mãe

Darren Aronofsky conseguiu (de novo) fazer com que um filme seu parasse na boca do povo, mesmo sendo um fracasso de bilheteria. Afinal de contas, Mãe! só alcançou US$ 7.5 milhões nas bilheterias norte-americanas.

É a pior estreia de um filme na temporada, com uma nota F no CinemaScore, o RottenTomatoes com notas do público no lugar dos críticos. Lembrando que Mãe! custou US$ 30 milhões dos cofres da Paramount.

Porém, o estúdio segue apoiando a aposta de Darren, e em comunicado, Megan Colligan, presidente de marketing e distribuição internacional da Paramount, afirma que este é um filme muito audaz e desafiante, com um diretor de primeira linha e uma atriz (Jennifer Lawrence) de primeira linha.

O comunicado segue afirmando que o filme pretendia ser atrevido e original, e que todos celebram quando a Netflix conta uma história que ninguém mais quer contar. E a Paramount decidiu fazer o mesmo. E tudo bem se algumas pessoas não gostaram disso.

De fato, todos nós pedimos por filmes mais originais. Por outro lado, é chamativo ver um estúdio de Hollywood se lamentando pelo fracasso de um filme, quando é um caso isolado: o normal é ver uma máquina de blockbusters em série.

De qualquer forma, não faltou coragem para a Paramount em apostar no trabalho de Aronofsky. Quem sabe se diretores como ele tivessem mais chances, e o público se acostumaria melhor com esse tipo de trabalho.

Tal e como todo mundo se acostumou com os absurdos de Michael Bay em Transformers.

 

Via Indiewire