e o vento levou

Os tempos de hoje são bem complicados, e resultam em reações de certo modo, imprevisíveis. “…E o Vento Levou” é um dos melhores filmes de todos os tempos, mas foi retirado da programaçã do Orpheum Theater de Memphis, Tennessee (EUA).

O motivo foi as várias queixas recebidas daqueles que consideram o filme racista, apresentando um amante da Guerra Civil Americana e do ambiente das plantações sulistas.

Diante da pressão, a decisão foi tomada. O Orpheum Theater emitiu um comunicado afirmando que os filmes foram escolhidos normalmente a cada primavera, mas a retirada do filme atende ao pedido de patrocinadores e da comunidade, sempre com o objetivo de entreter, educar e iluminar a comunidade que atende.

 

 

Os recentes acontecimentos nos Estados Unidos deixaram as pessoas mais sensíveis, e sua relação com a arte está cada vez mais incompreensível. Retirar o filme pode ser um tiro no pé do argumento de “intuito educacional” do Orpheum.

O ideal seria conscientizar os espectadores com uma pequena introdução da ideia do contexto histórico e sócio-político da época em que o filme foi produzido. Mas parece que é mais fácil remover um clássico do cinema da programação.

 

 

Recomendo que aqueles que sabem diferenciar uma obra de ficção de um manifesto racista real que guardem muito bem as suas cópias de “…E o Vento Levou”. Só por precaução.