Em breve, a Disney vai receber no seu portfólio boa parte do conteúdo da 20th Century Fox. Mas, atenção: boa parte não quer dizer tudo. A única grande exceção é justamente um dos bens mais valiosos (se não for o mais valioso) da raposa: Os Simpsons.

Uma das poucas cláusulas impostas pela Fox para concluir a compra dos conteúdos de entretenimento da empresa está diretamente relacionado com a série do Homer Simpson. Dana Walden e Gary Newman, CEOs da Fox Television Group, entendem que a série deve ficar sob seu controle porque, basicamente, representam a Fox como marca dentro do universo do entretenimento.

E isso nada mais é do que a pura verdade.

É difícil não associar Os Simpsons com a Fox e vice-versa. A animação está no canal desde os seus primórdios, e sobreviveu com o passar dos anos na grade de programação, sem dar sinais de cancelamento, apesar de inúmeras dificuldades.

Logo, a mudança de Os Simpsons para a Disney seria algo no mínimo estranho. Não porque a nova casa poderia deixar a série pior por causa do politicamente correto característico da empresa do Mickey Mouse, mas também porque não implicaria em nenhuma melhoria significativa.

Porém, a representatividade que a série entrega ao ilustrar a realidade de uma família norte-americana de Springfield tem muito mais interesses do que pode parecer. As receitas de publicidade e distribuição internacional que a Fox recebe através de Os Simpsons é elevadíssima.

Isso explica a vontade da Fox em manter esse diamante com ele e, ainda assim, chegar a um acordo vantajoso com a Disney. Nem preciso dizer que Mickey quer ser pai de Homer, Bart, Lisa, Maggie, Marge e companhia. Mas entendo que Os Simpsons é o maior legado que a Fox possui ao longo de sua história na TV, e apenas executivos malucos e/ou desconhecedores do mercado abririam mão de uma série com quase 30 temporadas e audiências globais expressivas.

Mas que seria ótimo ter mais uma previsão dos roteiristas de Os Simpsons concretizada… ah, sim… seria!

 

Via ComicBook