Apesar da Amazon ser notabilizada por ter Transparent e The Man in the High Castle em seu catálogo, há outras joias escondidas que merecem ser descobertas. Um delas é One Mississippi, e sua segunda temporada.

Criada e protagonizada por Tig Notaro, One Mississippi é uma dramédia semi-autobiográfica baseada nas idas e voltas da vida de Tig: um câncer, uma dupla mastectomia, a morte de sua mãe e o rompimento com sua namorada. A comédia parte dessa experiência vital sobre como se reconectar com suas origens.

A segunda temporada de One Mississippi nos mostra Tig conhecendo melhor a produtora de seu programa de rádio, Kate (Stephanie Allyne), enquanto tenta se encaixar na programação local. Já Remy (Noah Harpster) encontra o amor, enquanto que Bill (John Rothman) verá que se converteu em um cotizado viúvo.

Tig deixa clara a sua necessidade de se expressar em um nível mais profundo, e a segunda temporada da série potencializa muito mais essa necessidade dela falar. Mesmo que isso leve ao incômodo ao relatar os abusos sexuais sofridos pela protagonista, um tema que se deixa ver na primeira temporada, mas que acaba sendo catalizado na segunda.

O fato da protagonista ter um programa de rádio torna nem simples o processo de expor sua vida. Mas isso é feito com contundência e delicadeza. Algo vital na hora de apresentar um drama pessoal. Ao mesmo tempo, é feito com otimismo.

One Mississippi baseia sua identidade na forma como Tig vê a vida. Ela não tem medo de mostrar as suas cicatrizes do corpo e da alma. O contraste urbano e sarcástico dela com a sua família mais modesta e seus amigos criam uma dinâmica positiva e motivadora.

Essa dinâmica faz com que personagens peculiares apresentem evoluções fascinantes. Uma certa aura sentimental sem excessos envolve a série de forma perfeitamente integrada.

One Mississipi é uma série bonita. Com muito pouco, se torna um prazer televisivo. Um local onde precisamos ir pelo menos uma vez na vida.

E onde muitos esperam voltar.