A Netflix liberou hoje (27) a segunda temporada de Stranger Things. Os nove episódios mostram as aventuras dos garotos que vivem intensamente os anos 80, em uma trama misteriosa.

Mais de um ano de espera resultou em uma volta muito satisfatória para todos. Nesse post, contamos os oito motivos que nos levam a crer por que a segunda temporada de Stranger Things pode sim ser melhor que a primeira.

 

 

1. É uma sequência, e não uma continuação direta

 

Para efeitos práticos, tratamos como segunda temporada, mas sua trama é uma continuação da primeira temporada. Não começaram imediatamente do ponto de onde a primeira encerrou, mas sim um ano depois, mostrando uma história auto-conclusiva sobre os eventos entre uma temporada e outra.

 

 

2. Menos “E.T.” e mais “Contatos Imediatos do Terceiro Grau”

 

Ainda que a comparação não seja exata, a ideia é bem essa. Na primeira temporada, a ação foi absolutamente centrada nas crianças. Dessa vez, os adultos são protagonistas. Isso não quer dizer que as crianças perderam peso, mas sim que os adultos passam a ser chave para o desenvolvimento da história.

 

 

3. Mais (e melhores) histórias

 

Um dos problemas da primeira temporada de Stranger Things foi a fraca história entre as crianças e a misteriosa Eleven. Agora, os irmãos Duffer oferecem uma história mais complexa, com um Upside Down e seres ameaçadores ameaçando diretamente a tranquilidade de Hawkins.

Hooper começa a segunda temporada investigando as mortes, e terá uma clara ideia que a dimensão escura tem algo a ver com isso. Jonathan e Nancy indagam por conta própria o que aconteceu com Barb, e Joyce será consciente que as visões do seu filho nãos são frutos de trauma, mas sim de algo além.

 

 

4. Um bom toque de terror (dos anos 80, é claro)

 

Estreando próximo ao Halloween e ambientada em 1984, a segunda temporada de Stranger Things oferece aventura e terror ambientado. Mais “de medo” do que terror, inspirado nos anos 80. Alien, A Coisa, Halloween e outros clássicos serão lembrados na série.

 

 

5. Conheceremos melhor a Eleven

 

Grande parte da nova temporada se apoia no desenvolvimento de Eleven. Desaparecida desde o final da primeira temporada, agora sabemos o que aconteceu com ela, olhando tanto para o seu passado como para o seu novo presente.

 

 

6. Novos personagens são heróis imediatos

 

Max (Sadie Sink), mestre dos videogames vindo da Califórnia, terá em Dustin e Lucas dois dos seus fãs. Mesmo que tudo dê errado, teremos ainda um “mini vilão” (seu irmão) para adicionar mais dinâmica à trama.

Outra incorporação será Bob (Sean Austin), noivo de Joyce, figura paterna e heroica.

Os dois nos levam a próximo ponto.

 

 

7. Segue fiel à sua essência

 

Com tantas melhorias, alguns podem pensar que a magia da série se diluiu. Só que não.

Isso é feito com dois grandes elementos. O primeiro é a grande capacidade de nos envolvermos com a história e seus personagens, de forma que aos poucos o conhecemos e já fazemos com que eles se tornem parte de nossas vidas.

Por outro lado, o elemento nostalgia equilibrado. Saber ambientar a série e indicar referências é um dos sucessos de Stranger Things, com várias menções do cinema, TV, música e tudo o que se vivia na década de 1980.

 

8. O departamento de marketing da Netflix é f***!

 

Vale menção especial a todo o promocional envolvendo a segunda temporada de Stranger Things. De cartazes inspirados nos filmes clássicos dos anos 80 até usar a Chiquinha em um dos depoimentos, o marketing do serviço de streaming deu um verdadeiro show!