Pelo visto, o bom senso prevaleceu, e o arrependimento bateu na Disney, que decidiu voltar atrás. James Gunn foi recontratado para ser o diretor de Guardiões da Galáxia Vol.3, projeto que já era dele antes de ser demitido em julho de 2018.

Gunn foi demitido pela Disney por uma série de fatores, que vão desde os seus posts publicados no passado (algo que a própria Disney deveria reconhecer que, se era tão severa sobre as declarações feitas pelos profissionais que querem contratar, vasculhar as publicações nas redes sociais ANTES de contratar é o mínimo) até a hipocrisia e mesquinharia humana e falta de escrúpulos da própria Disney (que se deixou convencer por determinadas correntes e pressões).

Em um inesperado, porém, mais que bem vindo e agradável plot twist, a Disney decidiu reincorporar James Gunn como diretor do filme que encerra a trilogia do time capitaneado pelo Senhor das Estrelas. Guardiões da Galáxia Vol.3 volta a contar com um dos seus principais responsáveis pelo sucesso dos dois primeiros filmes.

A decisão de voltar a contratar Gunn era uma das opções disponíveis, e que estava em discussões internas há meses entre os executivos da Disney e da Marvel Studios. Depois de anunciada a demissão, o presidente da Walt Disney Studios, Alan Horn, se reuniu com Gunn em diversas oportunidades para discutir a situação. Persuadido pela desculpa pública do diretor e pela forma que o próprio lidou com a situação depois, Horn decidiu reverter a demissão em nova contratação.

 

 

O único problema para a Marvel é que, nesse momento, Gunn está no meio do processo criativo com a Warner e a DC para resultar no reboot de Esquadrão Suicida, que contará com um novo elenco, uma nova narrativa e, supostamente, com ele na direção.

Vamos ver como o assunto se desenvolve nas próximas horas, para descobrir se a Marvel vai se encaixar com a nova agenda profissional de James Gunn que, nesse momento, está bem ocupado.

 

Via Deadline