A Chooseco, LLC, editora por trás de populares franquias literárias, processou a Netflix por violação de direitos da marca registrada encontrada em Black Mirror: Bandersnatch.

A Netflix tentou negociar com a Chooseco por anos para usar a licença da frase “Escolha a sua própria aventura”, mas o acordo não veio. Hoje, a Fox tem os direitos para desenvolver uma série interativa a partir de uma série de livros que já vendeu mais de 265 milhões de cópias desde o seu lançamento.

A Chooseco enviou uma petição para a Netflix, solicitando que deixassem de associar Black Mirror: Bandersnatch com a frase durante a sua campanha promocional. No processo, o serviço de streaming é acusado de se beneficiar do fato da empresa se beneficiar da frase “Escolha a sua própria aventura”.

Sem falar que, no filme, o personagem interpretado por Fionn Whitehead comenta para o seu pai que o livro que serviu de base para o seu videogame é “Escolha a sua própria aventura”.

A Netflix não comentou o assunto, mas mesmo evitando citar o livro nas mídias, não conseguiu evitar o processo que solicita ao menos US$ 25 milhões pelos danos sofridos.

Se realmente for confirmado o processo e o ganho de causa para a editora que tem os direitos da marca em questão, a Netflix não tem muito para onde correr, a não ser pagar a multa solicitada. Afinal de contas, tentar um acordo por anos, não chegar ao acordo e utilizar assim mesmo a obra alheia? O que isso significa?

Se bem que tem o outro lado da moeda.

Se a Netflix insistiu na questão e queria a todo custo utilizar o “Escolha a sua própria aventura” por considerar essencial tal elemento para a sua história, é só a gente pensar o quanto o serviço de streaming faturou com a série, e US$ 25 milhões podem ser dinheiro de troco de padaria para a turma de Ted Sarandos.

Vamos acompanhar os próximos acontecimentos.

 

Via THR