, série não é filme, não tem que ter um enredozinho encaixadinho igual filme que acaba em duas horas. Já tá renovada pra segunda temporada. Tá super certo.

    Por último, vão me xingar aqui, mas assisti Twin Peaks nessas férias e não achei tão bom assim. Acho que minhas expectativas estava tào altas que assisti com a cara de, hein, nã? A primeira temporada, ok, é legal, os personages exóticos são legais, mas a segunda temporada desanda totalmente e vira uma chatice, na minha opinião. Ficou meio sem sentido.

    • The Killing era muito bom mesmo quando ainda se chamava Twin Peaks, mas depois que trocaram o elenco sensacional por um mediocre e o pratagonista por uma parede deu no que deu, virou esse lixo.

  2. Olá Moreira e Vana.

    Eu vou colocar aqui meu ponto de vista sobre Game of Thrones. Eu não acho que seja a "última bolacha do pacote", mas acho genial sim dentro do gênero de fantasia.

    Não acho que tenha sido tão previsível quanto a Vana fala, mas que tenha se tornado previsível pela quantidade de comentários que tiveram antes e durante a série. Esse papo de "não se apegue a ninguém que todo mundo pode morrer" prejudicou a série, na minha opinião, claro.
    Quantas séries, livros ou filmes matam o que a maioria compra como personagem principal logo na primeira temporada (ou melhor, com 1/7 da história percorrida). Não que não existam, mas são poucos. Mas, como disse, com o comentário de "todo mundo morre" fica previsível.

    Não acho que os personagens sejam previsíveis e dou um exemplo para não ficar longo o comentário. O próprio Ned ele deixa pra trás tudo o que foi construido sobre o personagem ao falar que traiu o rei e que quis pegar o trono pra ele. O Ned é construído como um personagem íntegro e que a honra é tudo pra ele, inclusive na conversa a seguir, entre Maister Aemon e Jon Snow, eles deixam esse caráter do Ned claro.

    Maister Aemon: Se o dia chegar em que seu pai, Lorde, for forçado a escolher entre honra em uma mão e aqueles que ama na outra. O que ele faria?
    Jon: Faria o que fosse certo. A qualquer preço.
    Maister Aemon: Então Lorde Stark é um em 10 mil.A maioria de nós não é tão forte.

    E no fim Ned deixa a honra de lado e fala que é culpado, imaginando que isso iria salvar ele, mas no fim deu errado, como sabemos, já que Jeff não cumpre o que disse (ou cumpre da maneira que ele interpretou).

    Essa é minha defesa da série. Como disse, não é a última bolacha do pacote, mas se assistido sem nada de spoiler, ela não é previsível.

  3. Podcast bombastico. Gostei muito to com muita, a maioria dos comentarios foram sobre Game of thrones eu ainda não assisti porque nao tive tempo,mas vou começar a assistir porque uma serie que os dois podcaster do spin of divergem em opiniões deve ser merecida de assistir. Moreira você disse que não tem como a categoria de melhor ator de comedia piorar, mas discordo, se todos esse mais Matthew Morrison fosse, indicado, seria
    E por favor Chuck Lorre e CBS, intetegrar o personagem do Ashton Kutche assim, dizendo que é o Charle é uma lastima para inicio de uma nova fase no Two and a half men.
    Eu diria que vocês guardaram o pior para o fim do podcast, piloto de wonder women é vergonhoso, afinal ainda uma pequena sensatez nos execiutivos da NBC. Bom podcast como sempre muito divertido, e boa sorte Vana Medeiros a enfrentar os fãs de Game of Trhones.

  4. Acho que alguém não esta entendendo Game Of Thrones… kkkkkkkk Como se já não bastasse o antigo membro Zuil não entendendo Fringe ou o Moreira não entendendo The Cape (se bem que não tem nada pra entender naquela MERDA, se alguém entender alguma coisa daquilo se mata pois há alto riscos de sofrer de sérios problemas mentais). Eu não ouvi o podcast ainda (na verdade eu terminei de assistir a temporada ontem), mas assim que eu terminar eu volto a comentar aqui. Continuem com o bom trabalho, pois o podcast de vocês é sencacional!

    Ps: A todos os xiitas de The Cape ou Vana Medeiros, é só uma BRINCADEIRA, portanto não venham encher o meu saco. Se bem que.. toda brincadeira tem seu fundo de verdade né?! =D

  5. SPOILERS GAME OF THRONES

    A questão é. Vocês acham que uma partida de xadrez é surpreendente?
    As peças sempre se movem igualmente. Mas os modos como se movem é que interessam.
    Acho que essa é a qualidade da história. Você sabe que o anão vai se safar, o surpreendente é o como (julgamento por batalha? porrada antes da batalha?)

    E a surpresa a que as pessoas se apegam é a ausência do Deus Ex Machina que salva o mocinho no final. Tudo porque o recurso foi exaustivamente usado nas mídias por anos e anos. O surpreendente é a quebra do status quo, não por terem inventado algo.

  6. Não compro a idéia de previsibilidade, basta escrever o estado inicial e o estado final de cada personagem que tal tese cai completamente por terra sem esforço algum.

    Em particular, a técnica do "Descarte do Protagonista" (TM) não é convenção épica em tempo algum e serve ainda como um brilhante comentário metalinguístico sobre tal universo ficcional.

    Ainda que Thrones não seja de modo algum descontrutiva per se, chamá-la simplesmente de "mais do mesmo" é completamente absurdo e virtualmente irresponsável. Por exemplo, a conversa entre o rei e a rainha em "The Wolf & The Lion" é melhor drama humano, é mais profunda e sofisticada do que a primeira temporada inteira de "The Big C" ou de qualquer das últimas temporadas das dramédias do Showtime por falar nisso.

    E por falar em clichê, aquele que mais chama atenção é a do crítico que: "acha superficial, mas exalta os valores de produção". Simplesmente não é o bastante e Thrones merece mais do que tal tratamento.

    Abraço
    Castanheira

  7. Sobre The Killing: Vejam o original (de boa para ótima série) e vocês vão ter ideia da bagunça que a Veena Sud fez com o material…

    A versão americana é completamente descartável!

  8. Ok Vana! Vou tentar atender sua necessidade de argumentação.

    Sua principal crítica é superficialidade. Trama e personagens rasos, previsíveis, sem profundidade. No último podcast reforçou de novo a linha de que se trata de “dinheiro x inteligência”, “cérebro x estética”.
    E eu me sinto pessoalmente envolvido neste caso, pois sou psicólogo e olhar para a trama e os personagens é primordial para mim, seja em séries, filmes ou livros. É o que mais gosto, o que mais me interessa e, mesmo que não fosse pela apreciação da arte, acabaria sendo pela profissão.

    Então vamos lá, vou começar usando como argumentação o raciocínio da comparação.
    (Vou postar mais dois comentários, um sobre os personagens e outro sobre a trama)

  9. Personagens (1/3)
    Se compararmos com O Senhor dos Anéis (que eu amo, acho uma obra fantástica, maravilhosa, excelente, etc.), onde é quase um consenso que, excetuando-se talvez uns 4/5 principais, todos os demais personagens são bastante planos, temos Legolas, Gimli, Merry, Pipin, Arwen, ente outros, que fazem parte do elenco mais atuante da história, porém são completamente unilaterais. Esses são sim rasos e por quê? Principalmente porque não possuem (ou não é mostrada) uma história, não sabemos do desenvolver da vida dessas pessoas, o que seria essencial para entendermos sua personalidade e motivações que então, quando confrontada pelos eventos da aventura, perceberíamos e nos identificaríamos (ou não) com os conflitos deles no momento de tomar as decisões.
    É exatamente o que aconteceu em Lost (e nisso até o Moreira vai concordar comigo), que desenvolveu profundamente os personagens, principalmente com que recurso? Os flashbacks nos mostrando como aquelas pessoas se formaram e isso nos permitiu entender quais seus interesses, desejos, sonhos, preferências, culpas e fazer com que nos conectássemos e vivenciássemos com eles os conflitos pelos quais passaram.

  10. Personagens (2/3)
    Dito isso, coloco GoT muito mais na segunda categoria. É óbvio que não é igual a Lost, até porque foram apenas 10 episódios, mas se pegarmos a maioria dos personagens, veremos que fomos conhecendo um pouco da história e do contexto pelo qual cada um passou/passa e os conflitos e motivações deles (diferente de Legolas/Gimli que eram o estereótipo do guerreiro e pronto).
    Vou pegar um exemplo: Jon Snow. Ele tem o estigma do bastardo, não sabe nada sobre sua mãe e é tratado com desprezo pela madrasta, ou seja, é um adolescente que só conheceu a rejeição da maternidade, que é um aspecto importantíssimo para a formação do ser humano. Por outro lado é tratado como um verdadeiro filho pelo pai e tem o respeito dos irmãos, o que o ajudou a desenvolver alguns pontos fortes (coragem, determinação, habilidades de combate, etc.) nos quais investe e procura se focar, evitando lidar com aquilo que é a sua ferida (vide cena em que é confrontado pelo Tyrion). E aí no meio de tudo isso, ele é colocado diante de um dilema: o chamado para toda uma vida na Muralha, onde tem uma chance de ser aceito e se destacar por suas habilidades, contrapondo a situação na casa Stark onde, por mais que se esforce, nunca será plenamente reconhecido.

  11. Personagens (3/3)
    Agora, é sério Vana, vamos lá: esse é um personagem raso? Sem profundidade? Plano? Sem conflitos, motivações, ambigüidades? É alguém totalmente previsível? E é apenas um dos exemplos. Poderia citar e entrarmos nos detalhes de tantos outros como Tyrion Lannister, Catelyn Stark, Daenerys Targaryen, o próprio Ned e até mesmo a rainha Cersei, que você tantas vezes chama de “A Rainha Malvada”, que é sempre má. Poxa, admito que a Lena Hadey possa não ter ajudado muito, mas a personagem, com certeza, não é apenas má. Muito pelo contrário, lembre das cenas em que ela dialoga com o irmão, o filho e com o Ned, onde temos informações sobre sua história e sua atual situação, que ela vive através da dissimulação.

  12. Trama (1/2)
    O outro grande ponto, a trama. Eu diria que uma trama mais rasa, simples, linear seria, por exemplo, a do filme Avatar do James Cameron (estou usando comparações no gênero da fantasia). A linha narrativa é basicamente direta, contínua. Não existem quase nada acontecendo em paralelo. Os humanos precisam de um determinado minério e precisam invadir um planeta que é cheio dele. Para isso, infiltram um agente no meio dos nativos, buscando informações estratégicas militares, porém o agente se apaixona por uma nativa e troca de lado, ajudando o povo local a vencer a batalha no final. Ponto. É simples. O que vai tornar uma história mais complexa? Basicamente poderia citar o desenrolar de sub-tramas, além do acréscimo de mais variáveis na trama principal e é exatamente o que Game of Thrones tem, e de sobra! Sendo a trama principal a guerra pelo trono de Westeros, vemos que ela tem muito mais variáveis, não são apenas dois opostos, inimigos declarados, pelo contrário, são várias casas nobres com possibilidades de aliança e desavenças, sempre permeadas por decisões específicas de pessoas não tão poderosas, mas influentes e, além de tudo, com plot twists espetaculares.

  13. Trama (2/2)
    Ou vai me dizer que você já sabia que iriam declarar o Robb como Rei do Norte? Ou que Drogo ia morrer e Daenerys iria conseguir dragões? E quanto à sub-tramas, é o que também não falta: a Muralha e a ameaça iminente dos Outros, o segredo de Ned e sua irmã falecida, os sonhos de Bran, o desenvolvimento do “protegido” Theon Greyjoy, e as resoluções inesperadas de Tyrion Lannister, etc.

    Para finalizar: Vana e Moreira, eu amo debater e isso aqui já ficou um texto gigante, até inviável para postar e ser lido. A Vana reclamou que ninguém defende com argumentos, mas é complicado fazer uma defesa coerente em comentários no post. Sendo assim, eu aceitaria felicíssimo um convite para conversar com vocês mesmo que não fosse para gravar e se tornar um episódio do Spin Off.

    Obs.: E só pra constar Vana, você lembrou a crítica do Fábio Barreto sobre a série, mas o pensamento dele é muuuuuuito diferente do seu. A crítica dele segue outra linha e falarmos sobre isso já uma nova discussão… rs

  14. Boa Ronaldo
    Depois dessa espero alguma resposta da Vana, já que realmente o Fábio Barreto tem uma opinião bem diferente.

  15. Dae galera!

    Só duas coisas, já que tá pegando fogo por aqui:

    1) GOT pra mim está sendo uma experiência diferente no que se refere a seriados. Estou lendo os livros depois de ver os episódios. Essa relação está sendo fantástica. A cada capítulo, que genialmente conta a história de um personagem, eu consigo ver e até ouvir as pessoas vivendo aquele episódio. Pra mim isto não tem preço.

    Com relação à trama, pode até ser que não seja genial, mas é diferente de tudo que já se fez. Outra coisa, o próprio autor do livro é um dos roteiristas da série, o que traz uma adaptação totalmente fiel. Os livros nesse caso são um complemento à profundidade e beleza da série. Pouquíssimas coisas ficaram diferentes e com certeza isso teve um motivo particular para o autor. Isso a torna especial.

    Deixo aqui ainda a sugestão do excelente podcast sobre a série: http://cinemasmorra.com.br

    2) Com relação as comédias gringas e brasileiras, acho que reflete exatamente o que se vive em cada país. Por lá as piadas são piadas. Aqui as piadas são ofensas.

    Grande abraço!

  16. Olá Eduardo e Vana.

    Aqui vai minha opinião, de quem leu os dois primeiros livros d'As Crônicas de Gelo e Fogo (muito recentemente, aliás) e também ví o seriado.

    A série tem uma puta de uma produção, e isso já é grande coisa para um show de TV hoje em dia. Tem lá a sua história de fantasia (que não é grande coisa) em um mundo próprio. Eu, minha pessoa, com uma opinião de merda (como dizem no MRG) digo que foi uma BOA temporada. Sim, me divertí pra caramba, gastei com muito prazer uma hora por semana em frente à TV. O livro (que também não acho lá essas coisas) foi muito bem adaptado, claro que algumas coisas foram deixadas de lado mas a história está lá, é aquilo alí mesmo e pronto.

    Acaba aqui minha opinião, a série e o livro (repito, na minha opinião) é só isso. Mas é aí que a minha diversão começa a ser afetada e a merda acontece… Game of Thrones não é a melhor coisa já feita pra TV, Game of Thrones não é a melhor série em exibição, também não é o melhor programa em exibição na TV à cabo, e aliás, não é nem o melhor seriado sendo exibido na HBO atualmente!

    Esse "endeusamento" (?) desnecessário me faz parar pra pensar no que as pessoas estão assistindo, sério. Eu acho que o que eu assisti foi outra coisa, não pode ter sido essa maravilha, o masterpíece da HBO chamado Game of Thrones.

    Me desculpem o texto prolixo, nunca fui bom em passar o que eu acho para o "papel".

    PS: @Ronaldo, sua análise é válida, até começar a colocar Senhor dos Anéis no meio. Não precisa buscar informações na HOME ou Contos Inacabados pra saber as motivações, custumes, história e origem dos personagens. No próprio decorrer do livro e ao final, nos apêndices, tem história dos personagens pra dar e vender. Agora se for olhar Senhor dos Anéis como um todo, incluíndo Hobbit, Silmarilion, Cartas e etc aí o que não falta é informação sobre os personagens.

    Ah, deixa eu ir embora senão eu não paro mais, haha…
    Grande abraço pra todos.

    Gabriel Fontes.
    =)

    • GabrielF,

      Tenho que concordar com você que a série possa ter sido superestimada e, assim sendo, mesmo eu a considerando MUITO BOA, muitos podem ter tido maiores expectativas que não foram atendidas…

      Quanto a Senhor dos Anéis, quero até deixar claro que sou verdadeiramente muito fã de Tolkien e, de forma global na literatura não acho nem coerente a comparação do Martin com ele. Tentar igualar Westeros com a Terra-Média e todo o seu universo precedente é algo quase "indigno"…

      O meu ponto na análise acima são as obras audiovisuais e, nesse caso, acho que é consenso dizer que os personagens citados de SdA são realmente bem planos na trilogia do cinema (que, a propósito, eu também curto muito ao ponto de dizer como o Jurandir Filho que "assisto religiosamente uma vez por ano")…

      [ ]'s
      Ronaldo

  17. Olá…

    Pessoal, vou dizer um negocio… ROCKY é phodabagarai…

    O primeiro é muito bom mesmo, os demais cumprem o papel que franquias exigem. Agora, fazer uma análise de Rocky pelo desastre que foi Cobra, ou pela carreira questionável de Silvester Staloni, é não reconhecer o valor de um grande filme. E Rocky é um baita drama esportivo.

    O que me pega nessa historia é saber que um fudido, tem a chance da vida, luta muito, apanha bastante e vê sua chance ir pro saco empatando a luta de sua vida. Lembrando que empates em boxe, principalmente para os desafiantes, são piores que derrota.

    A indicação de Staloni para melhor ator é brincadeira mesmo.

  18. Vamos lá.

    Primeiro sobre o Rocky. Rocky ganhou o Oscar pela época que saiu, uma época em que o espirito americano estava quebrado, uma época em que o homem comum não era nada. E Stallone era o homem comum, era o rosto que Hollywood não queria, era uma pessoa comum. Ver isso na tela é uma sensação muito superior a qualquer "Taxi Driver" ou "Todos os Homens do Presidente". Vendo Rocky em uma situação diferente é fácil dizer que é ridículo a sua vitória.

    Agora sobre Game of Throne. Primeiro, Vana. você gosta de Senhor dos Anéis ou qualquer outro filme/série medieval-fantasia? Se não, já tá explicado o porque não gosta tanto. Se sim, então irei argumentar melhor.

    Pra falar de superficialidade tem que se definir superficialidade. Cada pessoa usa essa palavra com um significado.

    Se formos ver no lado emocional, Game of Thrones é superficial. As batalhas emocionais dos personagens são todas relacionadas aos sentimentos mais puros da humanidade: prazer, ódio, raiva vingança, desejo. GoT não fala sobre sentimentos mais "romantizados" como amor, amizade ou esperança, muito menos sobre cotidiano.

    Se formos ver de um lado político-social, GoT é genial. A batalha de poder é sensacional, para qualquer um estudando política é incrível. Dá até pra ver um pouco de Maquiavel no meio. Além da ambientação e da forma como os personagens agem. É como nossa Idade Média, mas suas devidas mudanças.

    Se esperar ver algo sobre a visão de ser humano que a sociedade contemporânea tanto gosta, é melhor fugir.

    Agora sobre a previsibilidade. Não sei como é possível prever algumas coisas na série. Claro que existem coisas previsíveis, mas a morte de Ned Stark ou Khal Drogo, a mudança repentina de Joffrey, que por mais que não tenha sido grande não era algo previsível; ou o nascimento dos dragões não entram nessa previsibilidade. Uma coisa é você assistir uma novela e já saber quem fica com quem, outra é formular todas as chances e dizer que já sabia. E também o ser humano já é bem previsível…

    • Renan,

      Concordo plenamente contigo a respeito de Rocky. Também sou um fã e entendo essa premiação fortemente influenciada pela representação/identificação do espírito americano na época.

      Quanto a questão da superficialidade emocional x política, não acho que consegui te entender muito bem. Acho que não saquei bem a diferença entre sentimentos mais puros e mais romantizados. VocÊ teria algum exemplo de produção que considera não superficial a nível emocional?

      E também concordo sobre a previsibilidade. Formular hipóteses e avaliar possibilidades não é o mesmo que prever o que vai acontecer.

      [ ]'s
      Ronaldo

      • Bem, como não assisto séries vou dar um exemplo de cinema. Toy Story 3 por exemplo não é superficial a nível emocional, pois os personagens não passam a sensação de "estou triste" sem fazer o público não se sentir triste, muito pelo contrário, o público consegue sentir essa tristeza porque sabe o motivo dele estar triste.

  19. The Walking Dead

    Antes que alguém venha dizer que sou fã chato, já digo que gosto dos quadrinhos e da série, mas que os quadrinhos são bem superiores a série isso é indiscutível, mas eu vejo qualidades em ambos os materiais e por isso decidi após o 3º episodio da série a separar as mídias e não ficar comparando mas existem momentos em que isso é difícil.

    Quando falaram sobre The Walking Dead por ter lido os quadrinhos e ter visto a série me senti incomodado ao ouvir a Vana dizendo: “O final foi de acordo com os quadrinhos e os fãs adoraram.” . Sinceramente não vi nada disso, a série foi extremamente fiel ao quadrinho em seu primeiro episódio, mas após isso esta fidelidade só foi declinando ate se tornar quase que inexistente no season finale, para se ter uma idéia nos quadrinhos não existe este tal instituto no qual eles foram parar.

    A questão dos fãs terem gostado também tenho divergência, pois grande parte das pessoas que conheço e que leram os quadrinhos e assistiram a série acharam a série inferior ao material original. Muitos inclusive acharam um absurdo as diversas mudanças que fizeram ao longo dos episódios em relação aos quadrinhos.

    Aqui irei fazer uma pequena comparação com Game of Thrones, mas ela não é devido a polemica da série criada no cast e sim porque é a comparação que ira melhor representar o que quero dizer, além de provar que a HBO tem culhões e confia no material que tem nas mãos coisa que parece não acontecer com a AMC e roteiristas da série.
    SPOILER SÉRIES, LIVRO E QUADRINHOS : Em GofT eles não tiveram problema nenhum em matar o personagem NED que ate um certo ponto para quem apenas vê a série era classificado como o principal ou um dos principais da história. Já em TWD no 5º episodio na cena que acontece na floresta, Shane fica agressivo e quase parte para cima de Rick porém fica apenas na ameaça. Enquanto isso nos quadrinhos quando Shane vai partir para cima de Rick, Carl (filho de Rick) nota o perigo que seu pai corre e saca a arma e da um tiro em Shane que falece logo em seguida. E para mim este acontecimento era de vital importância, porque após isso Carl começa a amadurecer muito e conseqüentemente isso causa um crescimento do personagem.

  20. Outro comentário é sobre o Oscar, realmente achar que o Oscar é um premio sério é brincadeira, ele é um dos prêmios mais políticos que existe na terra, e faço esse comentário porque mesmo sendo fã de Rocky tenho a consciência de que os demais concorrentes eram melhores. Para se ter uma ideia melhor de como o prêmio é político vou deixar alguns exemplos dessa politicagem:

    1979 — Kramer VS Kramer que é um filme muito bom venceu Apocalypse Now que é infinitamente superior.

    1989 – Conduzindo Miss Dayse que é muito bom venceu mas os concorrentes dele eram muito superiores: Nascido em 4 de Julho, Sociedade dos Poetas Mortos, Campos dos Sonhos e O Pescador de Ilusões.

    1990 – Dança com Lobos que é bom mas sinceramente ganhar de Os Bons Companheiros e Poderoso Chefão parte III é deprimente.

    1999 — Shakespeare Apaixonado ganhou de: Elizabeth, O Resgate do Soldado Ryan, A Vida é Bela e Além da Linha Vermelha. Essa pra mim é de fato a maior atrocidade de todas que a academia já fez.

    2002 — Chicago ganhou de: O Pianista, As Horas, O Senhor dos Anéis e as Duas Torres e Gangues de Nova York

    2009 — Quem quer ser um milionário ganhando de: O Leitor, Frost/Nixon, O Curioso Caso de Benjamin Button, Milk – A Voz da Igualdade além da não indicação de filmes como Duvida, O Lutador, Wall-E e ate mesmo o Cavaleiro das Trevas

    2010 — Guerra ao Terror ganhando de: Distrito 9, Preciosa, Amor sem Escalas, Educação, Um Homem Sério e Bastardos Inglórios sem contar que não indicaram Star Trek que poderia muito bem ter entrado nesse ano pois ao invés dos costumeiros 5 indicados colocaram 10 indicados.

    E so citei alguns exemplos na categoria de melhores filmes se fosse listar todos da categoria de melhores filmes e das categorias de direção, e atores e atrizes principais e coadjuvantes eu ficaria aqui ate amanha e era capaz de não terminar.

  21. Vana,

    nessa mid-season, eu aproveitei os comentarios que você sempre tem feito dessa série, e resolvi conferir… e vou dizer que a "Boa Esposa" é muito bom, creio que assisti cada temporada, em sei la, dois dias cada… The Good Wife, terminou de forma sensacional, e acho que agora o nome faz muito mais do que sentindo, por que ela pode ser boa, mas não idiota… elenco muito bom, roteiro sempre surpreendentes, adorei!!

    *enquanto setembro não chega, tenho ainda a serie antiga de doctor who… interessante eu diria!! mas vai serie, viu!!! hahaha

    Tks a lot!!

    Abraços

  22. Não sei, mas eu acho que o que a Vana mais critica na série na verdade é um grande elogio.
    Se os personagens tomam atitudes que você já previa, quer dizer que o roteiro é coerente.

    Eu discordo totalmente, mas no começo dessa temporada de Breaking Bad eu ouvi várias pessoas dizendo: "o Walter White nunca tomaria uma decisão dessa… o personagem não é assim". Em Game of Thrones isso não acontece. Exemplo: O Joffrey é um pré-adolescente mimado, que odeia a família Stark e que de repente recebeu poderes ilimitados se tornando rei. É totalmente coerente que ele tenha mandado matar o Ned, chefe da família Stark que ele odeia e pelo fato de ser tão jovem, ele não conseguiu ver as implicações que esse ato causaria.

  23. cont.

    A Vana classifica isso como previsível, mas eu classifico como condizente com o que nós vimos do personagem até agora. Se ele perdoasse o Ned, tratasse a Sansa com todo amor e carinho e promovesse o Rob a Mão do Rei, aí sim eu iria protestar e dizer: "mas que joça é essa? o personagem não é assim pô!

    Abraços para vocês dois e parabéns pelo Podcast!

  24. Oi, primeiro de tudo, não fico nervoso quando escrevo. Agora, tenho conhecimento e cultura, entendo muitas das piadas de 30th Rock (as quais, excluindo aquelas nas quais é necessário certo conhecimento mais profundo de televisão pra pegar as referências, nem são tão inteligentes assim), e não assisto os programas citados (CQC, Zorra Total e afins) e, finalizando, não critiquei 30th Rock ou quem gosta dela, disse que embora não goste reconheço o valor. Falei sobre os esquetes com atores e cantores de Holywood em Saturday Night Live. Bom, desculpe mas eu realmente não achei engraçado o Jim Carrey fazendo Black Swann e não achei engraçado Justin Timberlake fazendo a coreografia de Sigle Ladies, entre outras coisas. E sim, aquilo é Zorra Total. Tem outras coisas legais? Tem, inclusive já assisti muito Saturday Night Live, porém no momento não estou gostando de muito o que aparece lá. Mas se generalizei o programa falando disso, não acha que estão havendo justamente muitas generalizações aqui?

    Quanto ao Alan Cumming, bom, talvez vcs devessem saber que além de ótimo ator, ele é uma figura bem irreverente, tem posições fortes e dá declarações bem polêmicas. Sendo assim, a "piada" do nome bem que poderia ser mesmo idéia dele e tinha curiosidade de verdade em saber se ele poderia ir tão longe mesmo tendo trabalhos no mainstream de Holywood. No próprio blog dele há várias referências a isso. Quanto a ser de mau gosto, sim, talvez seja, mas há de convir que piadas de mau gosto já apareceram muitas vezes no Spin-Off, então não entendo o drama todo em cima do que escrevi. Se foi tão ofensivo assim que fizesse moderação, o blog é seu e é seu direito (e alguns diriam dever) faze-lo.

    Sobre Game of Thrones bom, já expuseram muito bem os argumentos que a Vana pediu. O Ronaldo mandou muito bem. E, como muitos já disseram, a série não é a melhor coisa do mundo, mas é subestimar demais chamar ela de superficial e dizer que os personagens são rasos. Personagens rasos existem, mas eles servem a trama. Joffrey é superficial, Vyseris é superficial, Khal Drogo é superficial, mas Jamie, Daenerys, Catelyn, Cersei, Rob, Tyrion, Tywin e outros definitivamente não são.

    Aliás, essa na foto é ela mesmo? Que bonitinha! Dá até pra ficar com pena de deixar ela nervosa.

  25. Se é previsivel, desafio a Vana a escrever o que ela acha que irá acontecer na segunda temporada e depois ela vê se é tão previsivel assim. Não vale bisbilhotar o livro não.

    Respeito porém não concordo com ela. Não acho os personagens rasos (é verdade que tem muito personagem e pouco tempo para explorá-los).

  26. Pessoal, como sempre mais um excelente podcast! Parabéns!

    Estou curtindo bastante o The Walking Dead embora discorde que eles estão seguindo a risca a história do HQ. Achei muito tosco o season finale da primeira temporada com a explosão do CDC. No HQ o Rick e seu grupo não vão para lá depois de verem que o acampamento ao lado da cidade era seguro. Eles começam vagando, vão para um condomínio cheio de zumbis escondidos, fogem, Shane morre, seu filho é baelado até que descobrem a fazenda do Hershel, que ao que tudo indica é para onde vão nesse segunda temporada. De qualquer forma estou gostando, mesmo tendo um roteiro paralelo a história original, com elementos comuns entre as duas histórias.

    Eduardo, estou com você no que se refere a GOT, no que a serie se propõe a fazer ela é simplesmente genial. Ainda não terminei de ler o livro, mas até o ponto que estou está muito fiel. Se o objetivo da HBO era deixar a serie fiel ao livro, defendo que eles tiveram sucesso. Para fazer esse tipo de coisa uma serie precisa ter recursos e para ter recursos é preciso dinheiro. Os caras tem grana, logo, tem recursos para gastar com a série. Particularmente gosto desse tipo de história e não acho que tanto a história quanto a serie seja ruim. Concordo com a Vana que a série não é genial, mesmo porque não está fazendo nada de diferente da historia, apenas está refletindo de forma fiel o livro.

    Não temo como discutir que GOT se destaque das series do gênero. Lembro de cabeça algumas que assisti: Xena, Spartacus (Blood and Sando e Gods of Arena) e Camelot, isso no que se refere a historia, fidelidade e recursos. Mesmo comparando com os filmes do LOTR, acredito que o roteiro do GOT ainda seja mais fiel a historia original.

    Tive o desprazer de assistir ao piloto de Wonder Woman. Enquanto assistia pensava na quantidade de neurônios meus que estavam praticando suicídio ao assistir aquele treco. Vergonha alheia … que negócio horroroso, horrível, medonho.

    Abração a todos!

  27. Olá podcasters,

    O argumento da Vana Medeiros que não foi surpreendida com Game of Thrones não tira a validade da série. O tema de séries medievais não abre muito para nos surpreender, especialmente ao final. Creio que como nos livros a trama é bem fechada (e roteiro para a TV também fez bem isso).

    A série possui personagens fortes, boa indumentária, ótima adaptação dos livros e outras ótimas qualidades. Séries como esta me amarram pelo desenvolvimento e não pelo final. Séries sobre Coco Channel (tem pelo menos 5) e cada uma conta a história de forma diferente, não nos surpreende mas nos prende e comove. Da mesma forma The Kennedy, The Borgias, The Tudors.

    Pena só estarem fazendo de 15 em 15 dias. Assim temos menos assuntos pata discutir.

  28. Olá podcasters,

    Sobre o humor de 30 rock e de zorra total queria colocar um outro ingrediente. O humor Inglês. Muitos simplesmente taxam séries inglesas de ruins por não entederem o humor. Da mesma forma de 30rock é preciso conhecimento de contexto e cultura para entender e curtir.

    Vana, desculpa mas não pude atender seu pedido de não comentar Game of Thrones pois postei antes de escutar o final do podcast.

    E Wonder Woman como puderam errar tanto! Com uma base de fãs já existente não era difícil ter audiência, bastava fazer algo decente.

  29. Vou me abster das argumentaçõs pró-GoT porque não li os livros, mas achei a série muito boa, dado meu interesse nulo pela tematica, e não foi apenas pela produção técnica acachapante ou pelas cenas de putaria etc. Luck não é promissor só pelo Dustin Hoffman, mas também pelo Michael Mann e David Milch(antigo showrunner de Deadwood) nos créditos. E o final de TWD foi muito cagado, pra mim ele simboliza Dias dos Mortos 2-Contágio da franquia de zumbis do Romero,(até "tecnicamente" eles tem bastante similaridades,rsrs) Muito aquém da graphic do Kirkman e do piloto, basicamente a tensão; os enfoques aos dramas humanos dos personagens contrastando com a formula clichê de epidemias de zumbis foram postas de lado, dando lugar a correria e situações não la muito convincentes. Honestamente, não vejo muito futuro na série sem o Darabont.

  30. A Vana Medeiros está certa!
    Game of Thrones é uma série boa, nada espetacular.
    Se ela precisar de alguém pra apoiar ela no Podcast, eu ajudo.

    Game of thrones devia se chamar Game of Menaces (Jogo de ameaças), porque todo mundo só se ameaça e não acontece porra nenhuma.

    1 – O inverno está chegando, mas nunca chega!
    2 – A muralha está lá pra defender o reino dos fantasmas da floresta, que apareceram no capítulo 01, e depois um fantasma tomou um coro lá no capítulo 07 ou 08 e mais nada. Aquela muralha não tem função nenhuma!
    3 – A Mina casou com um cara de uma triba megaevil de 40 mil pessoas, para atacar e tomar o reino que era do irmão dela. No fim, o irmão dela morreu, o marido dela morreu, nibguém atacou merda nenhuma e ficou tudo do jeito que estava. O marido dela falou que ia bater e arrebentar, estuprar todas as mulheres do planeta e morreu com a própria tribo dele se virando contra ele e não matou uma mosca!

    4 – O Lannister galã-que- come- a- irmã foi capturado pela mulher do Stark e ficou preso numa árvore. A mulher falou que ia matar ele, arrebentar com ele, o cara falou pra ela ficar calma e ir durmir!
    E ela foi! Isso tá no capítulo 10 e pra mim é o resumo de Game of trones, uma série onde todo mundo fala o que quer e faz um caminhão de ameaças, mas fazer mesmo, faz muito pouco

    5 – 50 Milhões de dólares gastos na produção (05 milhões por episódio!) e na única cena de batalha de toda a temporada o anão desmaia e ninguém ve nada! Até as batalhas ficam na ameaça! Dá dó, né?

  31. Até entendo a posição da Vana sobre Game of Thrones quanto a "muito comercial, muito dinheiro envolvido", mas aí falar que a série não é inteligente é outra coisa. Até parece que nunca assistiu Running Wilde, The Cape….
    Sobre a previsibilidade nem vou comentar, porque você é a única pessoa que ouvi falar isso sobre essa série. E "pegar raiva" de série porque os fãs dizem isso ou aquilo, desvalida qualquer outro argumento que tinha exposto anteriormente, "pegar raiva" não dá direito de ninguém de criticar nada, também já peguei raiva de algumas séries e criticava (injustamente) por pura birra.

    Gosto muito das suas opiniões Vana, mas acho melhor deixar Game of Thrones em paz hein, ou daqui a pouco você vai comecar a sonhar com o Momoa dizendo "meu sol, minha lua" hahaha

  32. Mais uma vez um grande embate sobre o Guerra dos Tronos! Mas já estão pegando pesado com a Vana… Ninguem merece essa "trolagem". Sobre o filme Rocky(1976), estou completamente de acordo que os outros filmes que concorreram diretamente com ele no Oscar são superiores mas, admito que Rocky também é um grande filme e existe uma explicação logica para ele ter ganho todos os premios. Em 1976 o USA estavam em uma grande crise politica (Nixon) e financeira (Petroleo), com a "moral" abalada devido aos problemas. Em momentos de crise é comum na sociedade ameriana eleger herois e neles se apoiarem para superar as adversidades.

  33. Também devemos lembrar que 1976 é o ano do segundo centenário da independência dos USA e eles precisavam de algo positivo. Rocky é um filme que define o American Way, é um filme onde um "looser" da a volta por cima e supera problemas e alcança objetivos. Rocky entrou para o Oscar como "azarão" e foi ganhando credito pouco a pouco até se tornar o ganhador. Sobre o Stallone, na época, um desconhecido, que atuou da forma como pode. Fez as pessoas acreditarem que ele era assim deformado, o problema é q na entrega do Oscar descobriram q ele é assim mesmo e que não estava atuando… rs

  34. Todo mundo escreve muito…critica,elogia e tal…

    A verdade é:

    Guerra dos Tronos é previsível? SIM!!!!
    Guerra dos tronos é Sensacional? SIM!!!

    Estou maluco? Não!!

    Ela é SENSACIONALMENTE PREVISÍVEL NA SUA PREVISIBILIDADE SENSACIONAL

    Pronto falei!!!

    e PAREM com esse mimimi…

  35. Acho que Game Of Thrones, vc pode não gostar por que pode não fazer o seu tipo de historia, ou seu genero, tudo bem niguem é obrigado a gostar de um genero literario como esse, cada um tem um gosto, no entanto faz-se necessario lembrar que vc pode reclamar de qualquer coisa, como eu disse pode nao ser seu tipo de historia, ou vc pode achar chato, mas dizer que a serie, ou melhor a historia ( ja que é a serie é apenas uma adaptação e como tal pode haver haver algumas lacunas que ficara mal explicados ou deram a entender uma coisa mais simples) é raza e superficial é tudo que Game of thrones não é, muito pelo contrario Got consegue prender justamente por ter personagens tão complexos, que num primeiro momento vc pode achar que são frageis como a Daenerys , que no começo era insossa e aguada e no final se mostrou forte, de pulso firme, ou ingenuo como a Arya que depois se torna uma personagem madura para sua propria idade . Portanto aceito qualquer justificativa para voce nao o
    gostar de game of thrones , voce pode dizer que a historia é chata , personagens chatos enfim, mas dizer que a historia é RAZA E SUPERFICIAL é TUDO QUE A HISTORIA NÃO É. A não ser é claro que vc nao esteja entendendo , ou tenha ido buscar uma explicação mais simples para um serie que nao possui nada de simples, um exemplo disso são coisas que acontecem no 1º livros (muralha), só vao ser explicadas no 4º e 5º livros, e coisas que acontecem no 2º livros , em 5 livros ainda nao foram explicadas .
    Enfim to achando que voces não estão entendendo Game of thrones kkkkkkkkkkkk

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui