cinemas

O ano de 2017 registrou o pior verão dos cinemas norte-americanos desde 2006 (e isso, sem ajuste de inflação.

Em 2017, foram arrecadados US$ 3.8 bilhões em bilheterias nos cinemas nos Estados Unidos. Uma queda de 14% em relação ao ano passado. Um fracasso para o setor.

O maior sucesso da summer season foi Mulher-Maravilha (US$ 409 milhões), que ficou 14 semanas nas salas. Desse modo, Warner e DC superaram a Marvel, que contam com os dois próximos filmes da lista dos mais vistos do verão: Guardiões da Galáxia Vol. 2 (US$ 389 milhões) e Homem-Aranha: De Volta ao Lar (US$ 325 milhões).

O cinema de super-heróis foi o que evitou um desastre absoluto para Hollywood, o que justifica o número cada vez maior de projetos com essa temática.

Por outro lado, é preciso uma maior variedade de temas (não estou falando de qualidade aqui). Nesse aspecto, a animação Meu Malvado Favorito 3 (US$ 258 milhões), o thriller bélico Dunkirk (US$ 180 milhões), a comédia Girls Trip (US$ 112 milhões), o filme de ação Baby Driver (US$ 105 milhões) e Annabelle 2 (US$ 90 milhões) completam a lista.

Vale lembrar que os três últimos filmes não são superproduções, obtendo assim uma boa margem de lucro.

Vários blockbusters fracassaram no verão norte-americano. Destaques para A Múmia (US$ 80 milhões), A Torre Negra (US$ 48 milhões), Valerian e a Cidade dos Mil Planetas (US$ 39 milhões) e a nova versão de Rei Arthur (US$ 39 milhões). A sorte desses filmes é que o mercado internacional ajuda a maquiar os prejuízos.

Outros filmes ficaram na dita média para as aspirações comerciais, como por exemplo o quinto filme da saga Piratas do Caribe (US$ 172 milhões), Carros 3 (US$ 151 milhões), Planeta dos Macacos: A Guerra (US$ 145 milhões), Transformers: O Último Cavaleiro (US$ 130 milhões), Alien: Covenant (US$ 75 milhões) e Baywatch: SOS Malibu (US$ 58 milhões).

No final das contas, as bilheterias nos Estados Unidos no final de agosto caíram 6% em relação ao ano passado. Em setembro, os números devem melhorar, graças a estreias de filmes muito esperados.