blade runner 2049

A pior notícia que Hollywood poderia receber é o fraco desempenho nas bilheterias de filmes como Mãe! e Blade Runner 2049. Dois filmes voltados para o público adulto, onde claramente os diretores deixam sua assinatura de forma explícita.

No caso de Mãe!, o fracasso é até compreensível. Seu diretor estava até satisfeito com a forma como os espectadores saíam horrorizados das salas de cinema, e até Martin Scorsese ficou indignado com as críticas negativas do filme.

Já com Blade Runner 2049, a questão não é tão clara. É a sequência de um filme cult, um espetacular blockbuster com várias estrelas em seu elenco e um diretor talentoso. Mas foi um fracasso de bilheteria nos EUA.

Muitas teorias sobre os motivos disso acontecer rolam na internet, e todas parecem convergir sobre o fato de se manter em segredo alguns aspectos importantes da trama.

Max Landis, filho de John Landis, é um dos defensores dessa teoria. Ele não viu Blade Runner quando começaram a sair os trailers da sequência. E, apesar de correr o sério risco de cometer um erro de julgamento, ele não deixa de ter razão ao afirmar que, quem viu o filme de 1982, ou vai detestar ou vai adorar o segundo filme. Não tem meio termo.

Os dois filmes podem ter fracassado porque boa parte do público preferiu evitar receber spoilers na cara, e não queriam saber sobre o que queria ver. Ao mesmo tempo, todo mundo sabe que se um trailer não vende bem o filme, ninguém vai querer ver esse filme.

 

 

Denis Villeneuve (diretor de Blade Runner 2049), fala sobre a decepcionante bilheteria, mas defende sua estratégia em manterem segredo detalhes importantes da trama. Aliás, defendeu que precisava justificar o investimento de US$ 150 milhões feito pelo estúdio, a liberdade uqe lhe deram,e todos os aspectos envolvidos nisso.

Denis gostava da ideia das pessoas descobrirem as coisas como avançar do filme, e entende que as pessoas deveriam ler sobre um filme depois de assistir ao longa, e não antes.

Para ele, o ideal seria que o público desfrutasse da experiência do filme da mesma forma que fizeram os críticos, sem ter uma ideia pré concebida. Ele adora receber filmes sabendo o menos possível sobre eles, e reclama dos bloggers com fome de serem os primeiros a destripar o filme para o público, reduzindo a experiência alheia.

E você, o que acha? Prefere evitar surpresas? Ou prefere não saber nada de um filme?