Nem tudo é perfeito em Game of Thrones (HBO). Uma das coisas mais criticadas na atual sétima temporada é a forma como alguns personagens “se teletransportam”, percorrendo distâncias quilométricas em pouco tempo.

O fenômeno ficou mais evidente no sexto episódio da atual temporada, o que fez com que o diretor do episódio, Alan Taylor, se explicasse sobre o que aconteceu.

Alan se defende dizendo que o fez sabendo do timing confuso, com muita coisa acontecendo: Gendry correndo, corvos voando, dragões tentando voar na mesma distância… logo, a decisão foi narrativa, para tentar enfatizar a linha temporal de alguns personagens, o que prejudicou o plot de outros.

É claro que tem muita gente por aí preocupada com a velocidade que um corvo pode voar. Mas o diretor do episódio, não. Ele sabe que está forçando a barra, mas acredita que o impulso da história ajude a compensar os tais lapsos temporais.

 

 

Ou seja, Taylor sabia que o timing do episódio era confuso. E isso foi uma das coisas mais comentadas do episódio: alguns personagens voando, outros parados em uma ilha… e na internet, vários cálculos matemáticos para comprovar se as linhas temporais apresentadas eram possíveis.

No final das contas, devemos interpretar a questão como ela é: como recursos narrativos para uma trama que não pode se prolongar muito. Sim, muito provavelmente eles erraram na mão dessa vez. Por outro lado, se fosse diferente disso, seria uma narrativa muito mais lenta e sem qualquer sentido.

 

 

Via Variety