Daniel Craig estava saindo da franquia 007, e as especulações sobre um novo ator (ou atriz) para James Bond não pararam de aparecer. Já falaram de um ator negro (Idris Elba, quem sabe) ou uma atriz branca (ou de outra cor).

Porém, Craig mudou de ideia, e vai filmar mais um filme da franquia. E este sim pode ser o último.

Deixando de lado os problemas de produção de Bond 25, a busca por um novo James Bond continua. E talvez a gente verá um James Bond negro, mas nunca veremos uma Jane Bond.

E quem afirmou foi a produtora da saga, Barbara Broccoli, de forma até contundente: 007 nasceu homem, e sempre será homem. Para ela, o personagem se modificou ao longo das décadas, e que não é necessária uma mudança de gênero para um personagem iminentemente masculino.

Broccoli mudou de ideia. Em 2017, ela chegou a comparar James Bond com Hamlet, alegando que o segundo foi interpretado por diferentes tipos de personagens, incluindo mulheres, e que isso poderia acontecer com Bond.

Por outro lado, a atriz Rachel Weisz (colega de Craig no filme) entende que Bond não deve ser uma mulher porque ‘Ian Fleming gastou muito tempo escrevendo o personagem, que é masculino e se relaciona de um modo particular com as mulheres (…) as mulheres são realmente fascinantes e interessantes, e deveriam ter as suas próprias histórias’.

Parece que Broccoli e Weisz tiveram uma conversa sobre o assunto, pois os discursos agora se alinham.

O que eu penso de tudo isso?

Para mim, não teria problema algum em ver uma 007 mulher, mantendo inclusive as características básicas do personagem sem maiores problemas. Incluindo o sex appeal, ou uma mulher com um relacionamento especial com os homens.

Por outro lado, dá para se esquivar da polêmica com facilidade criando uma agente 008. Um spin-off ou sequência, tomando a saída de Daniel Craig do personagem como base. E, se nada funcionar, não teremos grandes prejuízos: basta buscar outro homem como protagonista, e reboot da franquia. Pronto.

Acho que a experiência que Doctor Who decidiu abraçar (trocando Peter Capaldi por Jodie Whittaker no papel do protagonista) pode ajudar a responder essa problemática para o futuro. E acredito que essa experiência em especial tem todo o potencial de dar certo.