Se é que a gente ainda tinha alguma dúvida sobre isso…

A Netflix liberou um avanço da temporada final de House of Cards, e confirmou aquilo que muita gente já desconfiava: Frank Underwood (Kevin Spacey) morreu mesmo. Já era. Está na vala. Tem até lápide.

No pequeno vídeo, Claire Underwood (Robin Wright) dá o golpe de misericórdia, em uma fala contundente e com a tradicional quebra de quarta parede que Frank tantas vezes fez para dialogar com o espectador sobre os movimentos friamente calculados que ele exercia na trama.

Apesar de compreender que Claire já era a mulher que mandava na p*rr* toda há pelo menos duas temporadas, não dá para ignorar que o personagem de Frank é um dos mais importantes da televisão nos últimos dez anos.

Espirituoso, genial, ardiloso, maléfico e até diabólico, Frank despertou amor e ódio na audiência de House of Cards, e foi o narrador perfeito para uma trama política envolvente e complicada.

Porém, como Kevin Spacey (infelizmente) fez merda no passado, e é um passado que o condena de forma direta, a Netflix resolveu matá-lo de uma vez por todas, como forma dele nunca mais voltar para o universo da trama.

A única coisa que me resta nesse momento é esperar que os produtores e roteiristas de House of Cards entreguem ao personagem Frank Underwood um final realmente digno. Entendo que a sua importância está acima do que Kevin Spacey fez de certo ou errado no passado.

Ainda lamento por tudo o que aconteceu, mas também entendo que a Netflix nesse caso tomou a melhor decisão. Era uma situação insustentável, mesmo com o argumento do “isso aconteceu faz muito tempo”.

Não importa.

Não apenas o crime sexual cometido contra um menor de idade, pesa contra Kevin Spacey a sua postura pessoal. Na verdade, muita coisa pesa contra ele nesse momento, e a sua saída da série foi a decisão mais acertada. Não podemos mais perder tempo discutindo esse episódio.

A temporada final de House of Cards estreia na Netflix em 2 de novembro.