Uma abertura do Emmy Awards 2018 engraçadalha, como sempre. Mas com cantoria apresentando a diversidade democrática da premiação desse ano.

Kristen Bell, Kenan Thompson, Ricky Martin, Tituss Burgess, RuPaul Charles, Sterling K. Brown, Kate McKinnon e John Legend (com a ajuda de alguns astros presentes na plateia), cantaram a diversidade do Emmys 2018, como um recado claro em defesa da variedade de etnias e gêneros dentro da premiação, de forma inclusiva e aberta.

Sim… rolou piadas para a Roseanne (Barr) e com o movimento #MeToo, onde Colin Jost e Michael Che, apresentadores oficiais do Emmys, mencionando que “é uma alegria para nós estar com pessoas que não estão presas nessa noite”.

Uma abertura que fez piada com a baixa audiência do Emmy Awards, onde “centenas de pessoas estão assistindo em casa”.

Piadas com a Netflix, com Roseanne Barr (coitada, bateram nela o tempo todo…), com The Handmaid’s Tale (que é o Raízes para as mulheres brancas) e com as séries canceladas por alguns canais, e canceladas por outras.

A aposta no discurso da diversidade foi forte, onde algumas piadas não caíram muito bem. Especialmente quando decidiram falar na versão branca de Atlanta. O que deixou a coisa um pouco cansativa ou constrangedora. Um pouco além da conta.

Foi uma abertura de Emmy Awards quase desleixada por parte da NBC. Está na hora dos responsáveis pela premiação repensar alguns conceitos. Ideias recicladas não funcionam tão bem quanto antes.

De qualquer forma, uma abertura de Emmy Awards meio morna, com piadas mais internas para o mercado da TV. Inclusive com o fato da própria NBC ter o maior número de indicações… entre os canais abertos (a Netflix tem o maior número de indicações no geral).