Vai lá, Warner Bros., e contrata o cara! Ele pode arrumar a casa da DC de vez!

Ao que tudo indica, a Disney não vai querer voltar atrás, e James Gunn está cada vez mais próximo de virar passado na Marvel. E isso começa a ter contornos de grande erro, olhando para um espectro mais amplo. Afinal de contas, o cara reconheceu que errou, que foi infeliz nas piadas e pediu desculpas por isso. Por outro lado, a Disney, como contratante, deveria ter visto as tais mensagens bem antes de grupos de extrema direita irem vasculhar no passado do cara. E, sim… o que foi dito, foi dito. O que foi escrito, foi escrito. Não tem como voltar atrás. Mas Gunn pediu desculpas. Fica o registro.

Mas se a Disney não quer, a Warner Bros. pode querer. Não que a empresa não tenha valores familiares ou sustentáveis, mas parece que, diferente da Disney, eles entendem o que é um pedido de desculpas, que as pessoas mudam e evoluem com o passar do tempo. Algo natural no processo de qualquer ser humano com o mínimo de inteligência.

Nesse momento, Gunn não pode assinar nenhum acordo com outras companhias. Ele ainda está em contrato com a Disney, e “só” foi demitido do seu posto de diretor de Guardiões da Galáxia Vol. 3 (vale a pena lembrar que Gunn foi parte importante de uma arrecadação de mais de US$ 1.5 bilhão nas bilheterias em todo o mundo com essa franquia). Muito provavelmente o diretor está fechando termos de sua saída da Disney.

Em caso de eventual contratação por parte da Warner Bros., o mais lógico é que, baseado nesse recente histórico de sucesso, James Gunn vai assumir uma das franquias da DC Comics, para tentar fazer o mesmo que fez na Marvel Studios pelos (até então) desconhecidos Guardiões da Galáxia. Sua singular visão, que combinou a nostalgia, a aventura clássica e a space opera bem humorada, conduziu esse time de heróis ao sucesso global.

James Gunn não foi afetado apenas na Disney. Seus projetos na Amazon e na Sony também foram cancelados, o que mostra claramente a tendência de comportamento das produtoras diante de um tema tão delicado. Por outro lado, o diretor agora tem tempo para escolher o que quer fazer da vida. Pode até começar por uma franquia menor, com personagens menos expressivos. Mas o que os fãs da DC desejam desde já é que ele assuma alguma franquia forte da editora.

Ao meu ver, a Warner Bros. está fazendo o certo. Já que a Disney não quer, vai aproveitar as capacidades profissionais de Gunn para (muito provavelmente) consertar a casa das franquias cinematográficas da DC de uma vez por todas. Se bem que não basta trazer James Gunn para a produtora se não entregarem para ele as melhores condições possíveis para trabalhar, ou seja, interferência zero dos executivos da Warner Bros.

Todo o sucesso de Gunn na Marvel Studios só aconteceu porque ele teve a liberdade para apostar em sua visão de cinema. Ok, Kevin Feige controla tudo com mão de ferro. Mas a visão de Gunn era singular, e sua efetividade resultou em um dos maiores e mais improváveis sucessos da MCU.

Se a Warner Bros. deixar, James Gunn pode arrasar na DC.