O fracasso de Han Solo: Uma História Star Wars levou a Lucasfilm e a Disney a congelar os demais projetos do universo expandido da franquia, pelo menos até depois da estreia do Episódio IX.

Ou seja, os filmes focados em Obi Wan Kenobi e Bobba Fett ficaram em standby. Inicialmente tratados como antologias, os projetos sofreram com problemas de conflitos de agenda dos seus profissionais envolvidos. Aliás, tanto Rogue One como Han Solo passaram por algumas (para não dizer várias) dificuldades nas etapas de produção.

Os números falam por si: Han Solo arrecadou US$ 84.4 milhões no final de semana de estreia e US$ 192.8 milhões ao redor do planeta em quatro semanas. Já Rogue One estreou com US$ 155 milhões, e arrecadou US$ 424 milhões domésticos na quarta semana.

Opinião:

Por mais que se tenha muita boa vontade para defender Han Solo: Uma História Star Wars, inclusive tirando pesos das costas de todos os envolvidos no elenco, não dá para negar o óbvio: o filme é o maior fracasso comercial da história da franquia Star Wars.

Se a Disney e a Lucasfilm não tomarem os seus devidos cuidados, eles podem fazer com que uma das mais bem sucedidas franquias do cinema em todos os tempos sofra do desgaste da superexposição e da falta de tratamento adequado para as suas histórias.

Nem precisa ser fanboy para entender a ira de muitos aos resultados apresentados, e diferente do que acontece hoje na MCU com os filmes da Marvel, Star Wars não consegue conquistar uma nova geração de fãs, apesar da trilogia nova apostar muito em novos personagens, onde o novo vai decidir o embate entre o bem e o mal no nono filme.

Passou da hora de pararem com a ganância e efetivamente olharem a longo prazo e com maior cuidado para essa história. Senão, vai cair no comum, virar carne de vaca.

Ou pior: ser comparado com Liga da Justiça.

 

Via Collider