Calma, que a ruindade está acabando…

Este é o último post da saga, por isso, aguentem só mais um pouco.

A terceira e última parte da lista dos piores nomes de séries de TV (edição 2019) chega para confirmar que a criatividade na TV norte-americana está morta e enterrada, inclusive na hora de dar nome para as produções que deveriam conquistar o espectador logo de cara.

Porém, tais títulos entregam o efeito contrário: o espanto, a indignação e, em alguns casos, até a repulsa daqueles que julgam pela aparência. E, nesse caso, estão completamente certos.

 

 

Os piores nomes de séries de TV (versão 2019) | Parte 3 de 3

Rise (NBC): o drama teatral poderia ser melhor do que o livro no qual ele era baseado. E tinha até um nome melhor do que o original (Drama High). Mas era no fundo uma série bem genérica, e seu nome quase soava como algo religioso.

Second Chance (Fox): nome horrível para uma série mais horrível ainda. E era para essa naba se chamar The Frankenstein Code, e depois mudaram para Lookinglass. Ou seja, a série era tão lixo, que tentaram salvá-la no título.

Selfie (ABC): era uma série divertida, aproveitava o hype do momento, mas o nome estranhamente não pegou.

Shasta McNasty (UPN): eu realmente preciso dizer mais alguma coisa sobre esse nome?

$#*! My Dad Says (CBS): se você não pode falar na TV, significa que não é uma boa ideia para o nome de uma série (a mesma regra vale para Don’t Trust the B—- in Apartment 23).

SMILF (Showtime): a dramédia da mãe solteira pode até ser boa, mas provavelmente é mais conhecida pelos pervertidos que clicaram no link errado nos resultados de pesquisa do Google.

Terriers (FX): a não ser que a série fosse sobre cachorrinhos, não precisa colocar um nome desses (P.S.: a série não era sobre cachorrinhos).

Trophy Wife (ABC): não era engraçada, não era comédia familiar, e o nome era de um machismo absurdo. Cancelada com uma temporada e com justiça.

Wicked City (ABC): o drama do serial killer de Boston não estava nem perto de ser um número musical aceitável.

Young & Hungry (Freeform): a única coisa pior que esse nome foi dar o nome para cada episódio da série como “Young & …”.