golden globes

A 75a edição dos Golden Globe Awards deixou momentos memoráveis, e alguns deles seguem dando o que falar. Um dos mais comentados foi a sutil, porém, contundente frase de Natalie Portman, sobre a ausência de mulheres indicadas na categoria de Melhor Direção em Cinema.

Apesar de ser uma crítica indubitavelmente acertada, as opiniões se dividiram entre quem aplaude a atriz e quem acha que ela foi injusta com os cineastas indicados, que nada tem a ver com tudo isso.

 

 

Os cinco diretores tiveram reações mais sérias ou incomodadas, mas um deles, Guillermo del Toro, afirma que não se incomodou. Pelo contrário: apoiou Portman.

Para ele, Portman foi genial ao dizer o que sente, e defende os trabalhos fenomenais realizados por mulheres, mencionando filmes como Mudbound, Lady Bird e Mulher-Maravilha (Dee Rees, Greta Gerwig e Patty Jenkins, respectivamente). Del Toro destaca também cineastas como Kathryn Bigelow (Detroit) e Sofia Coppola (The Beguiled).

Já os membros da Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood (responsável pelo Golden Globes) foram infelizes em ignorar todos esses diretores, indicando no lugar Ridley Soctt por Todo o Dinheiro do Mundo, que sequer estava indicado como Melhor Filme. Por outro lado, pode parecer injusta a ausência de Luca Guadagnino, por Me Chame Pelo Seu Nome, o único drama entre os cinco finalistas onde o diretor não foi indicado.

 

 

Outro finalista do Golden Globes, Steven Spielberg (The Post – A Guerra Secreta), também falou sobre a polêmica, mencionando os mesmos trabalhos destacados por Del Toro, e não acredita que foi uma casualidade. Mas Spielberg vai além, garantindo que teremos pelo menos uma diretora indicada ao Oscar, como uma espécie de mudança de corrente entre os membros da Academia de Cinema para isso acontecer.

Vamos descobrir se tal mudança acontece em 23 de janeiro, dia em que a Academia de Hollywood revela os indicados para a 90a edição dos Academy Awards.

 

Via Indiewire