Let's Make A Deal

Se CSI (CBS) chegar ao fim nessa temporada, Anthony Zuiker, criador da série, não vai ficar feliz com isso. A declaração foi feita ao The Hollywood Reporter depois da apresentação de CSI: Cyber no Television Critics Association winter press tour.

Zuiker entende que CSI pode ser tão longa quanto eles quiserem, e que eles contam com talentos como Ted Danson e Elisabeth Shue que podem ajudar a manter a série viva por muito tempo.

Na sua temporada 15, CSI foi deslocada das noites de quarta-feira para os domingos, e isso resultou em uma queda de audiência considerável. Além disso, a série perdeu a sua co-showrunner Carol Mendelsohn, e o título de série de TV mais assistida no mundo para NCIS (CBS).

Outro sinal que pode ser o fim para CSI é a redução de sua encomenda de episódios (de 22 para 18), abrindo caminho para as estreias de CSI: Cyber e Battle Creek.

Sem falar na saída de George Eads, um dos últimos remanescentes do elenco original, ao final dessa temporada, e no fato que Ted Danson já estar confirmado como co-protagonista na segunda temporada de Fargo (FX), apesar do fato que as filmagens dessa série acontecerem durante o hiato de CSI, o que não deve causar um conflito de agenda entre as duas séries.

Enquanto isso, Zuiker afirma que os produtores estão ‘tentando encontrar o melhor plot de temporada possível’, para uma hipotética temporada 16, e que ele espera que eles sejam convidados a voltar ao canal.

A presidente da CBS Entertainment, Nina Tassler, disse à imprensa que o canal ainda não decidiu o que vai acontecer com CSI. Afirmou que a série ainda tem um forte desempenho na audiência em seu horário, e entende que a inclusão de Danson e Shue na série mostram um novo caminho que a história pode seguir.

Mas a verdade é uma só: o futuro de CSI é incerto.

+info