Muitos dos leitores e fãs de cinema assistiram ao filme Roma, dirigido por Alfonso Cuarón e disponível no Brasil pela Netflix. O longa é um grande sucesso, mesmo envolvido em tantas polêmicas, e tecnicamente é excelente. Tanto, que recebeu 10 indicações ao Oscar 2019, incluindo nas categorias melhor filme e melhor filme estrangeiro.

Roma é baseado nas memórias mais afetivas de Alfonso Cuarón dos seus tempos de infância enquanto vivia no México na década de 1970. A sua perspectiva infantil sobre o momento político, social e cultural do país é o pano de fundo para contar a história de uma mulher forte, com vida difícil e que precisa redescobrir a si mesmo para seguir em frente.

Muita gente assistiu ao filme, que divide opiniões pela história contada. Porém, a grande maioria terminou o longa com uma pergunta em mente: por que o filme se chama Roma, sendo que ele se passa no México e não faz qualquer tipo de menção à cidade italiana, exceto o nome?

Não podemos julgar essas pessoas, pois até eu fiquei sem essa informação no começo. Mas como sempre podemos aprender alguma coisa nova na vida, eu respondo essa grande dúvida nesse post.

 

 

O Roma do título se refere à Colônia Roma, uma colônia localizada na Cidade do México e construída no começo do século XX. É uma área que fica no centro da capital mexicana, e se chama assim para designar o que na realidade compreende duas grandes colônias, a Roma Norte e a Roma Sul.

Foi o local onde a classe alta se assentou na primeira década do século XX, construindo mansões e palacetes, que depois foram demolidos quando a colônia perdeu importância, cedendo lugar a outros edifícios cuja modernidade exigia outros traços. Desde os anos 2000, a Colônia Roma vive um processo de renascimento, com novos imóveis, locais de entretenimento, gastronomia e cultura.

Cuarón ambientou os acontecimentos de Roma na Colônia Roma. E é por causa disso que o seu filme recebeu esse nome.

De nada!