Disney e Netflix estão travando uma batalha que começa antes mesmo de uma efetivamente se tornar concorrente da outra. O Disney+ nem começou a funcionar, mas as séries da Marvel estão fora da Netflix, e o futuro das produções da empresa do Mickey na plataforma de streaming mais popular do planeta já está definido: todas fora.

O Oscar 2019 vai ser mais um capítulo dessa batalha que é mais que aberta. As duas contam com filmes que receberam indicações em várias categorias no Academy Awards, mas é principalmente na categoria de Melhor Filme que as duas empresas estão muito bem representadas.

Por um lado, a Disney conta com Pantera Negra e suas sete indicações. Um filme muito importante para a Marvel Studios, não apenas por expandir a Marvel Cinematic Universe, mas também para reforçar o discurso de inclusão e representatividade nos cinemas que o estúdio quer assumir para os próximos anos. Sem falar que é uma das maiores bilheterias da história do cinema.

Por outro lado, a Netflix tem o seu melhor filme até agora. Roma e suas nove indicações entrega o trabalho mais pessoal de Alfonso Cuarón, em um longa onde muitos consideram a sua obra prima. Uma história intensa, envolvente, sensível e com um apuro técnico simplesmente impressionante. É o filme que você quer chamar de seu depois de assistir.

No final do Oscar 2019, teremos um vencedor e um vencido. Não há escapatória.

E, nesse sentido, Roma tem um favoritismo muito maior. É um filme mais redondo e tecnicamente impecável, com uma história surpreendente e uma estrutura narrativa intensa e intimista, que quase nunca desvia do seu objetivo principal.

Por mais que eu goste de Pantera Negra, eu reconheço que o filme da Marvel está na lista de melhores do ano pela sua importância comercial, cultural e social. É um blockbuster que foi além de tudo o que a gente imaginava. É um filme muito importante em termos culturais e na filosofia de blockbuster, mas não é um filme melhor que Roma.

Só entendo também que Roma não deve vencer como Melhor Filme porque muitos votantes da Academia ainda se enxergam resistentes a premiar um filme de uma plataforma de streaming. Muitos ainda entendem que cinema só é aquilo que é projetado em salas, e não os filmes exibidos na casa das pessoas. Mesmo com a certeza que este será o futuro.

Lembrando que essa guerra chegou a ser fria ou semi-escancarada, quando a organização do Oscar 2019 decidiu remover quatro categorias do evento principal (cujos vencedores seriam anunciados durante os intervalos comerciais), e em um ano onde em pelo menos duas categorias Alfonso Cuarón tem grandes chances de vencer (edição e fotografia). E isso, porque a Disney não tinha indicados nas categorias ‘esnobadas’.

Mas não vai demorar muito para uma resposta aparecer. O Oscar 2019 pode ser revelador sobre como o cinema vai se comportar daqui para frente, e como o mundo vai receber as mudanças que estão por vir.