Alfonso Cuarón confirmou o seu favoritismo, e venceu o Oscar 2019 na categoria Melhor Diretor, por Roma.

Mais uma vez, Cuarón foi premiado pelo seu filme mais autoral e pessoal. Roma é baseado nas memórias de infância do diretor mexicano, e mostra a dura vida de uma empregada doméstica que precisa conviver com suas desaventuras da vida enquanto acontece várias revoluções sociais e políticas do México das décadas de 60 e 70.

O filme mexicano distribuído pela Netflix ao redor do mundo é um dos melhores trabalhos de 2018, e um dos filmes mais comentados do ano, por levantar o debate sobre a relevância de uma obra cinematográfica ser ou não exibida nas salas de cinema para ser reconhecida como uma obra de qualidade.

Pelo visto, a Academia de Hollywood aceitou a nova realidade. E o Festival de Cannes será obrigado a rever os seus conceitos daqui para frente. Ou cai no ostracismo do conservadorismo.