O MasterChef Brasil chegou na sua décima temporada na Band (nas contas deles, e só entendo assim porque estão considerando todas as temporadas produzidas por aqui, nos diferentes formatos – MasterChef Amadores, MasterChef Profissionais e MasterChef Júnior), e trouxe algumas novidades, apesar de alguns protestos dos seus envolvidos.

A principal novidade é o programa ser exibido aos domingos, entrando de vez na competição entre os programas de variedades. É uma manobra de risco, pois precisa roubar audiência de programas que já estão consolidados na grade semanal dos canais concorrentes. Porém, é um risco arriscado, pois MasterChef Brasil sempre foi um campeão de audiência nas terças, além de ser líder absoluto de interações nas redes sociais.

E é o internauta que a Band quer. Nos domingos, tem mais gente em casa utilizando a internet, o que fatalmente fez com que o programa rapidamente alcançasse o topo dos Trending Topics no Twitter. E é esse o termômetro mais positivo para a sua estreia.

Parece que a mudança para os domingos também atraiu mais patrocinadores. O programa de estreia contou com apenas dois intervalos comerciais, mas com vários anunciantes e um monte de product placements (inserção das marcas patrocinadoras dentro do programa). Sinceramente, vejo isso como algo positivo: considerando que devemos ter mesmo apenas uma edição por ano de MasterChef Brasil, ao menos os anunciantes apostaram mais fichas nessa edição.

Sobre a mecânica do programa, tudo parece estar igual. Tudo começa na fase de eliminatória final, onde os jurados escolhem os 19 candidatos que vão disputar o título da temporada. Porém, a barra de dificuldade está um pouco mais alta logo de cara: os candidatos passam primeiro por uma etapa para avaliar as suas capacidades técnicas, e esse é um filtro bem interessante para aumentar a qualidade dos participantes da temporada. Só aqueles que passam nessa primeira etapa podem fazer um prato para conquistar ou não o seu avental.

Em resumo: eu gostei do que vi nessa estreia de MasterChef Brasil nos domingos. Sou suspeito para falar, pois eu adoro o programa. Mas acho que finalmente vou ter uma opção de programação na TV aberta no dia mais relax da semana, algo que eu tinha perdido nos últimos anos.

Lembrando que a edição das terças continua, mas com o nome MasterChef: Para Tudo, mostrando conteúdos que não foram ao ar no episódio anterior. O que considero uma vitória, pois deixou o episódio inédito (sempre aos domingos) mais curto, com duas horas de duração. E essa é a melhor novidade do programa. Eu não tinha mais paciência para 2h45 de programa, e as edições de terça-feira podem até ser assistidas em um momento posterior.

Fez certinho, Band. Parabéns!