todo o dinheiro do mundo

Faltando apenas seis semanas para a estreia de Todo o Dinheiro do Mundo (All the Money in the World), os produtores do longa liderados por Ridley Scott decidiram eliminar todas as cenas de Kevin Spacey, e contratar Christopher Plummer para ocupar os seu lugar.

Spacey interpretava J. Paul Getty, e sua transformação era um dos principais destaques do longa baseado em fatos reais. Muitos (nós, inclusive) apontavam em mais uma possível indicação do ator para o Oscar (Spacey já tem duas estatuetas), mas tudo mudou depois de todas as denúncias de assédio sexual.

Todo o Dinheiro do Mundo teve sua estreia no AFI Festiva cancelada, e para ter tempo do filme chegar aos cinemas ainda em 2017, Scott decidiu rodar as cenas com Plummer o quanto antes possível. Resta ver se o resultado será a contento: por melhor ator que seja, ele não teve tempo de preparar o papel. Vale lembrar que Plummer pode ser adicionado por computador, gravando tudo em um fundo verde e eliminando de vez Spacey da edição eletronicamente.

Além disso, será que a substituição era realmente necessária nesse caso? A conduta de Spacey afetou tanto na forma em que olhamos sua interpretação? Devemos então banir do mapa todos os filmes que ele fez?

 

 

Do ponto de vista comercial, banir Spacey do mapa é a melhor decisão. Mas é inevitável pensar que perdemos a oportunidade de ver aquela que possivelmente seria a última interpretação do ator.

Recentemente, a Netflix cancelou o biopic de Gore Vidal, filmado com o ator e já finalizado. E House of Cards só continua sem Spacey.

Todo o Dinheiro do Mundo chega aos cinemas dos EUA em 22 de dezembro.

 

Via Deadline