Sinto cheiro de b*st* no ar se aproximando.

Venom está chegando, e já não cheira bem. O filme teve a sua estreia nos EUA nessa semana, e com o fim do embargo para publicar reações nas redes sociais, as primeiras críticas sobre o longa preocupam aqueles (poucos) que estavam entusiasmados com a proposta.

Não há hype para o filme, nem mesmo entre os fãs de filmes de heróis. Isso se explica depois que a Sony decidiu transformar Venom em um filme com censura PG-13 (para maiores de 13 anos), depois de prometer o personagem mais violento da Marvel nos cinemas.

E o pessimismo só aumentou quando Tom Hardy, protagonista do filme, afirmou que suas cenas favoritas foram cortadas. A declaração aconteceu durante o junket promocional de Venom. E fez isso com uma sinceridade incomum para alguém que está lá para vender o filme.

Riz Ahmed, outro integrante do elenco, tentou colocar panos quentes no assunto, alegando que eliminaram os quase 40 minutos de cenas citados por Hardy porque simplesmente não eram boas.

 

 

Sem ver o filme e as cenas excluídas, pode ser que Ahmed tem razão. Mas combinado com o que Hardy disse e a decisão da Sony em mudar a classificação do longa, o cheiro de b*st* está ainda mais forte.

Ao que parece, Venom não tem nada de alucinante. Há quem diga que o filme é um desastre (“ruim no nível Mulher Gato”), mas também tem gente que afirma que se divertiu com Hardy na tela.

Ainda tenho dúvidas sobre como foi concebida essa interação cômica citada pelo ator, pois a linha entre o humor e o mau gosto é muito tênue.

E você? Pretende assistir Venom de coração aberto?