Em 28 de março de 1999, Matt Groening (produtor e roteirista de Os Simpsons), em parceria com David X. Cohen, mostrava ao mundo a sua segunda maior criação no canal Fox: Futurama.

Durante sete temporadas, Futurama mostrou as aventuras e desaventuras de Fry, um entregador de pizza cuja vida se transforma em 31 de dezembro de 1999. Nesse dia, ele tropeçou e caiu em uma cápsula criogênica, onde por lá ficou por 1.000 anos. E quando despertou, no ano 3.000, tudo estava naturalmente diferente.

A trama da sitcom futurista gira em torno da vida dos funcionários do serviço de entregas Planet Express, cuja precariedade e falta de profissionalismo são o estopim para todos os tipos de situações absurdas e divertidas.

Paradoxalmente, foi o tempo futuro do início da série que levou a mesma a ser renovada e, mais adiante, o seu sucesso e reconhecimento. Depois de quatro temporadas no ar, Futurama foi cancelada em 2003 pela Fox. Porém, o sucesso nas vendas em DVD e os altos índices de audiência alcançados pela sua re-exibição no Adult Swim (canal filial do Cartoon Network) fizeram com que a mesma fosse ressuscitada pelo Comedy Central, onde recebeu mais três temporadas, mas sem o mesmo brilho e a genialidade do passado.

 

 

Critica social com humor nerd inteligente

 

 

As quatro primeiras temporadas de Futurama assentaram as bases do seu universo: a Terra regida por um governo unificado, encabeçado pelo Presidente da Terra, Richard Nixon. Por outro lado, a Ordem Democrática dos Planetas faz as vezes de Organização das Nações Unidas, conformando um universo político um tanto similar ao sonho (ou ao pesadelo, dependendo do ponto de vista) americano.

Os robôs gozavam de liberdade e vontade própria, apesar de serem tratados como cidadãos de segunda classe. Da mesma forma, os humanos “mutantes”, dotados de algum tipo de anomalia física, são relegados a subalternos.

Com todos esses elementos apresentados, Futurama é considerada por muitos uma das melhores séries de animação de todos os tempos. Não se limitou a traçar um hipotético paralelo entre passado e futuro, mas fez críticas sociais contundentes através de um humor inteligente e irônico.

Se hoje a cultura nerd é considerada mainstream, Futurama tem muito a ver com isso. E os 20 anos de seu lançamento merecem ser comemorados por todos que admiram e respeitam essa versatilidade narrativa recheada de ironia e inteligência.