O Oscar 2019 acabou, mas não terminou. Nos próximos dias, vamos comentar vencedores, justiças e injustiçados. E, nesse primeiro momento, vale a pena uma revisão sobre o melhor e o pior da premiação.

Em um tapete vermelho que foi da estonteante beleza de Charlize Theron até as falas polêmicas de Jordan Peele, a premiação era a hora da verdade. As indicações que soavam um tanto aleatórias e políticas e um mistério sobre quem seriam os afetados pelos vencedores resultou em uma premiação sem surpresas.

Vamos combinar que o show do Queen + Adam Lambert na abertura da premiação foi completamente eclipsado pela espetacular performance de Lady Gaga com Bradley Cooper. Disparado o melhor show da noite. E o discurso emocionante de Lady Gaga ao receber esse prêmio? Algo inspirador. Uma lição para todos nós.

 

 

Não ter um apresentador não impediu do Oscar colocar um discurso de abertura, com as fabulosas Tina Fey, Maya Rudolph e Amy Poehler, que foram diretas e rápidas em suas piadas.

 

https://youtu.be/CiFkVp-R088

 

Uma coisa que não agradou foi o fato do vídeo dos indicados ocupar tempo demais. Para algumas categorias, nem precisava disso. E o evento de ontem mostrou que não existem discursos longos, mas sim discursos irritantes. Exceto é claro se você é o Spike Lee.

 

 

Jason Momoa e Helen Mirren deixaram os seus reinos para se vestirem como humanos com classe para apresentar um prêmio. E deram um recado claro: que bom que o mundo mudou e podemos usar a cor que quiser. #CHUPADAMARES

 

 

Apressado, mas com pausas

Melissa McCarthy e Brian Tyree Henry marcaram um dos momentos divertidos da noite, ao apresentarem o vencedor de melhor figurino (Pantera Negra).

 

https://youtu.be/Jsi_Rd2OVFU

 

E o Keegan Michael-Key caindo do céu, literalmente?

 

 

Já um dos momentos mais polêmicos da premiação foi, de novo, o In Memoriam, vídeo de homenagem aos falecidos. Não só fez falta personalidades clássicas como Dick Miller ou Rick Jay, mas Stanley Donen, que faleceu ontem, não apareceu em lugar nenhum.

 

https://youtu.be/npp6Zbi8i6I

 

Deixando de lado as polêmicas que bombardearam o Oscar 2019 (Green Book vencendo como Melhor Filme, Rami Malek vencendo como Melhor Ator, tantos prêmios para Bohemian Rhapsody, um filme dirigido por um Bryan Singer com situação complicada na justiça…), não podemos deixar de comemorar a felicidade em ver Mike Myers e Dana Carvey juntos de novo em um palco, muitos anos depois de Wayne’s World, para apresentar o filme biografia do Queen.

 

https://youtu.be/8NDFG6V4haw

 

Também podemos destacar o discurso de Rami Malek como vencedor na categoria Melhor Ator. Ele mesmo lembrar pontualmente ser filho de imigrantes e reforçando o discurso de inclusão foi algo muito simpático. Independente do fato de você gostar ou não dessa escolha, é algo que é preciso reconhecer como um dos grandes momentos da noite.

 

 

O mesmo podemos dizer sobre o discurso de Olivia Colman ao vencer o prêmio de Melhor Atriz por A Favorita. Visivelmente emocionada, ela foi engraçada e sensível, mandando recado para os filhos e pedindo desculpas para Glenn Close por receber o prêmio na frente dela.

 

 

O Oscar 2019 será fonte no futuro de loucas teorias da conspiração. Ninguém quis apresentar uma premiação onde a indústria consagrava (de novo) o trabalho de alguém sob suspeita de assédio sexual? Sério mesmo que ninguém quis falar sobre isso? Estariam os vencedores ansiosos para que a cerimônia acabasse o mais depressa possível?

 

 

No momento, só podemos esperar mais um ano para ver qual será o próximo diretor mexicano a vencer o Oscar (estou brincando…).

 

Comentários

Comentários

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui