A Game of Thrones que estreou em 2011 é bem diferente dessa que está chegando ao fim. Vale lembrar que as comparações com Lost não são apenas pelos temores que o destino final da série seja o mesmo, mas até pela coincidência em que a série da HBO foi aprovada no mesmo ano em que o drama da ABC chegou ao fim.

É importante lembrar que a primeira versão do piloto de Game of Thrones era tão ruim que foi refeita quase por completo (com mudanças de elenco nos casos de Catelyn Stark e Daenerys Targaryen), e só foi ao ar na primavera de 2011.

A primeira temporada da série teve um sucesso moderado, e desde então, a série só ganhou audiência e, por tabela, expectativa… e em licenças narrativas em relação ao material original de George R.R. Martin. Era óbvio que a série ia alcançar os livros antes de Martin lançar o sexto livro. E depois disso? O que iria acontecer?

 

 

A série ia tomar o seu próprio caminho

 

Com três anos de antecedência (igual à Lost), foi anunciado que Game of Thrones não ia esperar Martin, e que tomaria o seu próprio caminho chegando ao fim em uma oitava temporada que, depois de quase dois anos de espera, entrega tudo o que vocês estão vendo. E a polêmica só aumentou desde então.

As últimas semanas foram recheadas de polêmicas decisões narrativas, onde Game of Thrones foi alvo de críticas das mais diversas nas redes sociais. Nesse post, compilamos algumas dessas polêmicas para reflexão de todos.

 

 

As polêmicas decisões da oitava temporada de Game of Thrones

 

– A relação ruim entre Daenerys e Sansa
– A perda da virgindade de Arya
– A reação de Jon ao descobrir sobre a sua linhagem Targaryen
– A escuridão da batalha de Invernália
– A vitória do Team Vivos diante do Team Mortos no meio da temporada
– Arya como executora do Rei da Noite
– A péssima estratégia do Team Vivos para a batalha
– O café do Starbucks em uma cena
– A excessiva importância repentina de Gendry
– A predisposição dos roteiristas por Jon em relação à Daenerys
– A aparente justificativa de Sansa sobre as violações e humilhações como uma forma de forjar o seu caráter (onde até Jessica Chastain se meteu nessa polêmica)
– O pobre plano de Cersei contra Daenerys
– A morte pouco épica de Jaime e Cersei

 

E, por último, mas não menos importante (para muitos, a decisão mais polêmica de todas), a queda de Daenerys para o lado escuro da narrativa.

Tudo isso gerou uma corrente amplamente aceitável de entendimento que a oitava temporada de Game of Thrones é, definitivamente, ruim. A pior de toda a série. E o pessimismo para o series finale é mais que justificado.