Os idosos estão desaparecendo da TV norte-americana

Um estudo analisando um episódio aleatório de cada uma das 50 séries mais populares da TV norte-americana (canais abertos e pagos) da temporada 2016-2017 junto à faixa etária entre 18-49 anos, além das 50 séries mais populares da audiência com 65 anos ou mais.

O resultado colocou 72 séries na mesa, onde pelo menos 28 delas são populares nos dois grupos etários. Exemplos: The Big Bang Theory (CBS), This Is Us (NBC) e Grey’s Anatomy (ABC). E, nesse grupo de 72 séries, os personagens com 60 anos de idade ou mais representam apenas 9.4% daqueles que contam com pelo menos uma fala no episódio, e 8.2% como membros do elenco regular.

Esse número fica bem abaixo do que o último censo norte-americano informa, onde 19.9% da população possui 60 anos ou mais. Isso deixa claro que os idosos não são quantitativamente representados nas produções televisivas.

16 das 72 séries citadas não contam com idosos com falas nos episódios, e 38 dessas séries simplesmente não contam com idosas na tela.

Dos 151 personagens idosos que contam com falas na amostragem, 27.8% eram mulheres. Aproximadamente três quartos (72.2%) eram brancos, 14.6% negros, 6.6% latinos, 1.3% asiáticos e 5.3% na categoria de mestiços ou outras raças. Nenhuma das séries citadas contam com uma idosa asiática com fala em cena, e idosas latinas foram vistas em apenas duas séries, sem falar nas idosas negras, que se fazem presentes em seis séries.

O estudo também revela que 48 das séries citadas contam com pelo menos um personagem do grupo LGBT no seu elenco regular, e desses quatro eram idosos: dois homens bissexuais, um homem gay e uma mulher transgênera.

O estudo aborda vários outros aspectos que refletem a melhor idade na TV norte-americana, e pode ser conferido na íntegra nesse link.