Megatubarão decidiu reduzir a sua censura para PG-13 (13 anos), para que o filme se ajustasse ao perfil familiar. Quem gosta de filme sangrento odiou a decisão, mas o que manda nesse mundo é a bilheteria.

Agora, Slender Man, que tem estreia prevista nos Estados Unidos para o dia 19 de outubro, foi massacrado pelos reviews negativos, por motivo muito semelhante: a imposição do politicamente correto por parte da Sony, que montou o filme para que ele fosse amigável para os públicos mais novos.

Slender Man é trabalhado pela Sony desde 2016. É baseado no personagem homônimo surgido de um concurso fotográfico do fórum Something Awful. É um fenômeno literário nativo da internet conhecido como Creepypasta, que se transformou em ícone pop.

Entre os vários episódios violentos relacionados com Slender Man, se destacou aquele perpetrado em maio de 2014 por dois adolescentes de 12 anos residentes no condado de Waukesha, Wisconsin (EUA). As menores teriam conduzido uma amiga ao interior de um bosque da localidade, com a intenção de impressionar o personagem fictício, apunhalar a moça em 19 ocasiões. Elas foram declaradas inocentes, mas sentenciadas à internação em uma instituição mental.

Isso teria feito com que a Sony realizasse uma versão ‘incompleta’ de Slender Man para os cinemas, com várias modificações no roteiro e no material filmado, eliminando várias das cenas mais perturbadoras pelo medo de possíveis represálias contra o filme depois que o pai de uma das meninas envolvidas no incidente classificou tudo aquilo como “algo de extremo mal gosto”.

Uma das passagens é a apunhalada nos olhos com um bisturi. A outra, é quando a língua da moça é arrancada. E essas são cenas que apareceram no primeiro trailer de Slender Man.

 

 

O mais bizarro é que isso já aconteceu antes. Várias divergências históricas entre os estúdios e os produtores dos filmes afetaram as estratégias de distribuição de filmes. Nesse caso, enquanto a Sony vê o filme como uma espécie de produção de baixo orçamento, recebendo tratamento como tal, a Blumhouse confiavam em uma estreia de maior nível, com uma campanha promocional mais ambiciosa.

Chegaram a oferecer uma cláusula nos contratos dos produtores, que permitiram tentar outras distribuidoras, e Amazon e Neflix chegaram a ser sondadas, mas disseram NÃO por não acreditarem no potencial comercial do longa.

Nunca saberemos a verdade. Slender Man alcançou pouco mais de US$ 11 milhões no seu primeiro final de semana nos EUA. O melhor é saber por si se a história deixou a desejar pela ausência do gore, ou se a história é ruim mesmo.