O presidente da CW, Mark Pedowitz, provocou especulações sobre um reboot de Gossip Girl durante a sua fala na Television Critics Assoc. Tour.

“Há uma discussão, mas eu não sei se ainda estamos lá”, disse o executivo aos repórteres presentes, quando questionado sobre a possibilidade de reviver a franquia XOXO. “Eu não sei o que seria. Muito depende da Warner Bros. e dos [produtores executivos] Josh [Schwartz] e Steph [anie Savage], porque não queremos fazer nada sem eles.”

Apesar de ter conseguido audiências medíocres durante boa parte das seis temporadas, a série Gossip Girl original – que terminou em 2012 – foi um fenômeno da cultura pop que fez grandes nomes do mundo da cinema e da TV (principalmente nos casos de Blake Lively, Leighton Meester, Penn Badgley, Chace Crawford e Ed Westwick).

Olha, eu vou confessar que até seria divertido ver um reboot de Gossip Girl, apesar de não me conformar até hoje com a não continuidade de Gossip Girl: Acapulco. Só me pergunto se a CW ainda é a casa ideal para um reboot da série nesse momento.

Eu explico: a CW da época de Gossip Girl praticamente não existe mais. Era o canal das séries adolescentes bobinhas e sem profundidade de roteiro ou interpretações de qualidade. Hoje, a CW tem séries de maior qualidade, e até mesmo um perfil diferente de audiência.

A CW encontrou o seu caminho nas séries de heróis da DC e com as séries sobrenaturais (não falo só de Supernatural; vide o sucesso que fizeram The Vampire Diaries e The Originals, que duraram muito tempo na grade).

Pode até ser que um reboot de Gossip Girl ainda caiba na CW pela série ser um autêntico fenômeno cultural e ainda mantém fãs bem fieis. Mas não sei se vinga com o perfil da audiência atual do canal.

O CW é atualmente o canal de reboots de Charmed, Dynasty e Roswell.

 

+info