A temporada 2018-2019 da TV norte-americana está chegando ao final da sua primeira metade. Algumas séries vão muito bem obrigado na audiência total e na demo 18-49 anos, mas outras estão correndo sério risco de cancelamento, pois não mostraram a que veio.

Algumas dessas séries permanecem no ar, e a gente nem entende direito o motivo disso. Mas para outras, o relógio do cancelamento começa a soar cada vez mais alto com o passar das semanas. Nesse post, vamos destacar cinco casos onde o perigo de cancelamento é algo real e imediato (nesse momento, em novembro de 2018).

É claro que você pode concordar ou não com essa lista. Porém, na minha opinião, os indícios são tão claros, que não será surpresa ver as mesmas canceladas daqui a alguns meses (ou algumas semanas, dependendo da pressa dos canais).

Lista a seguir.

 

 

HAPPY TOGETHER (CBS)

 

 

Nem mesmo a aparição de Damon Wayans (pai de Damon Wayans Jr.) ajudou a turbinar a audiência da série. Ganhou recentemente temporada completa, mas até aí mérito zero: é difícil ver a CBS cancelando uma série de forma prematura.

 

 

REL (FOX)

 

 

Deu a falsa impressão que iria engrenar, mas a boa impressão só veio por causa dos números turbinados da NFL. O mais recente episódio da série alcançou míseros 1.2 milhão de espectadores, abaixo da metade do que a ótima The Last Man on Earth registrava no ano passado.

 

 

I FEEL BAD (NBC)

 

 

A sitcom está com números decepcionantes, ainda mais levando em consideração que é exibida depois de Will & Grace (que, cá para nós, também tem números decepcionantes a essa altura do campeonato).

 

 

THE ALEC BALDWIN SHOW (ABC)

 

 

Os recentes problemas legais de Alec Baldwin forçaram a ABC a transferir o programa para o vale dos suicidas da TV (aka noites de sábado. Porém, vamos ser realistas: depois de uma média de apenas 2 milhões de espectadores na geral e 0.3 na demo (e números que não superam a cancelada Ten Days in the Valley), é evidente que o programa não deve ir para outro caminho que não responda pelo nome ‘cancelamento’.

 

 

MURPHY BROWN (CBS)

 

 

O muito hypado revival não é nem tão ruim assim, e nem está indo tão mal assim na demo (0.8, a mesma de Will & Grace, seu concorrente direto). Mas não faz o barulho junto ao público e crítica que o canal esperava. E saiba que manter o salário de Candice Bergen (cinco vezes vencedora do Emmy) e manter a produção em Nova York não são coisas muito baratas nos dias de hoje.