Olhos que Condenam
Olhos que Condenam (Divulgação)
  • por Victor Hugo Morais

A Netflix estreou uma de suas docuséries mais comentadas, Olhos que Condenam, que tristemente é baseada em fatos reais.

A trama aborda o caso de cinco jovens presos injustamente, e somente por serem negros e latinos. Eles estavam se divertindo em um parque quando a polícia apareceu, no mesmo instante em que uma jovem havia sido agredida, estuprada e abandonada para morrer. Como estavam próximos ao local, imediatamente foram apontados como responsáveis pelo crime.

Dali em diante, investigadores e demais responsáveis por apurar o ocorrido fizeram de tudo para incriminar todos eles, inclusive um menino de 14 anos, que além de tudo foi agredido. Eles foram forçados a assumir que haviam atacado a moça. Insistiam que eram inocentes, que não conheciam a corredora, que estavam distantes do local em que ela foi atacada. Também diziam que estavam apenas se divertindo com amigos por ali. Porém, nada adiantava.

Apanhavam e eram covardemente obrigados a reproduzir falas em que davam detalhes do estupro. Falavam do local, quem segurou, quem agrediu e até quem estuprou. E diziam isso pois ouviam dos investigadores que somente assim seriam liberados para voltar para suas casas. E como era o que desejavam, gravavam vídeos, assinavam confissões. E isso obviamente os prejudicou no julgamento.

É difícil acompanhar tudo isso, especialmente porque sabemos que não é apenas uma história, é um caso real. Esses jovens realmente foram presos sem qualquer prova contra eles pois cometeram o “crime” de terem nascido negros. E por qual motivo essa crítica diz que todos deveriam assistir?

Bom, estamos em 2019, e os crimes de ódio continuam assolando o mundo. A internet mesmo é um “portal do inferno”, onde as coisas mais horríveis são ditas a artistas de pele negra, e se tornam públicas. Os anônimos também são frequentemente atacados, no entanto, suas causas nem sempre ganham repercussão na mídia.

E neste caso retratado, brancos julgaram, puniram e permitiram que eles passassem por situações ainda piores ao longo da detenção.

Muitos anos se passaram desde que o crime tratado em Olhos que Condenam aconteceu. E infelizmente a sociedade não evoluiu, muita gente ainda não entende que cor de pele não define caráter. Uma coisa é certa: o final da produção surpreende. E emociona.

Comentários

Comentários

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui