Os haters são uma raça de seres humanos que deveriam ser extintos da face da Terra. Essa cultura de “amar odiar as coisas” não leva a lugar nenhum, e resulta sempre em situações patéticas. A última envolve o filme Aquaman, onde mais uma vez o principal responsável pelo projeto (o diretor) precisa vir a público para se defender dos ataques imbecis vindos de pessoas imbecis.

Aquaman é um sucesso de bilheteria, mas tal e como aconteceu em outros filmes, gerou uma divisão de opiniões sobre o resultado final. De qualquer forma, eu deixei bem claro no meu review que, apesar de esperar mais do filme, eu achei o resultado final de James Wan muito bom, e que não via motivos para reclamar do filme.

Porém, os fanboys intolerantes (com muito tempo livre na vida) consideram uma ofensa pessoal alguém ter uma opinião diferente sobre o mesmo tema.

Ao que parece, quem gostou está fazendo bullying com quem não gostou. E quem odiou está fazendo bullying com quem gostou e, por tabela, com o diretor, James Wan, que teve que recorrer à sua conta no Twitter para se pronunciar sobre esse comportamento:

“Chegou ao meu conhecimento que algumas pessoas estão sendo assediadas por alguns fãs porque eles não gostaram de Aquaman. Por favor, não façam isso. Não é esse o tipo de apoio que eu quero. Sejam respeitosos. Da mesma forma, está tudo bem não gostarem do meu filme, mas não há a necessidade de me atacarem pessoalmente. Paz.”

Vivemos em um estranho tempo onde um cineasta precisa vir a público para pedir respeito e paz por realizar um projeto de entretenimento. E não é a primeira vez que isso acontece. Rian Johnson sofreu o pão que o diabo amassou (ou melhor, que os haters amassaram) por causa de Star Wars: Os Últimos Jedi.

Um ano depois da estreia, Johnson voltou ao Twitter para agradecer aso fãs da saga que apontaram as suas “apaixonadas e respeitosas” opiniões. Apesar de todo o ruído feito pelos haters, ele sempre esclareceu que a maioria das reações foram de apoio e entusiasmo ao Episódio VIII.

Já James Wan pode se dar por satisfeito com os resultados finais de Aquaman: é o segundo melhor filme da DCEU, perdendo apenas para Mulher Maravilha, e a sua bilheteria superou rapidamente (e com relativa facilidade) aos números alcançados por Liga da Justiça, Homem de Aço e Esquadrão Suicida.

Eu repito: por mim, os haters poderiam simplesmente desaparecer. A cultura do ódio só reflete o atraso intelectual de uma geração mimadinha, que quer a todo custo que o mundo seja apenas do jeito que ela pensa. O que é contraditório, pois a internet deixou tudo mais dinâmico e plural.

Aprender a conviver com as diferentes opiniões é sinônimo de crescimento. Quem pensa sempre muito igual e quer que tudo seja apenas do seu jeito não abre o espaço para um debate livre de ideias, que é o que realmente gera o crescimento.

 

+info