Antes de qualquer coisa… chupa, racistas! Chupa e engole! Calados!

Pantera Negra não foi ao Oscar 2019 apenas para passear no tapete vermelho. Foi para fazer história. O filme da Marvel não apenas se torna o filme de herói mais premiado da história até o momento, como também reforçou o recado claro de inclusão. De respeito.

Para os babacas que ficaram dizendo que “é só mais um filme de herói”, na tentativa patética de diminuir os méritos da história e de seus personagens, é importante informar que Pantera Negra entra para a história por possibilitar que duas mulheres negras vencessem prêmios em categorias técnicas pela primeira vez (figurino e design de produção).

Isso é conquista, sob vários aspectos. Deixa de ser apenas um entretenimento para mostrar de uma vez por todas que o mundo está em constante transformação e, nesse caso, mudando para melhor. Pois precisamos evoluir na questão do racismo. Não é a cor da pele que define quem é melhor ou pior que alguém.

Ah, sim… e antes que eu me esqueça… chupa, DCnautas!

Muito da tentativa de diminuição de Pantera Negra vieram dos fãs irracionais da DC, que são a minoria (eu insisto que os bons são a maioria), mas que fizeram de tudo para marginalizar o filme, desde campanhas abertas pelo fracasso do longa até críticas negativas prévias em sites especializados.

Aliás, quatro Oscars para a Marvel (incluindo o de melhor longa de animação para Homem-Aranha no Aranhaverso, outro filme que promoveu abertamente a inclusão, nesse caso a dos latinos, ao apresentar Miles Morales como Homem-Aranha ao mundo).

Agora, não tem mais desculpa. Tentar diminuir Pantera Negra é uma forma patética de demonstrar o recalque e o preconceito ao empoderamento negro no mundo do entretenimento. Deixou de ser apenas mais um filme do MCU para entrar de vez para a história da sétima arte.

Meu conselho para os racistas? Reclama aí com as paredes. Ou procura pelo WhatsApp do Kid Bengala.

E para os fãs da DC, que estão indignados porque Pantera Negra tem três Oscars no currículo… no lugar de se comportar como moleques birrentos e que não aceitam que o mundo não é do jeito que vocês pensam, seria muito melhor se vocês celebrassem o simples fato da cultura nerd finalmente deixar de ser algo marginalizado.

Hoje, o nerd e mainstream. Hoje, o nerd está no Oscar. Vocês deveriam agradecer por isso.

E é um ótimo momento para viver em um tempo onde finalmente somos representados de forma digna. Como negro, eu sinto orgulho pelo o que Pantera Negra alcançou em sua trajetória cinematográfica.