A Netflix decidiu contra-atacar. Não basta ter Ryan Murphy e Shonda Rhimes para produzir séries exclusivas. É preciso ter parceiros fortes. Mesmo porque os concorrentes fizeram movimentos nesse sentido. Por isso, o serviço de streaming fechou um acordo de exclusividade com a Paramount Pictures.

O anúncio é um acordo histórico, que prevê a produção de filmes exclusivos para o serviço de streaming mais popular do mercado. Ao mesmo tempo, é mais um passo adiante dos estúdios de Hollywood para se adaptar aos novos tempos.

A Paramount está fazendo o que pode para não ficar para trás. Apesar de não revelarem quantos filmes o acordo abraça ou por quanto tempo as produções serão entregues, é indiscutível que estamos diante de um movimento sem precedentes.

A Paramount quer expandir o seu papel como provedor de conteúdo global, explorando novas e variadas fontes de receitas, entregando os seus lançamentos diretamente na sala de TV do usuário.

A parceria entre Netflix e Paramount já existe a algum tempo, com o lançamento de séries como Maniac ou 13 Reasons Why, ou filmes recentes como The Cloverfield Paradox, filme este que está nas mudanças de planos do serviço de streaming, estreando antes nos cinemas para ser elegível para as premiações do cinema.

A Paramount está na última posição entre os seis principais estúdios de Hollywood nas bilheterias norte-americanas desde 2011. Logo, este acordo compensa parte do risco que seria competir com estúdios mais importantes nesse momento.

Até mesmo com sucessos como Um Lugar Silencioso ou Missão: Impossível – Efeito Fallout, a Paramount deve terminar atrás de Sony, Universal, Fox, Disney e Warner Bros. Sem falar que o estúdio corre o risco de perder J.J. Abrams, que busca um mega-acordo que a produtora provavelmente não pode pagar.

Por isso, o acordo com a Netflix é um colchão de segurança para a Paramount, ao mesmo tempo que é a garantia de conteúdos exclusivos para o serviço de streaming. Algo que, nesse momento, vale ouro para todas as plataformas.

É um movimento acertado para as duas. É um acordo onde as duas empresas vão se beneficiar a longo prazo. Veremos em como Amazon, Hulu, HBO, Apple e demais respondem.

E esta batalha dos serviços de streaming está ficando cada vez mais interessante.