Eu tenho muito orgulho de ser um daqueles que assistiu pelo menos uma temporada completa da versão original de Murphy Brown. A comédia protagonizada por Candice Bergen tinha uma narrativa que combinava o humor e os discursos políticos e para a sociedade que tornavam a experiência televisiva algo mais edificante.

Quem viu a série sabe do que eu estou falando.

Porém, o tempo passou, menina Candice envelheceu (ficou uma bela senhora, por sinal), todos envelheceram, e a série… também. O pouco fôlego oferecido pelo revival combinou com uma baixa audiência que dificilmente a CBS tende a aceitar.

Mas… será que deve ser cancelada? Ou pode se salvar milagrosamente?

 

 

A SÉRIE: Murphy Brown (11a temporada, CBS)

 

Por que salvar?

Porque foi bom ver esses personagens juntos de novo. Porque Candice Bergen ainda entrega um punchline como ninguém, mesmo depois de Murphy Brown ficar fora do ar por duas décadas. O revival não teve medo de abordar as questões políticas atuais, indo de liberdade de imprensa até as políticas de imigração, sempre batendo com força em Donald Trump.

Além disso, os novos membros do elenco injetaram sangue novo e vitalidade à série, especialmente Jake McDorman como filho de Murphy, e Nik Dodani como o guru das mídias sociais Pat, que rapidamente estabeleceu uma dupla cômica com o neurótico produto Miles.

 

 

Por que cancelar?

Porque a audiência não é lá essas coisas. Depois de estrear com uma demo 18-49 anos de 1.1, Murphy Brown só funcionou por três episódios. No final da temporada de 13 episódios, o revival tinha uma média de 0.84 na demo, ficando na última posição entre as sitcoms, com 6.1 milhões de audiência total, superando apenas Fam, Man With a Plan e Happy Together.

Sem falar que o elenco veterano não é dos mais baratos, e a CBS não deve estar muito satisfeita em manter esse alto orçamento com uma série de baixa audiência.

Nos aspectos criativos, a série é muito retrô, e até mesmo as piadas feitas contra Donald Trump soam como se fossem escritas no ano passado. Até mesmo a aversão de Murphy às novas tecnologias não condiz muito com a realidade prática (especialmente se pensarmos que ela sempre foi uma mulher moderna na série original).

E mesmo com todas as porradas em Donald Trump, o revival fez muito menos barulho do que o esperado. Nem mesmo recebeu um tweet raivoso de Trump.