Afeganistão

O mandato dos talibãs entre 1996 e 2001 proibiu todo o tipo de entretenimento popular no Afeganistão, incluindo a música e o cinema. Eles destruíram todos os filmes que puderam, mas um homem salvou quase 7 mil rolos de todos os tipos de histórias de ficção e documentários rodadas entre os anos 20 e 70.

Habibullah Ali conseguiu, com a ajuda de amigos, salvar esses rolos em latas marcadas como filmes indianos ou europeus, escondendo os rolos em paredes de ladrilhos ou tetos falsos. Agora, 20 anos depois, ele pode recuperar os filmes, que começam a ser digitalizados. Ali afirma que daria a própria vida para preservar esses filmes.

Agora, os afegãos poderão desfrutar desses filmes que refletem a história do seu país, mostrando relatos de amor e amizade e documentários que contam o que o Afeganistão vivia.

 

 

Hoje, há jovens que não conhecem o seu país vivendo em paz, e esses filmes é uma espetacular maneira de aprender tudo o que havia em um Afeganistão sem guerras.

Falta muito para que a digitalização seja concluída, já que o processo deve durar aproximadamente dois anos. Cada filme precisa ser revisado para comprovar se não há danos, classificado e, só depois, passar para o formato digital. São 32 mil horas gravadas em 16 mm, e 8 mil horas em 35 mm.

O trabalho é longo, mas o Afeganistão agradece.

 

Via Images