sex and the city 3

Sarah Jessica Parker ficou decepcionada com a confirmação do cancelamento do projeto de Sex and the City 3, afirmando que tinha um roteiro muito divertido e alegre para os fãs.

A responsável por empatar o projeto foi Kim Cattrall. Ou pelo menos é que o que Parker insinua. A atriz teria ameaçado abandonar a sequência se a Warner não produzisse outros dos seus projetos, algo que não foi aceito.

Diante da fúria dos fãs, Cattrall foi ao Twitter para desmentir o rumor. “Acordei com um temporal de merda. A única EXIGÊNCIA que fiz foi dizer que não queria um terceiro filme… e isso foi em 2016”, publicou a atriz.

Depois, Cattrall foi entrevistada por Piers Morgan, e declarou que os produtores a chamaram em dezembro de 2016 para questionar se ela estava interessada em fazer Sex and the City 3, e ela respondeu que não.

A atriz se diz surpresa com a publicidade negativa que sua recusa tomou, acusando o estúdio dono dos direitos e Sarah Jessica Parker de tentar passar a imagem que atriz virou uma diva ou faz exigências abusivas.

Cattrall reforça que a convivência comum dela com as demais era a série, e depois que a mesma acabou, o relacionamento acabou também. Se afirma magoada porque nenhuma delas voltou a entrar em contato, como uma relação normal e casual. Pelo contrário: se tornou uma relação tóxica (na visão de Cattrall).

Kim Cattrall sugere que, se eles querem continuar com a franquia, que o façam sem ela, e que ela não tem problemas com a possibilidade de outra atriz interpretar Samantha Jones.

 

 

Willie Garson, que interpretou Stanford na série, decidiu dar sua versão dos fatos: “Queridos fãs, como sou ‘tóxico’, vou negociar um contrato durante seis meses, não chegar a um acordo, e depois dizer que nunca quis fazer o filme”.

E arrematou depois: “não, todos ou ninguém, TODOS são essenciais e foram tratados como tal.”