togetherness-hbo

Sabe aquela comédia ‘pé no chão’, que não te faz rir na maior parte do tempo, mas que, mesmo assim, tem alguma coisa ali que pode render? Pois é… essa foi a minha primeira impressão com Togetherness, nova comédia ‘PNC’ da HBO, que logo de cara não é indicada para a maioria dos leitores do SpinOff. Mesmo assim, apresenta uma proposta tão palpável, que acredito que alguns adultos podem se interessar.

A série fala sobre perspectivas de vida e crises de identidade na fase adulta. De um lado, Brett e Michelle, um casal aparentemente estável, com filhos e uma vida encaminhada, mas que vivem uma crise conjugal que se reflete na falta de interesse sexual da esposa pelo marido. Isso rende situações um pouco risíveis, mas que podem acontecer no dia-a-dia de qualquer casal (exemplo: o marido flagrar a esposa se masturbando no quarto enquanto lê ’50 Tons de Cinza’).

Por outro lado, temos Tina e Alex. Ela achava que estava com a vida nos eixos, até ser deixada pelo ‘namorado’ através de uma mensagem de texto no celular. Ele é um ator frustrado, que não consegue nenhum trabalho decente em Los Angeles (acabou de ser despejado) e, mesmo assim, não consegue ter o mínimo de programação na vida para fazer o seu caminho dar certo.

Tina e Alex ainda estão se encontrando. Vão descobrir que, juntos e sem qualquer tipo de programação futura, eles podem dar certo, por explorar as novas possibilidades que estão por vir. Já Brett e Michelle precisam trabalhar a relação, e redescobrir o que está errado para que o interesse sexual tenha se anulado. O fato do casal ter uma filha pequena com certeza influencia nesse resultado, mas existe algo mais que afeta nessa relação.

E a grande questão é: Tina e Alex podem ajudar Brett e Michelle de alguma forma?

togetherness-hbo-02

Togetherness não é um dos melhores pilotos da temporada. Longe disso. Muitos vão achar a série extremamente sonolenta (e com certa dose de razão), enquanto que outros vão simplesmente entender que mais uma vez temos a HBO agradando o público ‘PNC’, com uma comédia que pouco faz rir nas suas poucas piadas de humor negro.

Por outro lado, mesmo não achando o piloto lá essa maravilha, entendo que é possível render para o público-alvo que eles querem alcançar, ou seja, aqueles adultos que já tem filhos, e que certamente vão se identificar nas situações apresentadas pela série. Como eu já disse antes: alguns dos argumentos exibidos no piloto podem acontecer na vida de qualquer pessoa. Logo, a identificação com tais plots pode ajudar a segurar audiência.

Mesmo assim, acho muito difícil. Togetherness não é uma série para todo mundo. Eu mesmo não imagino um fã de 2 Broke Girls (beijo, @edu_sacer) assistindo essa série, mesmo que a temporada só conte com oito episódios. A não ser que a pessoa queira mesmo conhecer um pouco mais dos relacionamentos adultos, e em como aquelas situações que parecem simples e bestas podem ser até constrangedoras quando exibidas na tela.

De qualquer forma, esse é um piloto que não vou dizer para vocês não assistirem. Gastem os 27 minutos para conferir qual é a da série. Porém, estejam avisados: as chances da maioria dos leitores não gostarem do que vão ver são enormes. Não venha aqui no post dizer que recomendei série ruim para vocês.

E tenho dito.